Em jogo de seis gols, Celtic e Manchester City ficam no empate pela Champions League

Hoops demonstraram impressionante pressão nos minutos iniciais, mas Citizens conseguiram igualar a partida as três vezes que esteve atrás

Em jogo de seis gols, Celtic e Manchester City ficam no empate pela Champions League
Foto: Mark Runnacles / Getty Images
Celtic
3
3
Manchester City
Celtic: Gordon; Lustig, Toure, Sviatchenko, Tierney; Bitton (Griffiths 84'), Brown, Forrest (Roberts 81'), Rogic (Armstrong 57'), Sinclair; Dembele.
Manchester City: Bravo; Zabaleta, Otamendi, Kolarov, Clichy (Stones 73'); Fernandinho, Gundogan, Silva; Sterling, Nolito (Fernando 76'), Aguero.
Placar: 1-0, min. 3, Dembélé. 1-1, min. 11, Fernandinho. 2-1, min. 20, Sterling (GC). 2-2, min. 28, Sterling. 3-2, min. 47, Dembélé. 3-3, min. 55, Nolito.
ÁRBITRO: Nicola Rizzoli (ITA).
INCIDENCIAS: partida válida pela segunda rodada do grupo c da uefa champions league 2016/2017, realizado no celtic park, em glasgow, escócia.

Na entrevista coletiva pré-jogo, Pep Guardiola afirmou que acreditava que o Celtic viria para o confronto contra o Manchester City da maneira que jogaram contra o Rangers, apresentando agressividade e intensidade. E assim se concretizou. Em jogo impressionantemente eletrizante, Hoops e Citizens terminaram com um empate por 3 a 3 pela segunda rodada do Grupo C da Uefa Champions League, disputado nesta quarta-feira (28), em Glasgow, Escócia. Dembélé duas vezes e Sterling contra foram às redes para os donos da casa enquanto que Sterling, Nolito e Fernandinho marcaram para os visitantes.

O resultado ainda garante o Manchester City na segunda posição na tabela, enquanto que o Celtic pula para o terceiro lugar, com um ponto ganho, uma vez que o Gladbach acabou perdendo para o Barcelona no outro embate da chave. Na próxima rodada, os Bhoys recebem os alemães, enquanto que os Sky Blues viajam para enfrentar os espanhóis. 

Intensidade e quatro gols marcam primeiro tempo

Conforme Pep Guardiola previu, o Celtic entrou com uma estratégia diferente para o jogo contra o City com relação a que entrou contra o Barcelona. A pressão alta, induzindo o adversário ao erro, além de, quando tem a bola, gira-a com objetividade e velocidade, além de uma agressividade enorme. Essa estratégia, de certa forma, recompensou o clube da casa aos três minutos, quando Dembélé recebeu toque dentro da área em jogada de bola parada e só teve o trabalho de colocar a redonda no fundo das redes sem goleiro.

Dois minutos depois, Touré recebeu bola dentro da área, dominou, girou e bateu, desviado para fora. Apesar do grande início do Celtic, os visitantes não desistiram e, tendo maior poderio técnico que o adversário, o usou para conseguiu empatar a partida. Depois de duas tentativas não eficientes, Fernandinho acabou recebendo na área e conseguiu, em jogada rápida, bater para o gol, tirando de Gordon e empatando tudo. Com 13 minutos, Rogic teve cobrança de falta na entrada da área e, no contrapé de Bravo, acabou mandando pra fora. 

Aos 20 minutos, os Hoops tomou a frente novamente. Em uma pane defensiva por parte do City, Rogic aproveitou e avançou. Viu Tierney aparecer na esquerda sozinho, tocou e o lateral tentou cruzamento para a área, mas Sterling se jogou no caminho e acabou indo para fundo gol. Nove minutos depois, Sterling recebeu de Silva depois de roubada de bola do espanhol, driblou Tierney e bateu fraco, porém o suficiente para tirar do goleiro e empatar tudo novamente. 

Quando o relógio marcou 43 minutos na primeira etapa, Gundogan recebeu a bola na entrada da área e bateu com força, mas ao mesmo tempo colocado, porém para fora. 

Em atuação semelhante com o primeiro tempo, fase final tem mais dois gols e manutenção da igualdade

Como começou o primeiro tempo, aconteceu no segundo. Loco com dois minutos, Tierney cruzou para a área, Dembélé dominou com a coxa, e bateu girando no improviso, vencendo Bravo e desempatando a partida novamente. Passados mais dois minutos, Nolito apareceu na direita, fez boa jogada individual e bateu pro gol, mas acabou sendo defendido. Em cruzamento na área no quinto minuto, Gordon falhou e a bola sobrou para o espanhol novamente, que bateu e Lustig apareceu no caminho para afastar. 

Com 10 minutos, Agüero tabelou com Silva, que acabou tocando para o argentino em um espaço curto. Na sequência, o camisa 10 chutou cruzado para defesa de Gordon. Na sobra, Nolito aproveitou e bateu pro fundo do gol, empatando a partida pela quarta vez no dia, contando com o placar inicial. O jogo passou a ser menos intenso, como foi no primeiro tempo, o que acaba sendo natural pelo físico dos atletas, que é bem exigido numa intensidade alta.

Apesar da estatística mostrar uma posse de bola quase que igual para os dois lados, o City foi quem acabou agredindo mais quando a intensidade diminuiu, mas sem criar nenhuma jogada eficiente para gol. Sem grandes chances no decorrer da partida, o grande embate entre os dois acabou terminando empatado no 3 a 3.