Na primeira partida oficial de Ventura, Itália encara Israel na estreia das Eliminatórias

De comandante novo, Azzurra busca começar com bem sua campanha; israelenses tentam surpreender sem nenhum grande destaque

Na primeira partida oficial de Ventura, Itália encara Israel na estreia das Eliminatórias
Único confronto entre as equipes ocorreu em 1970 (Fotomontagem: VAVEL)
Israel
Itália
Israel: Goresh; Tzedek, Tibi, Davidzada, Natcho; Melikson, Yeini, Bitton; Zahavi, Dabbur, Ben Chaim.
Itália: Buffon; Barzagli, Astori, Chiellini; Candreva, Parolo, Riccardo Montolivo, Bonaventura, De Sciglio; Pellé, Eder.
ÁRBITRO: Sergei Karasev (RUS).
INCIDENCIAS: Partida válida pela primeira rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Realizada no Estádio Sammy Ofer, em Haifa, Israel.

Já começou na Europa a disputa por uma vaga na próxima Copa do Mundo, que será realizada na Rússia em 2018. Nesta segunda-feira (5), será a vez de a tetracampeã mundial Itália iniciar sua trajetória nas Eliminatórias. Fora de casa, os italianos, agora comandados por Giampiero Ventura, encaram a seleção de Israel, às 15h45, no estádio Sammy Ofer, em Haifa.

Israel participou de uma Copa do Mundo apenas uma vez em toda a sua história. Foi na competição disputada no México em 1970, que acabou terminando com o tricampeonato da Seleção Brasileira. A campanha israelita foi de certa forma razoável, se levarmos em conta que era a estreia do país na competição e que os adversários eram nada menos do que UruguaiSuécia e a própria Itália.

A estreia foi com derrota para os uruguaios. Em seguida vieram dois empates: 0 a 0 com a Itália e 1 a 1 com a Suécia, onde Spiegler (companheiro de Pelé no New York Cosmos) marcou o primeiro e único gol de Israel em uma Copa do Mundo. Nas Eliminatórias para a Copa de 2014, os isralenses ficaram à sete pontos de Portugal, e não avançaram para a segunda fase.

Líder absoluto de seu grupo nas últimas eliminatórias, a Itália não conseguiu manter o bom retrospecto nas competições seguintes. Na Copa de 2014, eliminação precoce ainda na primeira fase com Cesare Prandelli no comando. Após o fiasco, Antonio Conte chegou com a missão de reerguer a moral da Azzurra. Com muitas mudanças e a chegada de muitos jovens, a renovação da Seleção Italiana à partir da chegada de Conte pode ser considerada positiva.

Na disputa da Eurocopa deste ano a equipe não manteve uma grande regularidade dentro de campo, mas conseguiu avançar as quartas de finais da competição, quando foi eliminada pela Alemanha nas penalidades. Antes mesmo da competição realizada na França ser iniciada, Conte já havia anunciado que deixaria o comando técnico da Azzurra, sendo anunciado pelo Chelsea pouco tempo depois. Para o lugar dele chegou Giampiero Ventura, que treinara o Torino nas últimas temporadas.

Ex-atacante do Palermo, Zahavi crê em jogo equilibrado em Haifa

Sem nenhuma grande estrela dentre os convocados, a Seleção Israelense coloca suas esperanças principalmente em seu setor de ataque. Principal atacante israelita da atualidade, Eran Zahavi conhece muito bem seus adversários da partida de amanhã.

O atleta de 29 anos que defende atualmente o Guangzhou EF da China, disputou duas temporadas na Itália pelo Palermo. A curta experiência em solo italiano permitiu que Zahavi tivesse uma certeza: os ialianos não irão adentrar em campo com um pensamento de vitória garantida.

"A Itália é mais forte, então devemos demonstrar coragem dentro do gramado para demonstrar que podemos ser competitivos. Não podemos afirmar que o empate não pode ser considerado um resultado ruim. O elenco deles é excelente e virão pensando na vitória, buscando começar bem a competição, mas posso garantir que eles não nos subestimam", declarou o jogador.

(Foto: Tulio M. Puglia/ Getty Images)
(Foto: Tulio M. Puglia/ Getty Images) 

Ventura evita comparações com Conte após derrota para a França

A estreia não-oficial de Giampiero Ventura no comando da Azzurra aconteceu na última quinta-feira (1º). Em Bari, a Itália acabou perdendo para a França em um jogo marcado por homenagens as vítimas do terremoto da semana retrasada, e pelo 1º teste de árbitro de vídeo na história do futebol.

Mesmo que a partida não tivesse um grande peso, a imprensa italiana não hesitou em comparar a equipe de Ventura com a de Antonio Conte.

"Eu sinto que estou cercado pelos críticos, mas isso faz parte do jogo, eu tenho consciência disso. Eles se esforçam para comparar certas coisas. Ouvi dizer durante a semana que 'Conte havia ganho três Scudettos antes de assumir a seleção'. Tudo bem, mas enquanto ele conquistava talas eu vendia jogadores por milhões, por muito mais do que o Torino havia pago por eles, e muitos se encontram comigo hoje na Azzurra", declarou ao programa La Domenica Sportiva.

Ventura também despistou quando questionado sobre o tabu de quase dez anos em que a Itália não perde nas eliminatórias. Desta vez, o grupo da Azzurra terá como destaque a Espanha e a Albânia, que disputou sua primeira Euro neste ano, e por pouco não avançou à segunda fase.

"Seria muito bom se estatísticas foram garantias, mas eu não acreditonisso. Eu acredito na qualidade dos jogadores, seu entusiasmo, desejoe intenção de melhorar. O resultado pode não ser sempre maravilhosamente positivo, mas é uma vantagem, e nós certamente não iremos esnobar uma vitória logo neste início", concluiu.

(Foto: Gabriele Maltinti/ Getty Images)