Liverpool para em De Gea e empata sem gols com Man United após 11 anos

Goleiro espanhol salvou Red Devils em duas oportunidades no segundo tempo em jogo de muitas faltas e poucas chances no Anfield

Liverpool para em De Gea e empata sem gols com Man United após 11 anos
Foto: Divulgação/Liverpool FC
Liverpool
0 0
Man United
Liverpool: Karius; Clyne, Matip, Lovren, Milner (Alberto Moreno, min. 86); Can, Henderson, Philippe Coutinho; Mané, Sturridge (Lallana, min. 60), Roberto Firmino (Origi, min. 85). Técnico: Jürgen Klopp
Man United: De Gea; Valencia, Bailly, Smalling, Blind; Fellaini, Pogba; Young (Shaw, min. 90+2), Ander Herrera, Rashford (Rooney, min. 77); Ibrahimovic. Técnico: José Mourinho
ÁRBITRO: Anthony Taylor, auxiliado por Simon Bennett e Stephen Child. Amarelos: Bailly, Young, Ibrahimovic (MUN)
INCIDENCIAS: 8ª rodada da Premier League 2016-17, no Anfield Road, em Liverpool, Inglaterra

Em jogo de muitas faltas e pouca inspiração ofensiva, o maior clássico da Inglaterra, entre Liverpool Manchester United terminou sem gols no Anfield. Foi a primeira vez desde 2005 que o duelo teve o 0 a 0 como placar. Após oito rodadas de Premier League, com 17 pontos, os Reds ocupam o 4º lugar, enquanto os Red Devils tem 14, na 7ª colocação.

Na próxima quinta-feira (20), o United entra em campo pela Europa League para enfrentar o Fenerbahçe, às 17h05, no Old Trafford. Pela Premier League, os Red Devils visitam o Chelsea, no domingo (23), às 13h. Já o Liverpool entra em campo no sábado (22) às 14h30, novamente em casa, diante do West Bromwich.

Muita luta e poucas chances no primeiro tempo

Diferente do esperado para um clássico dessa magnitude, foi visto em Anfield um primeiro muito truncado e com raras oportunidades. Com uma escalação ofensiva, o Liverpool teve um início superior, mas o United conseguiu superar esse domínio dos minutos finais sem problemas e equilibrar o jogo.

A primeira jogada mais perigosa dos visitantes veio aos 24, quando Rashford avançou pela direita e cruzou fechado, mas Karius deu um tapa. A melhor chance dos 45 iniciais foi aos 29, do Liverpool. Após uma sequência de troca de passes longa, Henderson levantou para a segunda trave e Firmino desviou de cabeça, mas em cima de De Gea, que não teve dificuldades para segurar.

Foram 16 faltas no primeiro tempo - 11 do United e cinco do Liverpool - e apenas sete finalizações (cinco a dois para os visitantes), com apenas um chute certo de cada time. Assim, em um primeiro tempo de muita luta, mas com muitos passes errados e faltoso, o 0 a 0 permaneceu até o intervalo.

Liverpool cresce, mas para em De Gea

O segundo tempo teve um domínio maior do Liverpool, mas o jogo nunca teve um momento realmente empolgante. A primeira chance da segunda etapa veio aos 13, quando Can lutou dentro da área com dois jogadores após subida e passe de Matip e conseguiu finalização de pé esquerdo, mas De Gea se esticou e salvou o United.

A entrada de Lallana na vaga de Sturridge nos Reds deu mais movimentação e opções para o ataque de Jürgen Klopp, mas foram poucas chances claras. Pela lado dos visitantes, Pogba tinha liberdade para trabalhar no ataque, mas poucas bolas chegaram. Com apenas 35% posse de bola, o Man United teve seu pior índice de possession na história da Premier League.

A chance mais clara do jogo surgiu aos 25, quando Coutinho fez jogada individual pelo meio e arriscou chute colocado de fora da área, porém outra vez De Gea apareceu para fazer grande defesa e evitar o primeiro do jogo. O jogo terminou com 34 faltas - 20 do United e 14 do Liverpool -, e apenas seis chutes certos - quatro a dois a favor dos mandantes.

Nem a entrada de Rooney no United mudou o panorama do jogo e, enquanto o Liverpool tentava, parava no bem montado esquema defensivo de Mourinho. Assim, o empate sem gols persistiu até o apito final de Anthony Taylor.