Com um a menos, Roma segura pressão e empata com Porto pela ida dos playoffs da UCL

Ex-Corinthians, Felipe marca gol contra, mas portugueses reagem no segundo tempo após a expulsão de Vermaelen; decisão fica para a Itália

Com um a menos, Roma segura pressão e empata com Porto pela ida dos playoffs da UCL
Foto: Divulgação/AS Roma
FC Porto
1 1
AS Roma

A Roma superou a expulsão do estreante Vermaelen e arrancou um empate por 1 a 1 diante do Porto, nesta quarta-feira (17), no Estádio do Dragão, em Portugal, pelo jogo de ida dos playoffs da Uefa Champions League. O zagueiro Felipe, ex-Corinthians, anotou gol contra a favor dos italianos, enquanto André Silva, de pênalti, já na segunda etapa, empatou para os portugueses.

Agora, a decisão fica para semana que vem, no jogo de volta, a ser disputado no Olímpico de Roma. A partida ocorrerá na terça-feira (23), às 15h45. A vantagem é da Roma, que joga por um empate para poder avançar à fase de grupos da UCL, uma vez que marcou gol fora de casa.

O Porto volta a entrar em campo no sábado (20), às 16h30, contra o Estoril, novamente no Estádio do Dragão. Já a Roma, no mesmo dia, enfrenta a Udinese, às 13h, no Olímpico, pela rodada de abertura da Serie A 2016/17.

Roma é superior e domina primeiro tempo

O árbitro holandês Bjorn Kuipers mal havia apitado o início de jogo e a Roma já tinha assustado. Aos dois minutos, De Rossi deu um bonito toque de cavadinha para Salah, que encobriu o goleiro Casillas; a bola entraria ao gol não fosse o zagueiro brasileiro Felipe para afastar de cabeça. Cinco minutos depois, o atacante egípcio finalizou com perigo de fora da área e levou perigo à meta do Porto.

Com dificuldades para chegar ao campo defensivo da Roma, o Porto viu o lateral-esquerdo Alex Telles evitar, aos 13 minutos, o que seria o primeiro gol da Roma. Casillas, experiente goleiro que fez história no Real Madrid, não conseguiu encaixar uma bola rasteira e deixou a redonda nos pés de Dzeko, mas o camisa 9 giallorosso arrematou em cima do defensor brasileiro.

O Porto seguia ineficaz no jogo, e o gol contra de Felipe, em cruzamento de Florenzi, aos 21 minutos, comprovou que os portugueses teriam trabalho para arrumar a casa. Entretanto, logo depois de tomar o gol, o Dragão teve duas ótimas chances. Herrera apareceu na ponta direita e cruzou para André Silva, na área, pegar de primeira e colocar o goleiro Alisson para trabalhar; no rebote, Otávio pegou mal na bola e isolou.

A Roma, por sua vez, continuou superior no duelo. Não à toa, Salah e De Rossi quase ampliaram o marcador. Porém, perdeu o zagueiro Vermaelen antes do intervalo. O belga levou o segundo cartão amarelo.

Jogadores da Roma comemoram o gol contra de Felipe (Foto: Divulgação/AS Roma)
Jogadores da Roma comemoram o gol contra de Felipe (Foto: Divulgação/AS Roma)

Porto pressiona, mas Roma segura empate

Com superioridade numérica em campo, o Porto retornou ao segundo tempo sem deixar a Roma respirar. Nos dez minutos primeiros minutos, por exemplo, houve um gol impedido de Adrián López e uma chance desperdiçada por André Silva. E aos 61 minutos, o Porto foi recompensado, depois de tanto insistir, com o gol de empate. André Silva converteu pênalti – Emerson Palmieri colocou a mão na bola dentro da área – e não deu chances a Alisson.

A fim de deixar o time português ainda mais ofensivo, o técnico Nuno Espírito sacou André André e colocou em campo o veloz Layún. Já a Luciano Spalletti optou por tirar o único atleta capaz de puxar contra-ataque em velocidade, Salah, e colocar o zagueiro Fazio, acionando de vez o “modo retranca”.

O Porto pressionava, mas sofria para penetrar a defesa do Porto, que, por sua vez, abusava de cruzamentos para a área e chutes de longa distância. O jogo ficou truncado e as equipes quase não produziram oportunidades de gol – a última saiu dos pés de Paredes, em cobrança de falta nos acréscimos.

Dzeko e Otávio em ação no jogo (Foto: Divulgação/AS Roma)
Dzeko e Otávio em ação no jogo (Foto: Divulgação/AS Roma)