Napoli e Roma se enfrentam em confronto direto pela vice-liderança da Serie A

Napolitanos e romanistas fazem Derby del Sole em busca de reduzir distância rumo ao topo da tabela

Napoli e Roma se enfrentam em confronto direto pela vice-liderança da Serie A
Foto: Getty Images
Napoli
Roma
Napoli: Reina; Hysaj, Maksimovic, Koulibaly, Ghoulam; Allan, Jorginho, Hamsík; Insigne, Gabbiadini, Callejón. Técnico: Maurizio Sarri.
Roma: Szczesny; Florenzi, Manolas, Fazio, Juan Jesus; De Rossi, Paredes; Salah, Perotti, Nainggolan; Dzeko. Técnico: Luciano Spalletti.
ÁRBITRO: Daniele Orsato (ITA).
INCIDENCIAS: Partida válida pela oitava rodada da Serie A, a ser realizada no estádio San Paolo, em Nápoles, na Itália.

Neste sábado (15), às 10h (de Brasília), o clássico entre Napoli e Roma abre a oitava rodada da Serie A no estádio San Paolo, que promete estar lotado para este Derby del Sole. Um clássico que tem gerado grande expectativa para ambas as equipes.

O Napoli é o vice-líder da competição, com 14 pontos. Já a Roma é a terceira colocada, com 13. Ambos os times atrás da líder Juventus, com 18 pontos na tabela. Na última rodada, resultados distintos: à medida que o Napoli perdeu a sua invencibilidade em derrota fora de casa para a Atalanta por 1 a 0, a Roma venceu outro clássico, em casa, diante da Internazionale, sendo uma vitória por 2 a 1 dos giallorossi.

Derby del Sole neste sábado será jogado pela 144ª vez. Foram até hoje 143 jogos, com 41 vitórias dos azzurri, contra 54 dos giallorossi, além de 49 empates. Em jogos da Serie A, foram 40 vitórias do Napoli contra 50 da Roma, além de 49 empates. A maior goleada do confronto foi uma vitória da Roma por 8 a 0 na temporada 1958/59 da Serie A. O último confronto foi uma vitória por 1 a 0 da Roma no Olímpico, no último dia 25 de abril.

Napoli com apoio da torcida tenta voltar a vencer um Derby del Sole

A parada para a data Fifa foi um pouco traumática para os napolitanos: o artilheiro da temporada partenopei até o momento, Arkadiusz Milik, com sete gols na temporada – quatro deles na Serie A –, teve uma grave lesão no joelho que forçará o atacante polonês a ficar por até cinco meses longe dos gramados. Para o técnico Maurizio Sarri, a solução é simples, visto que já se deve começar com Manolo Gabbiadini como titular.

Além dessa lesão lamentada pela torcida napolitana, não há nenhum outro desfalque no qual possa se lamentar. Pelo contrário: nessa semana Chiriches e Albiol estão voltando aos treinos após lesões. Mas o zagueiro espanhol, normalmente titular no esquema de Sarri, não deve ser sacrificado, e o treinador azzurro deve começar com o sérvio Maksimovic.

Outra tradicional dúvida que tem se repetido é sobre quem começa no lado esquerdo do ataque: Mertens ou Insigne? As respostas costumam ser dadas quando a escalação sai uma hora antes do jogo, onde o Napoli tentará voltar a vencer a Roma, rival na qual não vence desde novembro de 2014, quando venceu no San Paolo por 2 a 0, com gols de Higuaín e Callejón. 

Independente disso, o San Paolo promete ferver neste sábado, visto que já foram vendidos mais de 40 mil ingressos para a partida, e a lotação promete ser máxima para tentar empurrar o Napoli para mais uma vitória na Serie A.

Sarri falou sobre as opções de jogo da partida, especialmente do plano para o ataque napolitano: "Temos mais soluções para substituir Gabbiadini em certas ocasiões. Pode jogar Mertens ou também Callejón, depende do adversário".

Sarri também falou que seria prematuro demais dizer que o Derby seria decisivo: "Depois de oito rodadas é prematuro demais falar em jogo decisivo para a classificação". O comandante também declarou também que "contra a Roma será difícil porque o potencial ofensivo dos giallorossi é de grande nível, assim como o seu técnico Luciano Spalletti. Nós devemos crescer absolutamente nestas partidas".

Roma tenta vencer para assumir a vice-liderança e passar a ser a perseguidora juventina

Para os romanistas o duelo com o Napoli também será tratado com extrema importância. O eterno camisa 10 giallorosso Francesco Totti, que deve começar no banco, chegou a declarar durante a semana que "o duelo definirá quem será o principal adversário da Juventus no campeonato". 

E o time da Roma deve ir com boa parte de seu elenco disponível para a partida no San Paolo. Os desfalques já são de longa data, com Mário Rui com previsão de volta para o começo do ano que vem, e três lesões já perto de recuperação: Os zagueiros Rudiger, Nura e Vermaelen podem voltar a disposição do técnico Luciano Spalletti nas próximas rodadas. Fora isso, o time deve ser quase o mesmo que venceu a Inter na última rodada.

Inicialmente havia a dúvida do técnico romanista entre Florenzi e Nainggolan para saber quem iria começar como titular, com a balança pendendo mais para o lado do italiano. Mas com as ausências posteriormente confirmadas de Strootman e Bruno Peres, ambos devem ser titulares, com o belga sendo meio-campista, e o italiano fazendo a função de lateral-direito no esquema 4-2-3-1. Além disso, não há nenhum pendurado no time da Roma para a partida.

O técnico Luciano Spalletti, ao falar do jogo, elogiou o adversário: "O Napoli é o melhor time da liga. Eles são os melhores, junto com alguns outros times. [São melhores] Como um equilíbrio, como capacidade de reconhecer situações como a continuidade, qualidades como integridade ofensiva e defensiva que eles são os melhores. Seu treinador mostrou ser capaz, é engenhoso, eu o vi treinar. Fez uma contribuição ao futebol, ele fez ver coisas novas, foi eleito pelos jogadores e treinadores como uma boa. Merece os elogios".

Spalletti também falou sobre a saída do diretor-esportivo Walter Sabatini: "Sabatini é uma pessoa de valor. Um que vive com o futebol de manhã à noite. Como eu, se ele não ganha não é feliz. Vi sua coletiva, era bonito e eu entendi até o que ele não disse. Lamento que tenha dito isso: se a equipe tivesse sido capaz de fazer mais resultados e criado condições importantes, provavelmente teria tido algum repensamento [na sua decisão de sair da Roma]. Alguns dos nossos jogos não têm sido a altura de nossas pressuposições. Sinto muito e devo fazer muito melhor do que o que eu fiz até agora".