Callejón se torna maior artilheiro espanhol da história da Serie A

O atacante do Napoli superou a lenda da Internazionale Luiz Suarez, com 52 gols

Callejón se torna maior artilheiro espanhol da história da Serie A
(Foto: NurPhoto/GettyImages)

No último dia sábado (06) o Napoli venceu a equipe do Hellas Verona no estádio San Paolo, pelo placar de 2 a 0. Com o resultado o clube fez a manutenção da liderança da Serie A, com 51 pontos, 1 a mais que a vide líder Juventus. O atacante José Maria Callejón marcou o segundo tento dos azzurri na partida. Com o gol, Callejón se tornou o maior artilheiro espanhol da história da Serie A.

O atacante Partenopeo superou a marca do lendário jogador da Internazionale Luis Suarez, vencedor do Ballon d'Or em 1960, que atuando na terra da bota marcou 51 gols, contando partidas pelos Nerazzurri e também pela Sampdoria. Suarez conquistou três Scudettos e duas copas europeias jogando com a camisa do time de Milão.

+ LEIA MAIS:  A contribuição de Callejón para o sucesso do Napoli

Callejón chegou ao Napoli em  2013 em uma transferência junto ao Real Madrid. Foram necessárias 170 partidas no campeonato italiano para que o espanhol quebrasse o recorde.

Desde sua primeira temporada, o atacante superou a desconfiança e conquistou seu espaço na equipe do sul da Itália. Nas primeiras temporadas, atuando ao lado do argentino Gonzalo Higuaín, Callejón chegou a liderar a artilharia da Serie A por alguns momentos. Com a chegada de Maurizio Sarri e a saída de Higuaín, porém, o espanhol teve de se readaptar e assumir uma função tática diferente, assumindo responsabilidades defensivas maiores e tornando-se mais um construtor de jogadas do que finalizador. Ao lado do belga Dries Mertens e do italiano Lorenzo Insigne, Callejón forma hoje o trio de ataque mais poderoso da Itália, que apenas em 2017 marcou incríveis 96 gols, apenas na Serie A.

O Napoli de José Maria Callejón conta com seus gols para destronar a Juventus como pentacampeã da Itália. O último título dos partenopei foi na temporada de 1989/1990, quando a equipe ainda era liderada em campo por Diego Maradona.