Berlusconi reitera venda do Milan a grupo chinês e provoca torcida

Presidente, no entanto, disse que problemas com bancos podem atrasar a concretização do negócio

Berlusconi reitera venda do Milan a grupo chinês e provoca torcida
Presidente falou em tom crítico à torcida (Foto: Federico Ferramola/NurPhoto/Getty Images)

O fechamento da venda do Milan ao grupo chinês Sino-Europe Sports deverá mesmo acontecer em 13 de dezembro. Nesta segunda-feira (28), o atual presidente do clube, Silvio Berlusconi, em entrevista à emissora de TV Rai 3, comentou sobre o negócio.

"O Milan já está vendido", disse. "Há dificuldades para os compradores, que ocupam uma posição de valor notável dentro da economia chinesa, no sentido de obter a autorização necessária para a exportação de capital da China", afirmou o empresário.

Berlusconi também afirmou que a conclusão da transação pode ser adiada em um mês ou um mês e meio, devido a possíveis problemas burocráticos com bancos internacionais. Ainda assim, destacou que o adiamento não seria um problema.

Sem prazo definido, Bonaventura e Mati Fernández desfalcam Milan por lesão

Na janela de transferências do verão europeu, os investidores chineses já participaram da movimentação rossonera. O zagueiro Gustavo Gómez e o meia José Sosa chegaram a Milão graças a € 15 milhões ourindos dos futuros donos da equipe.

O ex-primeiro ministro italiano também aproveitou para provocar uma parcela de torcedores do Diavolo que vem o criticando pelas recentes más temporadas dos rossoneri. "Bem, eles vão ser felizes assim: depois de 13 de dezembro, eu vou estar no passado, isso é um fato, e Montolivo ficará fora por mais alguns meses. Assim, de acordo com eles [torcedores], o Milan vai ganhar tudo".

Riccardo Montolivo, ex-capitão da equipe lesionado, há um bom tempo vem sendo criticado pelos torcedores. A fala de Silvio se relaciona com a expectativa de novos tempos no clube, de renovação e volta ao cenário europeu.

Com nova chefia, o Milan receberá nas próximas três temporadas, contando a partir na próxima abertura do mercado no continente, em janeiro, € 350 milhões para investir em seu futebol. Atualmente em boa fase, ocupa a terceira colocação da Serie A, com 29 pontos, a quatro da líder Juventus.