Na estreia de Allardyce, Lallana marca no fim e Inglaterra bate Eslováquia pelas Eliminatórias

Eslovacos jogaram com um a menos durante quase todo o segundo tempo, mas só tomaram o gol no fim

Na estreia de Allardyce, Lallana marca no fim e Inglaterra bate Eslováquia pelas Eliminatórias
Foto: Dan Mulan / Getty Images
Eslováquia
0 1
Inglaterra
Eslováquia: Kozácik; Pekarík, Skrtel, Durica, Hubocan; Pecovsky (Gyömbér 56'); Mak (Kubik 72'), Gregus, Hamsik, Svento (Kiss 78'); Duris.
Inglaterra: Hart; Walker, Cahill, Stones, Rose; Dier, Henderson (Alli 64'); Lallana, Rooney, Sterling (Walcott 71'); Kane (Sturridge 82').
ÁRBITRO: Molirad Mazic (SRB). Amarelos: Skrtel 24'. Vermelhos: Skrtel 56'
INCIDENCIAS: partida válida pela primeira rodada do grupo f das eliminatórias europeias para a copa do mundo de 2018, realizado em trnava, na eslováquia.

Depois da demissão de Roy Hodson e com a chegada de Sam Allardyce, a Inglaterra voltou a campo pela primeira vez após a eliminação pela Eurocopa. Com uma semana para treinamentos, Big Sam esteve, assim, sob o comando técnico da seleção também pela primeira vez. O resultado, porém, foi um 1 a 0 para o English Team contra a Eslováquia, fora de casa, pela primeira rodada das Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2018, na tarde deste domingo (4), em Trvana, na Eslováquia. Lallana marcou o gol nos acréscimos do segundo tempo. 

O resultado dá a Inglaterra a liderança do Grupo F das Eliminatórias com três pontos ganhos, empurrando a Eslováquia para último. Lituânia e Eslovênia ficaram no empate em outro confronto da chave e Escócia e Malta ainda jogarão. 

Na próxima rodada das eliminatórias, a Eslováquia visita a Eslovênia e a Inglaterra recebe Malta, todos os jogos só no próximo dia oito de outubro, na próxima data Fifa. 

Primeiro tempo é marcado por estudos e lentidão; equipes não saíram do zero

Apesar de jogar fora de casa, os ingleses conseguiram ter maior controle de bola nos minutos iniciais, mas a criação ficou refém apenas de lançamentos longos provenientes do articulador na ocasião Wayne Rooney, mas nada concreto, uma vez que as coisas se estudaram muito no começo. Essa iniciativa inglesa é resultado de estratégia de jogo da Eslováquia, porém, que dá a bola ao adversário, mas ao mesmo tempo não é tanto defensiva quanto a tática sugere.

A ofensiva visitante aconteceu primariamente pelas laterais, sendo esse lado do campo o mais perigoso nos minutos iniciais para a Inglaterra, mas ainda sem a efetividade que espera-se dos times. Nos primeiros 30 minutos, as únicas vezes que as equipes propuseram algo que erguesse o torcedor presente foi em duas transições, característica fundamental da Premier League, contudo, foi uma para cada lado. O produto delas não foi satisfatório, porém.

Aos 37 minutos, o lado esquerdo da defesa inglesa se atrapalhou e a bola sobrou nos pés de Svento dentro da área já, que avançou pelo lado e cruzou, tudo rapidamente, porém Duris não conseguiu alcançar a redonda para empurrar ao fundo da rede. No minuto seguinte, Kane apareceu do outro lado do campo, mas, ao invés de chutar, tocou para trás e Sterling recebeu, tirou da marcação com uma finta e arremantou, mas o esférico foi para fora, passando rente à trave. 

Jogo ganha velocidade, tem expulsão, e Inglaterra marca ao apagar das luzes

Com 10 minutos da segunda etapa, o jogo se apresentava outro, reflexo da agressividade que a Inglaterra encontrou nessa fase inicial da última possível da partida. Havia tentado com Kane que não encontrou ninguém no cruzamento e novamente com o camisa 9 que arriscou chute errado. Aos poucos, o jogo ia tomando um rumo diferente do que foi visto no primeiro tempo, mas ainda com a mesma ineficácia. 

A expulsão de Skrtel aos 11 minutos rendeu ao time inglês a chance de prevalecer no embate, tendo um a mais. Contudo, os eslovacos não se abateram e foram eles que tiveram as duas primeiras chances após o seu capitão ter sido mandado mais cedo para o chuveiro, mas essas oportunidades não foram aproveitadas. A Inglaterra, porém, arriscou duas vezes de fora da área, mas uma foi para fora e a outra o goleiro conseguiu a defesa. 

A proposta de jogo oferecida pela Eslováquia desde a primeira etapa foi mantida para o segundo tempo, principalmente depois da expulsão de Skrtel. Entretanto, após as substituições promovidas por Sam Allardyce, os eslovacos conseguiram ter mais a bola, saindo mais para o jogo, mas ainda sendo refém da bola longa, como a Inglaterra outrora.

Com 31 minutos, os ingleses tiveram três chances seguidas de fazer gol, com Lallana duas vezes e Alli, sendo uma delas explodindo na trave adversária. As tentativas do English Team prosseguiram com alguns chutes ao gol, mas nada eficiente, permanecendo no zero, assim como a Eslováquia até então. Nos acréscimos da segunda etapa, porém, Lallana conseguiu o gol salvador, recebendo na área, limpando marcação e batendo para o gol, contando com ajuda do arqueiro adversário.