Com homenagens a Willian, Chelsea controla e vence Leicester

Equipe de Stamford Bridge administra completamente o jogo e vence um visitante sem brilho

Com homenagens a Willian, Chelsea controla e vence Leicester
Foto: Shaun Botterill / Getty Images
Chelsea
3 0
Leicester
Chelsea: courtois; azpilicueta, david luiz, cahill; moses (aina, min. 81), pedro (chalobah, min. 67), kanté, matic, hazard (loftus-cheek, min. 81), alonso; diego costa. técnico: antonio conte
Leicester: schmeichel; hernández, huth, morgan, fuchs; amartey, drinkwater; schlupp (mahrez, min. 66), albrighton (king, min. 73); musa (slimani, min. 66), vardy. técnico: claudio ranieri
Placar: 1-0, min. 6, diego costa. 2-0, min. 32, hazard. 3-0, min. 80, moses.
ÁRBITRO: andre marriner (ing). cartões amarelos: huth (min. 26), azpilicueta (min. 50)
INCIDENCIAS: jogo válido pela 8ª rodada da premier league, realizado no stamford bridge, londres

O Chelsea venceu o Leicester por 3 a 0 na manhã deste sábado (15), no Stamford Bridge. A partida, válida pela oitava rodada da Premier League, teve gols de Diego Costa, Hazard e Moses para os mandantes.

O escopo da partida foi praticamente o mesmo nos dois tempos. O Chelsea dominou todas as ações da partida, com sobriedade, frente a um Leicester sem quase nenhuma chance e que começou com Slimani e Mahrez no banco. Os londrinos, com segurança, construiuram o placar sem esforços, com dois gols no primeiro tempo e um no segundo.

Com jogos ainda a serem realizados na rodada, o Chelsea ocupa o quinto lugar da tabela da Premier League, com 16 pontos. O Leicester se mantém em 12°, com oito pontos conquistados até aqui. Os blues enfrentam o Manchester United, em Old Trafford, na próxima rodada, no domingo (23), enquanto o time de Claudio Ranieri recebe o Copenhagen, pela Champions League, na próxima terça-feira (18).

Imponente, Chelsea constrói vantagem sobre inefetivo Leicester

Com os esquema de três zagueiros que Antonio Conte vem implementando desde que chegou, o Chelsea vinha a campo sem poder contar com Fábregas, Oscar e Willian, mas ainda assim com um onze fortalecido. Claudio Ranieri escolheu deixar Mahrez e Slimani no banco, optando por uma formação de mais velocidade e consistência física.

O início do jogo mostrava um Chelsea seguro, mantendo a posse de bola e controlando a partida como queria. O Leicester mal conseguia manter a bola em seus pés, se limitando a fechar os espaços e tentar conter o time de Londres.

Logo aos cinco minutos, Moses apareceu pela direita e tentou um cruzamento, que foi desviado e quase enganou Schmeichel, que agiu bem mandando para escanteio. No lance de bola parada, Hazard cobrou, Matic desviou na primeira trave e Diego Costa, livre à frente da pequena área, bateu forte para abrir o placar na partida. Na comemoração, o hispano-brasileiro fez um W com as mãos, em homenagem ao meia Willian, que perdeu a mãe nesta semana.

O gol não mudou o panorama da partida. A saída de bola do Leicester não conseguia produzir nada de efetivo e o time da casa conseguia girar bem a bola, sem sofrer grandes perigos. Aos 18 minutos, Kanté lançou grande bola para Hazard. O belga apareceu de frente para Schmeichel mas, com a bola alta, tentou bater de primeira e errou totalmente o chute.

Aos 27 minutos de partida, o Chelsea assustou novamente os visitantes. Em falta sofrida por Hazard, David Luiz cobrou direto e a bola voou até o encontro entre a trave e o travessão e por pouco não entrou para consagrar um golaço do brasileiro.

O Chelsea continuava a executar suas ações com muita segurança e sobriedade, frente a um Leicester totalmente inefetivo. Tanto foi assim que, aos 32 minutos, Matic tentou lançar Pedro entre os zagueiros e a bola passou por entre dois marcadores do Leicester. Pedro, caído, conseguiu chuta a bola para frente e Hazard se viu de frente para o gol. O belga passou por Schmeichel e bateu de perna direita para ampliar o placar. Comemorando, o belga também homenageou Willian.

Vardy e Musa não participavam do jogo no primeiro tempo, fazendo com que o Leicester parecesse um time que jogava com menos jogadores do que os 11 que deveria. A equipe de Antonio Conte controlava com muita propriedade a partida, enquanto os homens de Claudio Ranieri se viam sem soluções.

Apenas nos dez minutos finais do primeiro tempo, o Leicester pareceu acordar para a partida. Com jogadas pelos lados e muitos cruzamentos, os visitantes tentavam fazer um gol ainda na primeira parte do jogo. Apesar disso, aos 40 minutos, David Luiz, em outra falta perto da grande área, bateu forte e obrigou Schmeichel a fazer grande defesa. O lance foi o último de perigo em um primeiro tempo de total domínio do Chelsea e total inefetividade do Leicester, que não conseguiu finalizar uma vez se quer.

Leicester não oferece reação e Chelsea consegue ampliar o marcador

Sem alterações, os dois times vinham para a segunda etapa com visões diferentes do que poderia ser a partida. O Chelsea tinha placar sólido a seu favor e precisava apenas administrar para vencer sem dificuldades. O Leicester, que não havia jogado no primeiro tempo, precisava de se recolocar na partida se quisesse ainda sonhar com algo a mais no jogo.

O primeiro lance de perigo da segunda parte viria apenas aos 11 minutos. Moses foi lançado em contra-ataque do Chelsea após escanteio do Leicester. Na intermediária, o nigeriano, sozinho, bateu cruzado mas Schmeichel fez ótima defesa, impedindo que o placar fosse ampliado.

O Leicester teve sua primeira chance de gol com participação de um jogador do time adversário. Aos 18 minutos, Albrighton chegou pela direita e cruzou rasteiro. David Luiz, na primeira trave, deu um carrinho e a bola se desviou para trás, carimbando a trave de Courtois e quase fazendo um gol contra.

Aos 21 minutos, Claudio Ranieri colocou, de uma vez, em campo as duas estrelas que figuravam no banco de reservas. Islam Slimani e Ryad Mahrez entravam em campo com a missão de melhorar a produção ofensiva da equipe, que havia sido nula até então.

Por volta dos 25 minutos, Diego Costa dominou bola na intermediária e tentou o drible, sem sucesso. As câmeras focaram o brasileiro, que parecia discutir com alguém no banco, fazendo gestos de substituição.

O Chelsea teve grande chance de ampliar o placar aos 27 minutos. Kanté lançou Diego Costa na direita e o atacante bateu cruzado. Schmeichel afastou e, na volta, Kanté bateu e, a queima roupa, Morgan desviou para escanteio, salvando o time do King Power.

O espaço para as jogadas ofensivas do Chelsea era tão grande que até Matic teve chance de marcar. Aos 32 minutos, o volante dominou bola na direita da intermediária e foi levando, aos trancos e barrancos, até o chute, defendido muito bem pelo dinamarquês Schmeichel. Dois minutos depois, o Chelsea matou a partida. Moses correu pela direita e tocou para Chalobah. O jovem devolveu de calcanhar e Moses, de frente para Schmeichel, não perdoou e arrematou o 3 a 0.

Após o gol, o jogo correu em banho-maria, confirmando uma boa vitória do Chelsea diante de um Leicester que parecia estar pensando mais na Champions League do que propriamente na partida da Premier League.