Sem Neymar, PSG é derrotado pelo Lyon com golaço de Depay nos acréscimos

Holandês entra no segundo tempo e resolve partida no último lance com belo gol de fora da área

Sem Neymar, PSG é derrotado pelo Lyon com golaço de Depay nos acréscimos
Foto: Philippe Desmazes/AFP
Lyon
2 1
Paris Saint-Germain
Lyon: Anthony Lopes; Rafael, Marcelo, Morel, Mendy; Tousart, Ndombele, Aouar (Depay); Fekir, Mariano Diaz (Bertrand Traoré), Cornet.
Paris Saint-Germain: Areola; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva, Kurzawa; Lo Celso, Verratti (Pastore), Rabiot; Mbappé (Draxler), Cavani, Di María (Meunier)
Placar: 1-0, Fekir; 1-1, Kurzawa; 2-1, Depay

Lyon e Paris Saint-Germain fizeram um dos jogos mais esperados do futebol francês na temporada. Apesar da longa vantagem da equipe de Unai Emery, o compromisso não deixava de ser entre o líder e o então vice-líder da Ligue 1. Jogando no Parc OL, a equipe de Bruno Genésio conseguiu, no último minuto, sair vencedora, o que resultou na segunda derrota parisiense no campeonato. Os gols do primeiro tempo foram marcados por Nabil Fekir e Layvin Kurzawa, enquanto que Memphis Depay deu números finais com um bonito chute.

Esse resultado não muda muito o panorama do PSG do campeonato, que permanece líder do campeonato, com sete pontos de vantagem para o segundo colocado. A situação do Lyon, por sua vez, que entrava em um nível preocupante até os 45 minutos do segundo tempo, já que os Gones estavam caindo para a quarta colocação, voltou ao normal, com o OL na segunda posição, com 48 pontos.

As duas equipes voltarão aos gramados pelo Campeonato Francês no próximo sábado (27), às 17h (horário de Brasília). No Estádio Matmut Atlantique, o Lyon medirá forças com o Bordeaux, que está na parte de baixo da tabela. O PSG, por sua vez, enfrentará o Montpellier, sétimo colocado, no Parc de Princes.

Fekir faz golaço, PSG pressiona e consegue empatar no último minuto

A partida se provaria agitada desde os primeiros minutos. Quando o relógio marcava dois minutos, o PSG fez uma falta boba na altura do meio-campo, pelo lado direito ofensivo. Apesar de estar longe da meta de Aréola, Nabil Fekir chutou direto, em uma finalização cheia de efeito, que morreu nos fundos das redes, já que o goleiro parisiense não esperava que a pelota fosse direto. Com isso, a equipe da casa praticamente começou a partida vencendo por 1 a 0.

(Foto: Jeff Pachoud/AFP)
(Foto: Jeff Pachoud/AFP)

A partir do gol dos locais, o PSG buscou o ataque, dominando, em maior parte, o controle da bola e, consequentemente, ditando o ritmo da partida. Os parisienses, porém, paravam em uma boa atuação defensiva do Lyon, que conseguia cobrir espaços, marcando as opções de passes dos jogadores mais recuados – Giovanni Lo Celso e os quatro da linha defensiva.

Com o passar do tempo, porém, o domínio da equipe de Unai Emery se tornou gigante. O Lyon mal conseguia tocar na bola, já que se mentalizou em apenas defender. Como a marcação dos locais era muito bem encaixada, o segredo do Paris Saint-Germain eram os ataques pelos lados, explorando a velocidade e a capacidade de drible de Mbappé e Di María.

Esse cenário se repetiria até as partes finais da primeira etapa. Sem Mbappé, que saiu da partida após um choque com Anthony Lopes, o PSG apostou em Draxler, o que resultava em menos velocidade e, consequentemente, uma maior dificuldade para romper as linhas defensivas do Lyon. Todo o esforço dos locais, porém, iria abaixo no último lance do primeiro tempo: Daniel Alves, com liberdade, cruzou para o meio da área, de onde surgiu Kurzawa que, aproveitando o espaço deixado por Rafael e Ndombelé, completou para o gol com um lindo chute de primeira, que acertou o ângulo.  

(Foto: Jeff Pachoud/AFP)
(Foto: Jeff Pachoud/AFP)

Daniel Alves é expulso e Depay faz golaço

O segundo tempo começaria agitado. Assim como visto anteriormente, o PSG começou pressionando, mas parando em uma boa atuação defensiva do Lyon. O primeiro grande evento da etapa complementar aconteceu aos 11 minutos, quando Ndombelé roubou uma bola e tentou conectar Cornet com um passe em profundidade, mas foi parado por uma dura falta de Daniel Alves. O brasileiro, então, levantou e gritou com o árbitro que, sem pestanejar, expulsou o brasileiro com um cartão vermelho de forma direta.

A partir dessa expulsão, a partida, que antes era disputada com muita técnica, passou ser um tanto quanto violenta, com as duas equipes fazendo muitas faltas e reclamando muito com o árbitro. Por conta do espaço deixado na defesa, Unai Emery foi obrigado a sacrificar Di María, uma das opções ofensivas, para colocar Meunier em campo e reorganizar sua linha defensiva.

(Foto: Jeff Pachoud/AFP)
(Foto: Jeff Pachoud/AFP)

Com a entrada de Memphis Depay no lugar de Aouar, o treinador Bruno Genésio buscou aproveitar sua superioridade numérica, se beneficiando pelo fato do PSG ter um homem a menos no ataque. Dessa maneira, o OL buscou, sem perder a paciência apresentada em todo o jogo, surpreender o adversário por meio da velocidade de seus jogadores de lado de campo.

Após pressionar o PSG com chutes de média distância, mas sem assustar o goleiro Areola, o Lyon foi recompensado no último lance da partida, assim como o PSG na primeira etapa: Fekir, com espaço, conduziu a bola até perto da entrada da área, quando conseguiu conectar Memphis Depay no lado esquerdo do campo, que cortou para sua perna direita e finalizou com maestria, no ângulo, sem chances para o porteiro adversário. Dessa maneira, a partida terminou em festa para os Gones, que comemoram demais o resultado.