Saída do Reino Unido da União Europeia afetará clubes ingleses; entenda

Com a medida aprovada, a Premier League será diretamente afetadas pela decisão, sofrendo com problemas econômicos e burocráticos

Saída do Reino Unido da União Europeia afetará clubes ingleses; entenda
(Foto: Reprodução/Telegraph)

Reino Unido votou nesta quinta-feira (23) no referendo 'Brexit', (Britain-Exit), onde decidiu se o grupo de nações permaneceria, ou não, como membro da União Europeia. Com a medida aprovada, a Premier League será diretamente afetadas pela decisão, sofrendo com problemas econômicos e burocráticos. 

Tendo ciência dos fatos, os 20 clubes integrantes da primeira divisão inglesa já manifestaram-se publicamente à favor da continuidade do Reino Unido na União Europeia, mas nada que pudesse alterar a situação que já aparenta ser irreversível.

Com a vitória do "Brexit", problemas como a obrigatoriedade dos vistos trabalhistas, a desvalorização da moeda (Libra) e a perda de competitividade perante à Europa no mercado de transferências, criaria um cenário de caos para a Premier League. Entenda:

Problemas com visto esvaziaria a Premier League

Até o momento, qualquer jogador que tenha um passaporte com visto da União Europeia pode viver e jogar na Grã-Bretanha sem necessidade de um visto de trabalho. Com a saída, será preciso um registro local para trabalhar no país, dificultando as contratações de jogadores europeus. São mais de 400 nas ligas do Reino Unido.

Para obter o visto, o jogador precisaria atuar em 20% dos jogos da seleção de seu país naquela temporada. Na Premier League, atualmente cerca de 125 dos 199 atletas não cumpre este pré-requisito. Nomes como Bellerin, Coquelin, Nasri, Jesús Navas, Juan Mata, Payet, Zouma, Mahrez, Azpilicueta, De Gea, Oscar e Firmino não teriam mais condições de jogar na Inglaterra.

Aumento das transferências e baixa competitividade

Saindo da União Européia, a Libra (£) - moeda do Reino Unido - ficaria enfraquecida perante à Europa. Em termos de mercado, o preço para compra de jogadores de outros países aumentaria consideravalmente. Enquanto potências como Real Madrid e Barcelona pagariam um valor X para adquirir um jogador Y, as equipes do Reino Unido teriam de desembolsar quantias maiores pelo mesmo atleta.

A situação também é ruim também se pensarmos no caso contrário. Com a Libra enfraquecida, o valor dos jogadores da Premier League estarão mais baratos para possíveis transferências diante de toda a Europa. Ou seja, se os clubes do Reino Unido estipulam um valor X para venda do jogador Y, a quantia será consideravelmente menor para todos os clubes de fora que desejam comprá-lo.

Transferência de menores de 18 anos será proibida

Está no estatuto da Fifa a proibição de qualquer transferência de jogadores com idades menores que 18 anos. Porém, a exceção é justamente relacionada à União Europeia, onde a faixa etária mínima é de 16 anos. Sendo assim, a Premier League ficará incapacitada de contratar jovens jogadores do restante da Europa. 

Inicialmente não parece um fator muito grave, mas casos recentes como de Paul Pogba, ou mais antigos como Césc Fábregas, mostram que a Premier League perderia tal vantagem perante aos outros países. Antigamente, os clubes ingleses eram acusados de aliciamento devido a tais transferências, mas se escoravam no estatuto da Fifa para se defender. Agora não será mais possível.