Juventus joga mal, mas garante vitória diante do Palermo com gol contra

Em jogo truncado e com poucas oportunidades, time de Turim sofre com a falta de criatividade, mas conta com a sorte para garantir a liderança

Juventus joga mal, mas garante vitória diante do Palermo com gol contra
Foto: Getty Images
Palermo
0 1
Juventus
Palermo: Buffon; Daniel Alves (Chiellini, min. 85), Rugani (Cuadrado, min. 29), Barzagli, Bonucci e Alex Sandro. Lemina, Khedira e Pjanic (Asamoah, min. 68). Higuain e Mandzukic. Técnico: Massimiliano Allegri.
Juventus: Posavec; Rispoli, Goldaniga, González, Cionel e Aleesami; Gazzi, Jajalo (Bruno Henrique, min. 68) e Chochev (Hiljemark, min. 81); Diamanti e Balogh (Nestorovski, min. 60). Técnico: Roberto De Zerbi.
Placar: 0-1, min. 48, Goldaniga (g.c).
INCIDENCIAS: Partida válida pela sexta rodada da Serie A, realizada no estádio Renzo Barbera, em Palermo, na Itália.

Apesar da má atuação, a Juventus contou com a sorte para bater o Palermo, por 1 a 0, neste sábado (24), no estádio Renzo Barbera, pela abertura da sexta rodada da Serie A. Depois de terminar o primeiro tempo sem levar nenhum perigo ao gol de Posavec, os bianconeri contaram com um gol contra de Goldaniga, aos três minutos da segunda etapa, para garantir o triunfo.

A estratégia de Allegri em atuar com dois jogadores fixos na frente não surtiu muito efeito. Higuaín e Mandzukic sofreram com a falta de criatividade de seu meio-campo e quase não foram acionados. Com Pjanic, Khedira e Lemina no centro, o time de Turim ficou pesado e tinha apenas Daniel Alves e Alex Sandro como peça de desafogo.

Nervoso com as poucas oportunidades e a forte marcação do Palermo, a Juve quase ficou com um jogador a menos ainda nos 45 minutos iniciais. Primeiro Mandzukic se desentendeu com Aleesami após sofrer falta e deu um empurrão no lateral esquerdo. Mas foi advertido apenas com o amarelo. Depois Daniel Alves acertou um tapa no rosto de Gazzi e apesar da reclamação dos rosaneri por um vermelho, o brasileiro também levou o amarelo.

Aos 30 minutos Massimiliano Allegri foi forçado a fazer sua primeira substituição. Rugani torceu o tornozelo direito e deu lugar a Cuadrado. A Juve passou então do 3-5-2 ao 4-4-2, com Daniel Alves assumindo a lateral direita e o colombiano fechando o meio. A alteração surtiu pouco efeito.

Na volta do intervalo mal deu tempo para perceber uma mudança de comportamento das equipes: Aos três minutos da segunda etapa Daniel Alves finalizou de longe e Goldaniga tentou desviar de calcanhar, mas a bola tomou o rumo do gol, deslocando o goleiro Posavec. 

Apesar do gol, a postura da Juventus pouco mudou. Pelo contrário, o gol acomodou mais ainda a Velha Senhora, que passou a trocar passes pouco objetivos. As únicas oportunidades saíram nos pés de Mandzukic, as duas paradas de forma espetacular pelo goleiro Posavec.

Aos 42 minutos o ala Asamoah sentiu o joelho e deixou o campo. Como a Juve já tinha feito as três substituições, os bianconeri terminaram a partida com um a menos. O Palermo tentou exercer uma pressão, mas a única jogada eram os cruzamentos pelas laterais, sempre interceptados pela defesa ou nas mãos do goleiro Buffon.

Apesar do desempenho ruim, a Juventus conquistou os três pontos e jogou a responsabilidade para Napoli e Roma. Na próxima terça-feira (27) a equipe vai à Croácia enfrentar o Dinamo Zagreb, buscando a primeira vitória na Champions League. No italiano a velha senhora volta a campo no próximo domingo, fora de casa contra o Empoli.