Com vantagem, Boca Juniors decide vaga nas quartas em casa diante do Cerro Porteño

Última vez que argentinos disputaram as quartas de final foi em 2012, quando eliminaram o Fluminense; paraguaios terão de ir atrás de um milagre, e alcançar um feito inédito

Com vantagem, Boca Juniors decide vaga nas quartas em casa diante do Cerro Porteño
Foto: LatinContent WO/Luis Vera/STF/Getty Images
Boca Júniors
Cerro Porteño
Boca Júniors: Orion, Tobio, Cata Díaz, Insaurralde, Fabra; Jara, Erbes, Pérez; Pavón, Tevez e Carrizo. Técnico: Guillermo Barros Schelotto.
Cerro Porteño: Anthony Silva, Bruno Valdez, Víctor Mareco, Junior Alonso; Luis Leal, Marcos Riveros, Rodrigo Rojas, Jorge Rojas; Cecilio Domínguez e Guillermo Beltrán. Técnico: Gustavo Morínigo.
ÁRBITRO: Wilton Sampaio. Auxiliado por Kleber Lucio Gil Bruno Boschilia e Anderson Daronco (Bra). O assessor de árbitros será Miguel Scime (ARG).
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELAS OITAVAS DE FINAL DA COPA LIBERTADORES DA AMÉRICA 2016. SERÁ DISPUTADA NO ESTÁDIO LA BOMBONERA. COM CAPACIDADE DE 49,000 ESPECTADORES.

Boca Júniors e Cerro Porteño, irão duelar nesta quinta-feira (5), no jogo de volta válido pelas oitavas de finais da Copa Libertadores da América 2016. A bola rola para o confronto a partir das 21h45 (Brasília). O palco do confronto será a mítica  La Bombonera, em Buenos Aires.

A situação é divergente para as duas equipes: Enquanto o Boca, decide em casa com a torcida ao seu favor e a vantagem de terem ganho a partida anterior por 2 a 1, fora de casa. O time de Assunção terá de ir em busca de um milagre, e vencer por no mínimo dois gols de diferença, o que fará irem para o jogo com tudo ou nada.

Os argentinos gostam de enfrentar paraguaios: Eliminaram cinco vezes equipes do país vizinho em competições sul-americanas: Olimpía, Libertad, Guaraní, Deportivo Capiatá, além do próprio Cerro.

O Império Azulgrana já venceu o Boca uma vez, em 1998, no Defensores del Chaco, pela Copa Mercosul [competição que foi substituída pela Sul-americana]. Se vencer fora de casa, fará história: Apenas o Olímpia venceu na casa dos Xeineze, em 95, na Supercopa.

Cerro Porteño encara duelo na Bombonera como grande final

O Cerro jogou nesta quarta-feira Campeonato Paraguaio onde perdeu para o líder Libertad por 1 a 0, com time misto. Encara a Copa Libertadores como o grande sonho, para isso terá de marcar dois gols de diferença, ou pelo menos ganhar de 2 a 1, forçando uma disputa de pênalti. A atual situação preocupa e muito os jogadores de Assunção.

"Nós estamos preparando para a partida, sabemos a importância de ambos, assim espero que atuemos bem, principalmente na Libertadores que é o nosso objetivo acima de tudo". Disse o meio-campista Marcos Riveros, jogador da Seleção Paraguaia.

Os paraguaios ainda perderam Jonathan Santana [titular no último jogo], o volante não irá à Buenos Aires, devido a uma lesão na coxa. Dúvidas pairam em cima do atacante português  Luis Leal e o meia Jorge Rojas, o primeiro questionado por uma febre e o segundo por desconforto físico.

Boca enfrenta possível sanção por má conduta de torcedores e recente histórico de lesão

Uma das notícias mais repercutidas, aconteceu horas antes da primeira partida diante os paraguaios: A prisão de 237 torcedores pela Polícia Paraguaia, em Assunção. Segundo o Diário OléConmebol analisa proibir os torcedores do Boca irem para a casa adversária, caso se classifiquem para as quartas de finais. Fazendo as partidas serem com torcida única. Se isso realmente for levado adiante, será o segundo ano seguido que os Xeinezes são sancionados.

Outra grande dor de cabeça será o recente histórico de lesão: Os meias Fernando Gago e Andrés Cubas, romperam o tendão de Aquiles e o ligamento do tornozelo direito, respectivamente. Pablo Osvaldo, volta a se recuperar e estará apto apenas se o time se classificar, Nicolás Lodeiro, rompeu o menisco, além da grande promessa Rodrigo Bentancur que torceu o joelho direito, que também fica fora do duelo.

O técnico Guillermo Schelotto, falou sobre esse tema, segundo ele isso é algo preocupante: Temos que ser fortes, apesar das lesões, que por sinal me preocupam. Mas, agora o objetivo é a partida de quinta na Copa [Libertadores]". Concluiu o comandante

O Boca tem vantagem de dois gols sobre o rival e as estatísticas são favoráveis para que vença o confronto: Com 7 partidas jogadas, foram 4 vitórias e 3 empates. A defesa tem 5 gols sofridos, e um total de eficácia em passes de 78%, além de 13 gols marcados, o que faz a média ser a cada 48 minutos, um gol dos argentinos.