Napoli tem dificuldades no começo, mas goleia Frosinone e Higuaín quebra recorde histórico

Nos primeiros minutos, dificuldades, mas Hamsik abriu o placar, e com uma tripletta, Higuaín fez a goleada e bateu um recorde histórico de gols na Serie A

Napoli tem dificuldades no começo, mas goleia Frosinone e Higuaín quebra recorde histórico
Foto: Getty Images
Napoli
4 0
Frosinone
Napoli: Reina; Hysaj, Koulibaly (Regini), Chiriches, Ghoulam; Allan, Jorginho, Hamsík (David López); Callejón (Mertens), Higuaín, Insigne.
Frosinone: Zappino; M. Ciofani, Russo, Blanchard, Crivello; Frara (Soddimo), Gori, Kragl (Carlini) Sammarco; D. Ciofani, Dionisi (Gucher).
Placar: 1-0, min. 43, Hamsík. 2-0, min. 51, Higuaín. 3-0, min. 61, Higuaín. 4-0, min. 70, Higuaín.
ÁRBITRO: Domenico Celi (ITA) Cartões amarelos para: Jorginho (N) Crivello (F) Cartões vermelhos para: Gori (F)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 38ª rodada da Serie A, no estádio San Paolo, em Nápoles.

Neste sábado (14), pela última rodada da Serie A, o Napoli precisava vencer, e goleou o Frosinone por 4 a 0, em partida que Hamsík abriu o placar, e logo depois Higuaín marcou um hat-trick, batendo o recorde de ser o jogador que mais fez gols na Serie A em uma só temporada. A marca pertencia ao sueco Gunnar Nordahl, que fez 35 gols pelo Milan na temporada 1949/50.

Com o resultado, o Napoli conseguiu seu recorde histórico de pontos na Serie A, e foi a 82 pontos, e assim, garantiu a segunda posição e a vaga direta para a próxima Uefa Champions League. Enquanto isso, o Frosinone, que já estava rebaixado para a próxima Serie B, encerra o campeonato com 31 pontos, na vice-lanterna, mas pode terminar o campeonato na lanterna caso o Verona vença o Palermo neste domingo (15).

Hamsík tira o Napoli do sufoco na primeira etapa

Nos primeiros minutos, o Napoli foi logo ao ataque, procurando o gol que precisava e lhe servia para garantir o segundo lugar com a vaga na próxima Champions League. Havia nervosismo das duas partes, incluindo do adversário, que teve Gori expulso aos 12 minutos por reclamação com o árbitro Domenico Celi.

Enquanto isso, começava um show particular de Zappino, mas antes, haveria uma bola na trave de Insigne aos 19 minutos, em chute de fora. Depois, o goleiro defendeu muitos chutes, incluindo uma grande defesa num chute à queima roupa dentro da área de Callejón, aos 33 minutos.

Mas no final da primeira etapa, aos 43 minutos, em cruzamento de Ghoulam, a zaga divide com Higuaín, e a bola sobra pra Hamsík emendar pro gol. Era o gol que abria o placar de um Napoli mais desesperado pela vitória em meio ao placar que dava o segundo lugar a Roma, que estava vencendo o Milan.

Era também o gol que fez Hamsík igualar o número de gols Maradona pelos azzurri partenopei na Serie A, com 81 gols, e dava a vantagem ao final da primeira etapa.

Higuaín faz três, bate recorde e confirma a classificação napolitana à próxima Champions

Nos primeiros minutos, o Napoli continuou no ataque, mas bem mais relaxado em relação a primeira etapa, errando menos passes, e ameaçando mais, e aos 6 minutos, após jogada pela direita de Allan, que entrou na área, o brasileiro foi ao fundo e cruzou para Higuaín só tocar e marcar o segundo gol napolitano.

A partir daí, todas as bolas vinham em direção ao artilheiro do campeonato. O Frosinone, do ídolo napolitano Roberto Stellone, quase sempre tinha mais de um jogador em cima dele. E o recorde histórico do sueco Nordahl, que fez 35 gols pelo Milan na temporada 1949-50, foi igualado aos 16 minutos, quando após cruzamento de Hysaj da direita, Higuaín novamente só tocou, de primeira, para ampliar o marcador, e igualar o recorde histórico.

Mas o argentino estava com fome de gol. Estava com fome de ser o recordista isolado. Ainda assim, o Frosinone criou sua única boa chance, aos 22 minutos, em cobrança de falta de Kregl, que chutou no travessão, enquanto o goleiro Reina estava praticamente batido. E três minutos depois, aos 26 minutos, o recorde veio com um gol de placa: após cruzamento de Mertens da esquerda, Pipita matou no peito e bateu de bicicleta, a bola encobriu o goleiro Zappino para a festa da torcida napolitana.

Depois de minutos sem ação, o árbitro apitou o final da partida, para festa dos comandados de Maurizio Sarri, que bateram o recorde histórico do Napoli de pontos, e se classificaram para a próxima Uefa Champions League, que teve o hino entoado pela torcida no estádio San Paolo, em meio aos cânticos apaixonados dos napolitanos.