Borja Valero afasta rumores de troca de clube: "Quero encerrar minha carreira na Fiorentina"

Técnico Vincenzo Montella, ex-Viola e agora no Milan, demonstrou interesse em contar com meia de 31 anos, que não pensa em deixar Florença

Borja Valero afasta rumores de troca de clube: "Quero encerrar minha carreira na Fiorentina"
Valero já atuou em 170 partidas com a maglia viola (Foto: AFP/Getty Images)

Um dos símbolos do estilo de jogo da Fiorentina nos últimos anos, o meia espanhol Borja Valero, não pensa em mudar de ares. Desde 2012 no clube de Florença, o jogador de 31 anos esteve nas quatro campanhas de Serie A que garantiram a Viola em edições seguidas de Europa League, onde foi semifinalista em 2014-15, além de um vice-campeonato da Coppa Italia em 13-14.

O técnico Vincenzo Montella, responsável pela contratação de Valero em 2012 vindo do Villarreal e agora no Milan, havia demonstrado interesse em novamente treinar o espanhol, que descartou uma transferência, não só nessa janela, mas até o fim de sua carreira.

"É difícil dizer o que eu sinto e o que sempre senti desde que cheguei na Fiorentina. Cheguei por casualidade, depois de um rebaixamento muito duro com o Villarreal e aqui todos sempre me trataram muito bem. A única coisa que posso fazer para agradecer a essa gente por este carinho é dizer que estou muito feliz aqui e que gostaria de encerrar minha carreira na Fiorentina", afirmou.

Apesar do desejo de permanecer em Florença, Valero agradeceu o interesse de Montella e desejou sucesso para o seu ex-treinador. "Felicito a Montella por chegar ao Milan e desejo sorte porque com ele me tornei um grande jogador. É bom que haja interesse em mim, porque significa que estou indo bem, mas tenho contrato e estou muito feliz aqui", esclareceu.

Borja Valero, cria das categorias de base do Real Madrid, passou por West Bromwich, Mallorca e Villarreal antes de chegar à Viola. Com a Fiorentina, foram 170 jogos, com 15 gols e 31 assistências. Agora, o espanhol espera um título para ficar ainda mais gravado na história do clube.

"Lutamos para fazer o máximo, mas sabemos que o poder econômico de outras equipes é maior. Esperamos que consigamos uma façanha como fez o Leicester na Inglaterra", disse, lembrando do improvável título inglês dos Foxes na temporada 15-16.