Lanús se prepara para conquistar Tríplice Sul-Americana inédita na Argentina

Granate venceu a Copa Conmebol em 1996 e a Copa Sul Americana em 2013; Caso leve a Libertadores de 2017, o clube alcança também a inédita Tríplice Coroa

Lanús se prepara para conquistar Tríplice Sul-Americana inédita na Argentina
Campeão argentino em 2016 (foto), Lanús quer tríplice de títulos sul-americanos (Foto: Getty Images)

O Lanús está preparado para fazer história nesta temporada. Caso o clube argentino conquiste a Copa Libertadores da América também conquistará a Tríplice Coroa Sul-Americana. Isto porque o clube já havia conquistado a Copa Conmebol em 1996 e a Copa Sul Americana no ano de 2013. Caso o clube vença o Grêmio na final da Libertadores terá automaticamente chegado à inédita conquista.

Copa Conmebol 1996

A história desta conquista começou em 1996, quando o Lanús comemorou 91 anos de existência e foi campeão da Copa Conmebol, uma das mais importantes competições internacionais da época. Assim como na Libertadores de 2017, o time argentino não era cogitado entre os melhores da competição. As principais forças da época eram os brasileiros Fluminense, Palmeiras e Vasco, mas ambos estavam focados no Campeonato Brasileiro.

A Copa Conmebol de 1996 foi de grande importância para equipes consideradas menores, pois nenhuma potência do futebol uruguaio e argentino participaram da competição naquela época. Assim os clubes médios e pequenos se dedicaram ao máximo em busca de um título de expressão.

Para chegar no objetivo o Lanús eliminou o Bolivar-BOL. Jogando fora de casa na primeira partida, o clube venceu por 1 a 0, levando a decisão para casa. Com o apoio da torcida o Granate atropelou o time visitante por 4 a 1 e avançou para a próxima fase. Nas quartas de final o time argentino encarou o Guaraní-PAR. O time venceu a primeira partida por 2 a 0 e na segunda partida em casa os argentinos novamente não tomaram conhecimento do adversário e aplicaram 6 a 2 no estádio La Fortaleza. Nas semifinais o Lanús enfrentaria o Rosário Central, que buscava o bicampeonato.

Em casa, na primeira partida da semifinal, o Lanús goleou o Rosário Central por 3 a 0. O Granate precisava segurar a pressão na partida de volta, fora de casa. Héctor Cúper, treinador da equipe na época, ficou mais aliviado quando sua equipe abriu o placar aos seis minutos de jogo, dificultando ainda mais a vida do time da casa. O Rosário Central até conseguiu empatar a partida, mas o Lanús se aproveitou do desespero do time da casa e marcou mais duas vezes, levando o Lanús para a inédita final para encarar o Santa Fe-COL.

A primeira partida da grande final da competição foi disputada na Argentina. O time da casa venceu por 2 a 0 e foi para a segunda partida com uma boa vantagem. Com o estádio lotado na partida de volta, o Lanús acabou sentindo a pressão e sofreu um gol logo no quarto minuto de jogo. A torcida do time da casa foi a loucura e acreditou que o título viria, mas o time visitante conseguiu segurar a pressão e garantiu a inédita conquista.

Escalação do Lanús: Carlos Roa como goleiro; Juan José Serrizuela, Gustavo Falaschi, Gustavo Siviero e Andrés Bressán; Oscar Mena, Daniel Cravero, Ariel Ibagaza e Walter Coyette; Ariel López e Claudio Enría.

Copa Sul Americana 2013

O time argentino voltou a conquistar um título continental em 2013 quando superou a Ponte Preta e conquistou a Copa Sul Americana. O Lanús chegou na competição sendo o melhor pontuador entre as equipes que não disputaram a final do Campeonato Argentino da temporada 2012/2013.

