Gilberto Silva atesta responsabilidade de Wenger: "Protegerá os jogadores como um pai"

Ex-volante do Arsenal ainda acha que será difícil para qualquer técnico substituir Arsène

Gilberto Silva atesta responsabilidade de Wenger: "Protegerá os jogadores como um pai"
Foto: Getty Images

Depois de um período incerto sobre o futuro de Arsène Wenger, o Arsenal renovou com o francês por mais dois anos, mantendo a confiança há mais de 20 anos. O que foi controversamente recebido na torcida dos Gunners, já que uma grande parte são Wenger out, parcela dos torcedores que desejam a saída do técnico.

Gilberto Silva, que defendeu o Arsenal de 2002 a 2008 e fez parte dos Invincibles, em 2003/04, disse que não está impressionado com a longevidade de Wenger e que ele assume uma figura paterna no clube.

"Ele sempre foi forte, não importa a situação, ele sempre apoiará e protegerá os jogadores.", disse Gilberto sobre o técnico francês. "Ele sempre estará na frente deles, protegerá eles, principalmente quando estiverem sob pressão. É só o estilo dele."

"Ele foi assim na última temporada quando o time tava sofrendo. Ele se comporta como um grande pai à todos, e assume a responsabilidade.", Gilberto elogiou Wenger. "Mas atrás dos bastidores é importante que os jogadores mais velhos tomem responsabilidade e ajudem os mais novos. Agora eles têm uma nova chance, uma nova temporada e nova perspectiva."

Gilberto Silva ainda não se mostrou surpreso com a permanência de Wenger no cargo e destacou a importância do relacionamento de Arsène com o clube.

"Honestamente, não foi uma surpresa pra mim que ele ficou. Ele tem o desejo de continuar e vencer os jogos. É especial porque ele ama o Arsenal também, é muito único e pessoal para ele.", comentou Gilberto em comparação com outros técnicos que têm apenas uma relação profissional com o clube.

"O que vai acontecer é: será muito difícil para qualquer técnico que substituirá Wenger. Porque é um estilo particular estilo e filosofia, todos teriam que se adaptar a um novo treinador.", completou o ex-meia do Arsenal, na esperança de que o clube se prepare cedo para melhor substituir Wenger.

Inglaterra