Arsenal 2017/18: Enfim, chegou a hora?

Depois de temporadas abaixo do esperado, Gunners se reforçaram para a atual época, mantiveram suas estrelas e a expectativa aguardada é ainda maior

Arsenal 2017/18: Enfim, chegou a hora?
Arte: Hugo Alves/Editoria de Arte

O torcedor do Arsenal começa mais uma temporada cercado de expectativas e, ao mesmo tempo, receoso com novos fracassos, tão constantes nos últimos anos. Embora não fosse mais uma unanimidade pela torcida, o técnico Arsène Wenger permaneceu no comando e tem o desafio de mostrar que ainda é capaz de conduzir o clube a grandes conquistas. O principal alvo do treinador é o título da Premier League, que não vai para time do Norte de Londres desde 2003/04, e o retorno à Uefa Champions League.

Pré-temporada

Durante a pré-temporada, o Arsenal realizou seis amistosos. Primeiro, viajou até a Austrália para enfrentar o Sydney FC e o Western Sydney Wanderers, vencendo por 2 a 0 e 3 a 1, respectivamente. Depois, foi para a China, onde ganhou do Bayern de Munique, nos pênaltis, após o empate por 1 a 1 no tempo normal, pela Champions Cup. Ainda em território chinês, acabou derrotado pelo Chelsea por 3 a 0.

Por último, o clube retornou a Londres para disputar a já tradicional Emirates Cup ao lado de Benfica, Sevilla e RB Leipzig. Os portugueses foram os primeiros adversários, sendo derrotados por 5 a 2. No dia seguinte, foi a vez dos espanhóis enfrentarem e, desta vez, vencerem por 2 a 1. Mesmo assim, o Arsenal terminou o torneio como campeão.

Foto: Stuart MacFarlane / Arsenal via Getty Images
Foto: Stuart MacFarlane / Arsenal FC via Getty Images

Mercado de transferências

Conhecido por não se movimentar tanto nos últimos anos durante o mercado de transferências, os Gunners começaram de maneira animadora neste ano. O primeiro reforço desembarcou logo no início da janela. Foi o lateral-esquerdo Sead Kolasinac, de 24 anos. Ele veio sem custos, pois estava em fim de contrato com o Schalke 04. Mesmo com a campanha ruim do clube de Gelsenkirchen, o bósnio chegou com bom cartaz, fazendo parte da seleção da temporada 2016/17 da Bundesliga. Conhecido por sua grande força física, Kolasinac pode atuar também como volante.

E o melhor ainda estava por vir. Chegando do Lyon, o atacante francês Alexandre Lacazette foi contratado por £ 46,5 milhões, tornando-se a maior contratação da história do clube. O valor ainda pode chegar a £ 52,6 milhões por causa de objetivos alcançados. Lacazette veio rodeado de expectativa pelos torcedores em virtude da boa média de gols nas últimas temporadas pelo time francês.

Desde então, o Arsenal concentra suas atenções no jovem winger Thomas Lemar, do Monaco, que faz jogo difícil para vendê-lo enquanto o argelino Riyad Mahrez, do Leicester, parece ser o plano B. Em contrapartida, a barca de jogadores que não estão dentro dos planos segue cheia e o clube parece ter dificuldades em esvaziá-la. De negociação concreta, apenas o goleiro Wojciech Szczesny foi vendido. Os laterais Kieran Gibbs, Mathieu Debuchy, Carl Jenkinson e o atacante Lucas Pérez são alguns dos nomes que aguardam o interesse de outros times.

Lacazette (dir.) e Kolasinac (esq.) chegam para aumentar qualidade de escolha do Arsenal (Foto: Stuart MacFarlane / Arsenal FC via Getty Images)
Lacazette (dir.) e Kolasinac (esq.) chegam para aumentar qualidade de escolha do Arsenal (Foto: Stuart MacFarlane / Arsenal FC via Getty Images)

Nova temporada, velho comandante

Mesmo com pressão de parte da torcida para que deixasse o cargo em virtude da baixa competitividade do time nos últimos anos, Arsène Wenger renovou seu contrato no final da última temporada e seguirá no comando pelos próximos dois anos. Embora não tenha conseguido classificar o time para a Champions League, o ponto a destacar foi a conquista da Copa da Inglaterra em cima do Chelsea. Além disso, na reta final da temporada, Wenger deixou o tradicional 4-2-3-1 para o moderno 3-4-3, tornando a equipe mais competitiva.

Embora o comando siga o mesmo, o staff do Arsenal sofreu algumas alterações. O ex-goleiro Jens Lehmann retornou como auxiliar técnico. Darren Burgess, que trabalhava com rugby na Austrália, é o novo analista de alta performance e Huss Fahmy trabalhará com Dick Law nas negociações de contrato.

Sob risco de sair na temporada passada, Wenger renovou por mais dois anos após vencer a Copa da Inglaterra (Foto: Stuart MacFarlane / Getty Images)
Sob risco de sair na temporada passada, Wenger renovou por mais dois anos após vencer a Copa da Inglaterra (Foto: Stuart MacFarlane / Arsenal FC via Getty Images)

Expectativas

O sucesso do Arsenal na temporada se passa muito pela permanência de Alexis Sánchez e Mesut Özil, que estão no último ano de contrato. A saída do chileno vem sendo muito especulada pela imprensa europeia, mas toda vez que Wenger é questionado sobre assunto, ele bate o pé e diz que o atacante não será vendido. Özil, por sua vez, tem seu nome pouco ligado a uma eventual transferência nesta janela.

Além de mantê-los, o clube precisa de alguns reforços pontuais para que possa se encontrar bem fisicamente para a maratona de jogos entre dezembro e janeiro. Tudo isso, somado as chegadas de Kolasinac e Lacazette, condicionam o clube londrino a brigar pelo título inglês.

Sede por troféus só aumenta para os Gunners (Foto: Nick Potts / PA Images via Getty Images)
Sede por troféus só aumenta para os Gunners (Foto: Nick Potts / PA Images via Getty Images)