Por causa do regulamento da competição o Lanús entrou na Copa Sul Americana direto na segunda fase, onde encarou Racing-ARG. Na primeira partida, fora de casa, o Granate saiu em vantagem após vencer por 2 a 1. Jogando em casa na partida de volta o time comandado por Guillermo Barros Schelotto venceu por 2 a 0. Ao avençar para a fase final da competição, o time encararia a Universidad de Chile-CHI nas oitavas de final. Sabendo da dificuldade que teria na partida de volta, fora de casa, o time argentino aplicou 4 a 0 nos chilenos em casa. Na volta o time conseguiu segurar a pressão e achou um gol.

Nas quartas de final o adversário seria um rival do próprio país, o River Plate. A primeira partida mais uma vez foi em casa, mas dessa vez o Granate não conseguiu marcar o gol, por outro lado também não sofreu. Na volta, com o El Monumental lotado, o Lanús venceu o River por 3 a 1 e avançou para encarar o Libertad-PAR nas semifinais. Contra os paraguaios, o Lanús venceu as duas partidas por 2 a 1 e avançou para a grande final.

Na final o Lanús encarou a Ponte Preta, que também chegava na decisão pela primeira vez. A Ponte chegou na final após eliminar Criciúma, Deportivo Pasto-COL, Vélez Sársfield-ARG e o São Paulo. A primeira partida da final foi disputada em Campinas e acabou em 1 a 0. Goltz abriu o placar para o Lanús e a Ponte conseguiu o empate com Felipe Bastos. Na volta com o estádio La Fortaleza lotado, o time da casa tomou todas as ações do jogo e com um gol de Ayala e outro de Blanco, venceu a Macaca e conquistou a taça pela primeira vez.

Escalação do Lanús na Copa Sul Americana: Augustín Marchesín; Carlos Araujo, Paolo Goltz, Carlos Izquierdoz e Maximiliano Velázquez; Diego González, Leandro Somoza e Jorge Ortiz; Lucas Melano, Jorge Pereyra Díaz e Santigo Silva. Técnico:Guilhermo Barros Schelotto.

Copa Libertadores da América 2017

O Lanús chegou na Copa Libertadores da América em 2017 após vencer o Campeonato Argentino de 2016. Como foi o campeão nacional, o time do treinador Jorge Almirón entrou na competição diretamente na fase de grupos. O sorteio dos grupos encaminhou o Lanús para o grupo 7 junto com ChapecoenseNacional-URU e Zulia-VEN. Com quatro vitórias, um empate e uma derrota, o Granate avançou para a fase final na primeira colocação de seu grupo.

Jogando com trocas de passes precisos e armando contra-ataques certeiros, o Lanús foi vencendo cada duelo até chagar na grande final. Nas oitavas de final o Lanús segurou a pressão da altitude e empatou em 1 a 1 com o The Strongest-BOL nos primeiros 90 minutos. Com o torcedor empurrando, o Lanúus venceu o time boliviano por 1 a 0 e avançou para as quartas de final para encarar o San Lorenzo-ARG.

Nas quartas de final, o Lanús saiu derrotado na primeira partida por 2 a 0 e complicou sua situação. Na volta o time conseguiu reverter o placar e levou a decisão para os pênaltis. Por 4 a 3, o Lanús derrotou o time do Papa e avançou de fase para encarar outra equipe argentina, o River Plate. Na partida de ida, fora de casa, o River venceu por 1 a 0 e ficou muito próximo de chegar à final. A situação do River Plate ficou ainda mais favorável quando a equipe abriu 2 a 0 no jogo da volta. Jogando em casa o Lanús não desistiu de buscar o resultado. Perto do fim da primeira etapa o time da casa conseguiu descontar e foi para o intervalo um pouco mais tranquilo. No segundo tempo o Granate conseguiu empatar, virar e passar o River no placar agregado. Com o 4 a 2 o Lanús chegou na inédita decisão contra o Grêmio.

Na primeira partida da grande final, disputada na Arena do Grêmio, o Lanús não conseguiu suportar a pressão da equipe da casa e acabou derrotado por 1 a 0. O clube argentino precisa reverter o placar no estádio La Fortaleza para conquistar a Libertadores da América e alcançar a inédita Tríplice Coroa.