Luca Toni marca em seu jogo de despedida e Verona 'carimba' faixa da campeã Juventus

Experiente atacante de 38 anos encerrou sua brilhante carreira balançando as redes, algo que sempre fez com maestria

Luca Toni marca em seu jogo de despedida e Verona 'carimba' faixa da campeã Juventus
Luca Toni balançou as redes sete vezes nesta que foi sua última temporada (Foto: Andrea Spinelli/Getty Images)
Hellas Verona
2 1
Juventus
Hellas Verona: GOLLINI; PISANO, BIANCHETTI, HELANDER, EMANUELSON; WSZOLEK, VIVIANI, IONITA, MARRONE (GRECO, MIN.80); SILIGARDI (RÔMULO, MIN.65), LUCA TONI (GOMEZ, MIN.85).
Juventus: NETO; RUGANI, BONUCCI, BARZAGLI (CHIELLINI, MIN.72); CUADRADO, STURARO (PEREYRA, MIN.62), LEMINA, ASAMOAH (PADOIN, MIN.71), ALEX SANDRO; DYBALA, ZAZA.
Placar: 1-0, MIN.43, LUCA TONI; 2-0, MIN.55, VIVIANI, 2-1, MIN.95, DYBALA.
ÁRBITRO: FABIO MARESCA. SILIGARDI (MIN.16), ZAZA (MIN.26), MARRONE (MIN.32), ALEX SANDRO (MIN.42), LEMINA (MIN.51), ALEX SANDRO (MIN.93), HELANDER (MIN.95).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 37ª rodada da Serie A 2015/2016. Realizada no Estádio Marcantonio Bentegodi, em Verona, na Itália.

Mais um brilhante atacante do futebol italiano pendurou suas chuteiras neste domingo (8). Luca Toni encerrou sua carreira aos 38 anos anotando o primeiro tento da vitória por 2 a 1 do rebaixado Hellas Verona, diante do time alternativo da pentacampeã Juventus nesta penúltima rodada da Serie A. O meia Viviani foi quem marcou o segundo gol da equipe de Verona no Estádio Marcantonio Bentegodi, e coube ao argentino Dybala diminuir o placar.

A festa para Luca Toni foi a única alegria da equipe do Verona nesta péssima temporada. Com somente 25 pontos ganhos, os comandados de Luigi Delneri estão rebaixados matematicamente desde a 35ª rodada. Na ocasião, nem mesmo a vitória em casa diante do Milan foi o suficiente para adiar o inevitável descenso. A despedida da equipe na primeira divisão será no próximo domingo (15), diante do Palermo em La Favorita, que depende apenas de si para se livrar do mesmo destino de seu adversário.

Semelhante ao destino do Hellas Verona, a Juventus também teve suas pretensões finalizadas na competição há duas rodadas atrás. Entretanto, somente um "pequeno" detalhe diferencia as equipes: um foi rebaixado, e o outro se consagrou pentacampeão italiano. Desde então, o técnico Massimiliano Allegri tem dado ritmo para os considerados reservas da equipe, antes da disputa da final da Copa Itália diante do Milan no próximo dia 21. Mas antes, os campeões se despedem da Serie A sob os olhares de sua torcida, também no próximo domingo, contra a Sampdoria.

O merecido e último gol de Luca Toni

A festa de despedida para o atacante Luca Toni foi muito mais movimentada e interessante do que os primeiros minutos do duelo entre as equipes. Com os destinos já traçados, o Verona esbarrava em sua falta de qualidade técnica, já a Juve, parecia não se interessar em buscar o primeiro gol.

Entretanto, estava nítido o desejo dos ateltas da casa em buscar em quase todas as jogadas ofensivas o centroavante homenageado. Além do chute fraco de Viviani aos 28', todas as finalizações do Verona foram de Luca Toni.

Primeiro, o atacante levou perigo pelo alto, onde sempre foi extremamente perigoso. E logo após dentro da área, praticamente mortal na maioria das vezes. Nesta oportunidade, Toni dominou e finalizou com imensa categoria, porém, por um capricho do destino a bola explodiu na trave esquerda do brasileiro Neto.

Porém, o destino voltou a ser a favor do futebol quando Alex Sandro cometeu pênalti aos 42'. Coube ao cara da partida, Luca Toni ir para a cobrança e marcar o último tento de sua carreira com uma ousada "cavadinha" no centro da meta da Velha Senhora.

Os últimos quarenta minutos em campo do artilheiro

Após uma primeira etapa completamente irreconhecível, a Juventus finalmente decidiu se interessar pelo duelo em questão. Dominando todas as ações da partida desde o início do segundo tempo, a posse de bola bianconeri chegou a alcançar os 70%.

E mesmo com duas boas chances de Rugani e Dybala, não foi o empate que aconteceu, mas sim, a vantagem do Verona que foi ampliada. Com menos de dez minutos após o intervalo, Ionita deu belo passe em profundidade, e o meia Viviani finalizou no ângulo, não dando chances para o arqueiro brasileiro da Juve.

Desde então, foi o Hellas Verona quem retomou o controle do confronto. Siligardi, Emanuelson e até mesmo Luca Toni, criaram grandes oportunidades, e por muito pouco não transformar uma desacreditada vitória em goleada do lanterna sobre o líder.

Aos 85', todo o Marcantonio Bentegodi se levantou para aplaudir os últimos passos de Luca Toni como atleta profissional de futebol. Já nos acréscimos, foi a vez do zagueiro Helander cometer uma penalidade. Dybala foi para a cobrança e marcou seu tento de número 17 na temporada.