Com objetivo de entrar no G-4, Arsenal visita Watford para manter boa fase

Equipes travam duelo equilibrado pela oitava rodada da Premier League. As duas equipes, na parte de cima da tabela, almejam a entrada no G-4

Com objetivo de entrar no G-4, Arsenal visita Watford para manter boa fase
Arte: Gerson Barbosa/VAVEL Brasil
Watford
Arsenal
Watford: Gomes; Kiko Femenía, Mariappa, Kabasele, Holebas; Doucoré, Capoue; Carrillo, Cleverley, Richarlison; Deeney. Técnico: Marco Silva
Arsenal: Cech; Holding, Koscielny, Monreal; Bellerin, Xhaka, Ramsey, Kolasinac (Mertesacker); Iwobi, Lacazette, Alexis Sánchez. Técnico: Arsène Wenger.
INCIDENCIAS: Partida entre Watford e Arsenal, válida pela oitava rodada da Premier League, disputada no Vicarage Road.

Em um dos duelos mais esperados e equilibrados da oitava rodada da Premier League, Watford e Arsenal se encontrarão, neste sábado (14), às 13h30, no Vicarage Road, em uma “partida de seis pontos” na competição. Vindo de resultados relativamente bons, a equipe do treinador Marco Silva recebe os comandados de Arsène Wenger, que vem se recuperando na liga.

Os Gunners se consolidaram em uma boa fase e já somam quatro partidas sem perder – tendo três vitórias e um empate nesse período. Na última rodada, o Arsenal derrotou o Brighton por 2 a 0, no Emirates Stadium. Com esse resultado, a equipe subiu duas posições e chegou na quinta colocação, com 13 pontos – mesmo número do Chelsea, que está na frente por ter um saldo de gols maior. Dessa maneira, o objetivo da equipe é manter a boa fase e se consolidar no G-4 da competição.

O Watford, por sua vez, conquistou um empate suado na última rodada. Com mais uma grande atuação do brasileiro Richarlison, que fez o gol da vitória, os Hornets foram até o The Hawthorns e saíram com um resultado de 2 a 2 diante do West Bromwich. Dessa maneira, caiu para a 8ª posição, com 12 pontos conquistados.

Watford tenta manter bom retrospecto contra os Gunners em 2017

O Watford é um dos clubes que mais incomoda o Arsenal nos últimos tempos. Eliminou os Gunners da FA Cup da temporada de 2015/16 e venceu o último confronto entre as duas equipes, realizado em janeiro desse ano, por 2 a 1, no Emirates Stadium – partida que gerou muitas críticas ao treinador Arsène Wenger.

Richarlison teve um grande começo de temporada (Foto: Steve Feeney/Action Plus)

Com o intuito de manter essa escrita, o treinador Marco Silva não contará com Nathaniel Chalobah, que terá que operar o seu joelho, Younes Kaboul e Sebastian Prödl – que ainda possui pequenas chances de entrar em campo. Dessa maneira, o português colocará a sua força máxima disponível e por isso o peruano Andre Carillo, mesmo tendo jogado uma exaustiva partida contra a Colômbia durante a semana, deverá estar entre os titulares para esse duelo.

“Sabemos que será muito difícil, mas acreditamos num resultado positivo. Eu tenho certeza que podemos competir. Temos que nos provar novamente. O que fizemos até agora me deixa muito feliz. Conquistamos coisas positivas até agora e reagimos bem após um momento ruim contra o City. Trabalhamos muito nesse intervalo (da Data Fifa) e agora enfrentaremos uma equipe muito boa. Eu acho que a atmosfera no estádio será fantástica.”, disse Marco Silva.

Dúvidas marcam a escolha da equipe titular do Arsenal

Além de jogar fora de casa, Arsène Wenger terá outro grande desafio, já que terá alguns problemas para escalar a equipe. Laurent Koscielny e Sead Kolasinac, que vem mostrando um ótimo futebol nesse começo de temporada, tiveram pequenas lesões, farão testes físicos antes da partida e, obviamente, são dúvidas para o duelo.

Além deles, Shkodran Mustafi, Calum Chambers, Francis Coquelin e Santi Cazorla também reforçarão a equipe do departamento médico do clube. Alexis Sanchez, que jogou pela Seleção Chilena durante o meio da semana, chegou em Londres na quinta-feira (12) e é mais uma dúvida do onze titular. Por outro lado, Mesut Özil e Danny Welbeck se recuperaram de lesões e estão de volta à equipe, mas não devem ser titulares – Iwobi e Alexis deverão formar o onze inicial.

Após uma boa atuação pela Nigéria, Iwobi deve receber chance no time titular (Foto: David Price/Arsenal FC)

Perguntado sobre se a classificação para a Copa do Mundo motivava os jogadores, Wenger disse: “É claro que motiva. Tivemos uma experiência parecida com essa em 1998, quando Petit e Vieira tiveram uma temporada espetacular e foram chamados para jogar a Copa. A mesma coisa com os jogadores holandeses, como Bergkamp e Overmars, então eu penso que o impacto é positivo.”

“Sobre os jogadores que não irão à Copa do Mundo, como Ramsey e Alexis, é uma oportunidade a eles de focar no que eles podem conquistar pelo clube e eu espero que eles possam se recuperar para que todos estejam focados naquilo que queremos conquistar com o resto da equipe.”, completou.