Napoli sofre, mas derrota Hellas Verona e se mantém no topo da Serie A

Napolitanos demoram a marcar, mas na segunda etapa, com gols de Koulibaly e Callejón, chegam à vitória no San Paolo

Napoli sofre, mas derrota Hellas Verona e se mantém no topo da Serie A
Foto: Carlo Hermann/AFP
Napoli
2 0
Hellas Verona
Napoli: Reina; Hysaj, Albiol (Maksimovic), Koulibaly, Mario Rui; Allan, Jorginho, Hamsík (Zielinski); Callejón, Mertens, Insigne (Rog).
Hellas Verona: Nicolas; Cáceres, Caracciolo, Heurtaux, Ferrari; Rômulo, Buchel, Bessa, Fares; Verde (Felicioli), Kean (Pazzini).
Placar: 1-0, min. 66, Koulibaly. 2-0, min. 78, Callejón.
ÁRBITRO: Abisso (ITA) Cartões amarelos para: Rômulo (V) Cáceres (V) Ferrari (V)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 20ª rodada da Serie A, no estádio San Paolo, em Nápoles.

Neste sábado (6), na rodada do feriado da Epifania na Serie A, o Napoli sofreu, mas venceu por 2 a 0 o Hellas Verona. Os gols da vitória foram marcados na segunda etapa. O zagueiro Kalidou Koulibaly e o meia-atacante José Callejón tiraram os napolitanos do sufoco na partida.

Com o resultado, o Napoli se manteve no topo, com 51 pontos, enquanto o Hellas Verona segue na vice-lanterna, tendo alcançado  apenas 13 pontos. Depois de uma pausa de duas semanas, o campeonato voltará somente no dia 21 de janeiro.

Napoli pressiona, mas não marca

Nos primeiros minutos, o Napoli fazia seu jogo de toque de bola, mas não conseguia chegar com tanto perigo ao gol de Nicolas. Aos 16 minutos, a primeira grande chance saiu em cruzamento de Insigne, que Nicolas saiu mal, Mertens só tocou, a bola acabou batendo na trave. Aos 21, foi a vez de Insigne gerar perigo, em uma jogada individual a seu estilo, girando pra cima do zagueiro e chutando bem, mas a bola foi pra fora.

A partir daí, as oportunidades se resumiram em chutes que iam alto demais, como o chute de Insigne dentro da área após jogada de Callejón e Allan aos 31 minutos, e como o chute de fora da área de Allan aos 41 minutos. O Verona não arriscou contra a meta de Reina, e a primeira etapa terminaria sem gols.

Pressão napolitana dá resultado, e vitória sai na segunda etapa

Foto: Carlo Hermann/AFP
Foto: Carlo Hermann/AFP

Na segunda etapa, tudo se resumia ao retrato do primeiro tempo. O time de Maurizio Sarri pressionando o tempo inteiro, e o time de Fabio Pecchia se fechava como podia. Logo aos dois minutos da segunda etapa, após triangulação, a bola sobrou pra Insigne na esquerda, que bateu cruzado, mas Nicolas defendeu.

Os veroneses tentaram mudar com Pazzini em campo, mas os napolitanos pressionavam. Aos 14, bola na trave em cabeçada de Insigne. No minuto seguinte o Napoli até marcou com Mertens, mas Callejón, que cruzou a bola para o belga, foi flagrado em posição de impedimento, o que inviabilizou a festa azzurra.

O alívio napolitano só veio aos 21 minutos. Em escanteio da direita, Koulibaly subiu sozinho e ganhou de toda a equipe gialloblù no alto pra colocar o Napoli na frente do marcador. Os veroneses reclamaram de falta, mas o árbitro não viu contato entre Koulibaly e o goleiro Nicolas, e o gol foi validado, para a festa de um San Paolo lotado, finalmente colocando justiça no marcador em relação ao domínio do time da casa no jogo até ali.

No dia de Reis na Itália, viria também o presente de Callejón aos torcedores do Napoli aos 32 minutos, o espanhol aproveitou cruzamento de Insigne da esquerda e bateu de carrinho, contando com a colaboração do goleiro brasileiro Nicolas. Placar ampliado para os napolitanos, e um gol com significado duplo para o espanhol: Callejón se tornou o maior artilheiro espanhol na história da Serie A, marcando 53 gols, contra os 52 de Luis Suárez, craque da Inter nos anos 60. Além disso, quebrou um jejum de quase dois meses e meio. Havia marcado pela última vez em outubro, contra o Sassuolo.

O Verona só teve uma chance nos minutos finais, aos 38 da segunda etapa, quando Hysaj falhou na frente de Pazzini, que chutou em cima de Reina, que defendeu, com susto. Dali em diante, foi só esperar o apito final do árbitro pra comemorar a vitória antes da pausa do campeonato.