"Talvez cometi um erro", diz Wenger sobre demora para renovar com Arsenal

Decisão prolongada pode ter causado impacto negativo no elenco, segundo acredita o francês

"Talvez cometi um erro", diz Wenger sobre demora para renovar com Arsenal
Foto: Getty Images

Arsène Wenger renovou seu contrato por mais dois anos com o Arsenal em maio, depois de um momento de apreensão dos torcedores divididos entre o desejo de permanência ou saída do técnico francês. O treinador, que está a mais de 20 anos no clube, admitiu que demorar para dar um resposta sobre seu futuro pode ter causado um impacto negativo no time.

"É responsabilidade nossa manter uma atmosfera positiva ao redor do time"disse Wenger após vencer a Community Shield, a Supercopa da Inglaterra, em cima do Chelsea neste domingo. "Muito se criou a partir da minha própria situação. Talvez eu cometi um erro", reconheceu.

O Arsenal abrirá a temporada da Premier League enfrentando o Leicester na próxima sexta-feira (11), no Emirates Stadium e Wenger acredita que seu time deve começar forte, diferente das últimas temporadas.

"No geral, acredito que isso está sob nossa responsabilidade. A tendência sempre vem do time. Tivemos uns maus inícios recentemente, nos último quatro anos, no primeiro jogo da Premier League", comentou Wenger.

No último ano, o Arsenal perdeu para o Liverpool na estreia no campeonato inglês, para o West Ham em 2015/16, e no ano anterior, não conseguiu vencer quatro dos seis primeiros jogos.

"Mas tivemos a intensidade nos jogos de preparação e isso precisa estar pronto pra quando a temporada começar pra valer", concluiu Arsène.

Wenger teve seu futuro definido logo após a conquista do título da Copa da Inglaterra ao fim da temporada passada. Até lá, o técnico francês havia decidido aguardar o início das negociações, ainda que tivesse um contrato de sua vontade à mesa. Sua explicação foi a de que as conversas iriam tirar o foco na reta final da época e poderia prejudicar na corrida final por uma vaga na Uefa Champions League - mal sucedida. A renovação foi feita para mais dois anos à frente dos Gunners

Inglaterra