PSG se complica no fim, mas vence Monaco e abre nove pontos de vantagem na liderança da Ligue 1

Equipe da capital domina partida, desperdiça chances e quase vacila no fim; Mbappé passou em branco diante de sua ex-equipe; Lyon agora é o segundo colocado

PSG se complica no fim, mas vence Monaco e abre nove pontos de vantagem na liderança da Ligue 1
Foto: Anne-Christine Poujoulat/AFP/Getty Images
Monaco
1 2
Paris Saint-Germain
Monaco: Subasic; Glik, Jemerson, Raggi (Rony Lopes, Min. 61); Touré, Fabinho, Tielemans (Ghezzal, min. 67), Moutinho, Jorge; Keita Baldé (Sidibé, min. 79), Falcao.
Paris Saint-Germain: Areola; Dani Alves, Marquinhos, Thiago Silva, Kurzawa (Berchiche, min. 69); Rabiot, Verratti, Draxler (Pastore, min. 82); Mbappé, Neymar, Cavani (Di María, min. 82).
Placar: 0 x 1 - Cavani (min. 19); 0 x 2, Neymar (pen, min. 52); 1 x 2, Moutinho (min. 81)
ÁRBITRO: Francois Letexier (FRA). Cartões Amarelos: Jorge, Kurzawa, Jemerson, Neymar, Almamy Touré, Daniel Alves, Berchiche.
INCIDENCIAS: Partida válida pela 14ª rodada da Ligue 1, temporada 2017/18. Realizada no Stade Louis II, em Monaco.

Poderia ter sido uma goleada, vários gols, um chocolate do PSG diante da equipe que tirou sua dinastia na temporada passada. Porém, o placar ao final da partida teve a vantagem mínima. Em duelo válido pela 14ª rodada da Ligue 1, o time da capital venceu o Monaco apenas por 2 a 1. Os gols dos parisienses foram anotados por Cavani e Neymar. Moutinho descontou.

A vitória dá ao Paris Saint-Germain ótima vantagem na liderança. São 38 pontos contra apenas 29 de Lyon, novo segundo colocado, e Monaco. O próximo compromisso do líder será diante do Troyes, na quarta-feira (29), às 18h. No mesmo dia, às 16h, o ASM visita o Nantes.

Leonardo Jardim mandou a campo uma equipe mais cautelosa, com três zagueiros. Por outro lado, o PSG colocou o que tinha de melhor, com Draxler no meio-campo tendo Verratti e Rabiot no apoio. Quem esperava a lei do ex por parte de Mbappé se decepcionou. O atacante perdeu várias chances. Tais oportunidades fizeram falta no final, o Monaco apertou e lutou pelo empate, que não veio.

Foto: Valery Hache/AFP/Getty Images

PSG domina e abre vantagem diante do desorganizado Monaco

A primeira boa chance da partida aconteceu com menos de dois minutos. O lance começou com Neymar no campo defensivo, o brasileiro driblou dois e lançou para Mbappé em profundidade. O jovem atacante driblou o goleiro, ficou sem ângulo e chutou na rede pelo lado de fora. A resposta do Monaco veio pouco depois: Baldé arrematou da meia-lua e mandou por cima da meta.

Pela direita, Mbappé foi à linha de fundo e cruzou para o meio, Cavani tentou de letra e a bola tomou o caminho da segunda trave, Draxler se jogou, mas mandou para fora. As duas investidas parisienses demonstraram as brechas na zaga do Monaco, que alternava entre cinco e quatro jogadores na última linha. Aos 15 minutos, o PSG tinha 76% de posse de bola.

Dominando e ditando o ritmo do jogo, a equipe da capital abriu o placar: a defesa do Monaco vacilou, Rabiot achou Draxler na esquerda. O alemão cruzou rasteiro e Cavani completou para as redes, marcando seu 16ª gol no campeonato. Os mandantes tiveram duas chances através da bola parada. A primeira, cruzada na área, foi afastada. Na outra, Falcao mandou por cima.

O Monaco não tinha criatividade, tentava de forma desorganizada criar ocasiões de ataque, mas erros individuais encerravam as investidas. Deixando espaços atrás, os monegascos sofreram com avanços rápidos do PSG. Draxler teve boa chance pela esquerda, chutando rasteiro e obrigando Subasic a fazer ótima defesa. A estatística da Ligue 1 apontava o ASM com 29% de posse no primeiro tempo, acertando apenas 104 passes e sem chutes no alvo.

Chances perdidas e final tenso para o PSG; Monaco cresce após gol de Moutinho

Na volta do intervalo, o PSG manteve a postura do primeiro tempo e foi buscar mais um gol. Foram duas oportunidades claras no inicio da segunda etapa. Aos dois minutos, Cavani apareceu pela direita e cruzou para o meio, Neymar soltou a bomba e acertou a trave. Logo em seguida, Mbappé apareceu no costado da zaga, livre de marcação, o francês tocou por cobertura e Jemerson apareceu por trás do goleiro para salvar quase em cima da linha.

A situação do Monaco se complicou ainda mais. Verratti laçou Neymar pela esquerda, o brasileiro se enroscou com Touré dentro da área e o árbitro apontou a marca da cal. Sem polêmica desta vez, o camisa 10 do PSG cobrou com categoria, batendo rasteiro no canto direito de Subasic.

Tentando mudar minimamente a situação, Leonardo Jardim tirou Raggi e colocou Rony Lopes. Desta forma, o Monaco deixava o sistema com três zagueiros e colocava mais um jogador ofensivo. Jorge, que estava atuando na segunda linha na transição ofensiva, retornou para sua posição de origem. Tielemans também saiu para a entrada de Ghezzal. A equipe passou do 5-3-2 para 4-2-3-1.

Tais trocas, tanto de peças quanto posicionais, não surtiram efeito. O Paris seguia mandando no jogo, assustando com escapadas pela direita, principalmente com Mbappé. O camisa 29 perdeu chances diante da ex-equipe. Em uma delas, ele apareceu na frente do goleiro e cavou para fora. Neymar, logo depois, fez gesto de “ser mais inteligente” ao companheiro.

Insistindo na direita, o PSG seguia perdendo gols. Cavani cruzou e Jemerson desviou para trás, acertando a trave. Na sequência, outra bola na área e o uruguaio cabeceou no contrapé de Subasic, a bola passou tirando tinta da trave. E o velho ditado do futebol apareceu. Falta para o Monaco na entrada da área. Moutinho cobrou, houve desvio em Mbappé a bola entrou. Coisas do futebol, o mesmo que perdeu várias chances claras esteve envolvido no gol do adversário.

O tento monegasco mudou completamente o cenário do jogo, o PSG sentiu o peso e tentou diminuir o ritmo. Por outro lado, a equipe da casa tentava correr contra o tempo. A pressão final não resultou no empate. Resta ao Monaco buscar uma melhor organização para não perder pontos e deixar o Lyon abrir vantagem na segunda colocação. A equipe da capital caminha para mais uma taça nacional.