Palermo bate Hellas Verona e se salva do rebaixamento; Carpi vence, mas não evita queda

Sicilianos ganham e escapam da Serie B, enquanto na despedida de Di Natale, o Carpi venceu a Udinese, mas não conseguiu escapar da degola

Palermo bate Hellas Verona e se salva do rebaixamento; Carpi vence, mas não evita queda
Elenco do Palermo comemora permanência na Serie A (Foto: Getty Images)

Neste domingo (15), pela 38ª e última rodada da Serie A, foi definido os últimos rebaixados para a Serie B italiana da próxima temporada. Mesmo com a vitória sobre a Udinese, em Údine, por 2 a 1, o Carpi não conseguiu se salvar da degola, uma vez que o Palermo bateu o também rebaixado Hellas Verona, por 3 a 2, e conseguiu, para festa de sua torcida no Renzo Barbera, a sonhada permanência na elite.

Com o resultado, o Palermo não só venceu, como ultrapassou a Udinese, e encerra o campeonato na 16ª posição, com os mesmos 39 pontos dos friulianos, mas vencendo nos critérios de desempate. Já o Carpi termina na 18ª colocação, com 38 pontos, e ao lado do vice-lanterna Frosinone, com 31 pontos, e do lanterna Hellas Verona, com 28: serão as três equipes que voltarão à Serie B em 2016/17.

Com momentos de sufoco, Palermo vence Hellas Verona e se salva

O Palermo já ia ao ataque desde os primeiros minutos contra um Hellas Verona que parecia conformado com a última posição. E logo marcou aos 26 minutos, quando Hiljemark lançou Vázquez pela esquerda, ele ajeitou pro meio e bateu no canto, sem chances para Gollini, e para a festa da torcida rosanera presente no Renzo Barbera.

O jogo era tenso, e aos 35 minutos, em confusão, os dois expulsos da partida pelo árbitro Massimiliano Irrati: Morganella, dos rosaneri, e Wszolek, do clube gialloblù. O resultado se manteve até o fim da primeira etapa.

O resultado conseguido na primeira etapa tranquilizava o Palermo, que começou a segunda etapa mais relaxado, e pagou pela desatenção quando aos 4 minutos, Rômulo lançou Viviani pela direita, ele entrou na área e chutou cruzado, era o gol de empate dos visitantes gialloblù, para silêncio total no Renzo Barbera.

Mas logo o Palermo voltaria ao ataque e a frente do marcador, aos 6 minutos, dois após o gol de empate, quando após lateral cobrado pra área, a bola passa por toda a defesa do Verona e Maresca entra de cabeça na bola e encobre o goleiro para marcar. 

O gol da salvação veio aos 19 minutos, quando Rispoli recebeu na direita, em posição irregular, e cruzou pro meio da área, a bola passou por todo mundo e encontrou a cabeça de Gilardino, que testou firme para marcar o terceiro gol rosanero. O gol que dava a permanência do Palermo na Serie A.

Mas até o final da partida, houve um novo susto: aos 40 minutos, em cobrança de falta, Viviani cobrou na cabeça de Pisano, que testou firme para marcar. O Hellas Verona diminuiria o marcador, o que obrigou o Palermo a defender com 10 jogadores em seu campo e abdicar completamente do ataque, e foi assim até o apito final, com festa da torcida e comemoração dos jogadores no gramado como se fosse a de um título. 

ESCALAÇÕES: Palermo: Sorrentino; Cionek, Gonzalez, Andelkovic; Rispoli (Vitiello), Hiljemark, Maresca, Morganella; Vázquez (Jajalo); Gilardino, Trajkovski (Lazaar). 

Hellas Verona: Gollini; Pisano, Bianchetti, Helander, Emanuelson; Viviani, Marrone (Furman); Wszolek, Ionita (Rômulo), Siligardi (Checchin); Pazzini.

ÁRBITRO: Massimiliano Irrati (ITA).

GOLS: 1-0, min. 28, Vázquez. 1-1, min. 49, Viviani. 2-1, min. 51, Maresca. 3-1, min. 64, Gilardino. 

CARTÕES PARA: Amarelos: Vermelhos: Morganella (P); Wszolek (V)

Carpi vence Udinese, mas não consegue se salvar; Di Natale marca em sua despedida

Di Natale celebra seu último gol pela Udinese (Foto: Getty Images)
Di Natale celebra seu último gol pela Udinese (Foto: Getty Images)

Na partida que marcava a despedida do futebol do atacante do clube friulano Di Natale, que começou no banco, os visitantes precisavam do resultado, mas foi a Udinese quem criou a primeira grande chance aos 26 minutos, com um gol perdido de Bruno Fernandes. Quem não faz, toma. E por isso, o Carpi aproveitou a chance, quando aos 36 minutos, quando Paolo Mazzoleni apitou pênalti após Felipe derrubar Lasagna na área. Pênalti que Verdi bateu com estilo para abrir o placar.

Minutos depois, Théréau fez falta, reclamou com a arbitragem, e recebeu o cartão vermelho. Aos 39 minutos, em jogada individual, Verdi entrou na área, gingou pra cima de dois zagueiros e bateu forte, sem chance para Karnezis para marcar o seu segundo gol na partida. Mas ainda assim, o Carpi não se salvaria com a vitória.

Durante a segunda etapa, com o gol de empate do Hellas Verona, o Carpi ficou alguns minutos fora da zona de rebaixamento, mas com o Palermo novamente a frente do placar, os jogadores do time da Emília-Romagna se abateram, e assim a Udinese atacou mais. Teve boa chance aos 21 minutos, em cabeçada de Danilo pra fora, mas a melhor foi aos 34 minutos, quando Porcari puxou um jogador da Udinese na área. Pênalti que o homenageado da noite, Di Natale, que havia acabado de entrar para jogar os minutos finais de sua carreira, converteu para diminuir o marcador, sendo exaltado e aplaudido pela torcida presente. O placar terminaria com vitória do Carpi, que ganhou, mas não se salvou da Serie B.

ESCALAÇÕES: Udinese: Karnezis; Piris, Danilo, Felipe; Widmer (Domizzi), Badu, Lodi, Fernandes (Di Natale), Adnan (Pasquale); Zapata, Théréau.

Carpi: Belec; Zaccardo, Suagher, Gagliolo; Sabelli, Pasciuti, Bianco, Crimi (Porcari), Martinho (Cofie); Verdi (Di Gaudio); Lasagna.

GOLS: 0-1, min. 36, Verdi. 0-2, min. 39, Verdi. 1-2, min. 79, Di Natale. 

ÁRBITRO: Paolo Mazzoleni (ITA)

CARTÕES PARA: Amarelos: Gagliolo (C), Crimi (C), Felipe (U), Suagher (C), Badu (U), Pasquale (U); Vermelhos: Théréau (U)