Batistuta admite não gostar de ter recorde quebrado, mas enaltece Messi: "Um extraterrestre"

Atacante revelou que gostava de contar pelo mundo a história que era o maior artilheiro da seleção argentina

Batistuta admite não gostar de ter recorde quebrado, mas enaltece Messi: "Um extraterrestre"
Foto: Martin Rose/Getty Images

Um dos maiores atacantes da história do futebol, o ex-jogador Gabriel Batistuta revelou no último domingo que não gostou de ser superado em gols por Messi. O lendário ex-atacante argentino admitiu sentir orgulho de ser o segundo colocado atrás de um "extraterrestre", mas não escondeu a decepção de ser superado.

"Honestamente, não fiquei muito bravo, mas fiquei um pouco, sim. Era um título pessoal que eu tinha. Não era só uma coisa velha que estava guardada. Eu gostava de sair pelo mundo dizendo: 'Sou o maior artilheiro da história da seleção argentina'. Mas o que ainda posso dizer é que estou em 2º lugar, atrás de um extraterrestre", disse 'Batigol' ao canal argentino Telefe.

Messi superou o recorde de Batistuta durante a Copa América de 2016, e desde então abriu mais sete gols de vantagem. Hoje com 61 gols pela Albiceleste, o astro do Barcelona precisou de 110 jogos para bater o recorde. Já 'Batigol', por sua vez, marcou 54 em apenas 77 partidas.

Batistuta atuou pela seleção argentina entre 1991 e 2002. A ex-estrela de River Plate, Boca Juniors, Fiorentina, Roma e Inter de Milão conquistou três títulos com a Albiceleste (Copas América de 1991 e 1993, e Copa das Confederações de 1992). 

Foto: Laurence Griffiths/Getty Images
Foto: Laurence Griffiths/Getty Images