De Gea tem noite de gala, Lingard faz dois, e United vence clássico eletrizante contra Arsenal

Pogba é expulso, Reds Devils são encurralados no fim da partida, mas goleiro espanhol garante vitória em Londres

De Gea tem noite de gala, Lingard faz dois, e United vence clássico eletrizante contra Arsenal
Lingard sai para comemorar o gol que aliviou o United (Foto: Laurence Griffiths/Getty Images)
Arsenal
1 3
Manchester United
Arsenal: Cech; Koscielny, Mustafi (Iwobi), Monreal; Bellerín, Xhaka (Welbeck), Ramsey, Kolasinac (Giroud); Özil, Sánchez; Lacazette. Técnico: Arsène Wenger.
Manchester United: De Gea; Lindelöf, Smalling, Rojo; Valencia, Pogba, Matic, Young (Rashford); Lingard (Darmian), Martial (Ander Herrera); Lukaku. Técnico: José Mourinho.
Placar: 0-1, min. 4, Valencia. 0-2, min. 11, Lingard. 1-2, min. 49, Lacazette. 1-3, min. 63, Lingard.
ÁRBITRO: Andre Marriner (ING). Cartões amarelos: Rojo (min. 58), Bellerín (min. 72). Cartão vermelho: Pogba (min. 74).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 15ª rodada da Premier League, realizada no Emirates Stadium, em Londres, Inglaterra.

Um clássico para ficar na história. Arsenal e Manchester United disputaram, neste sábado (2), um clássico alucinante no Emirates Stadium, em Londres, pela 15ª rodada da Premier League. Os Reds Devils venceram por 3 a 1, e o duelo teve vários destaques.

O goleiro David De Gea teve uma noite de gala, parando 14 finalizações dos adversários. O meia Jesse Lingard marcou dois gols, o meio-campista Paul Pogba foi expulso, e o jogo virou um ataque contra defesa nos minutos finais. O atacante Alexandre Lacazette fez o de honra dos Gunners.

Com o resultado, United alcança 35 pontos, continua na segunda colocação. Os Reds Devils estão a cinco pontos do rival Manchester City, que fecha a 15ª rodada contra o West Ham, neste domingo (3), em casa. Já Arsenal vê o Liverpool, que venceu o Brighton, roubar sua quarta posição. Agora, os Gunners estão em quinto lugar, com 28 pontos.

United e Arsenal darão um pausa na Premier League para focar na última rodada da fase de grupos das competições continentais. Às 17h45 de terça-feira (5), a equipe Manchester receberá o CSKA Moscou, no Old Trafford, pelo Grupo A da Uefa Champions League. Dois dias depois, às 18h05, o time de Londres enfrentará o BATE Borisov, no Emirates Stadium, pelo Grupo H da Uefa Europa League.

Jogo alucinante no primeiro tempo

De Gea realiza uma de suas várias defesas no jogo (Foto: Ian Kington/AFP)
De Gea realiza uma de suas várias defesas no jogo (Foto: Ian Kington/AFP)

A etapa inicial do clássico foi movimentada do início ao fim. Logo aos três minutos, Valencia roubou a bola, tabelou com Pogba e bateu entre as pernas de Cech, abrindo o placar. Pouco depois saiu o segundo dos visitantes. Mustafi deu bobeira no campo defensivo, Lukaku roubou a bola, passou a Martial, o francês deu um tapa e 'consagrou' Lingard: chute cruzado, sem chances para o goleiro tcheco.

Após tomar os dois gols, Arsène Wenger perdeu Mustafi por lesão. Quem entrou no lugar do zagueiro foi o meia-atacante Iwobi. Assim, o time da casa trocou o 3-4-2-1 por um 4-2-3-1. As mudanças surtiram efeito, e o Arsenal passou a pressionar o United, que praticamente abdicou da partida e adotou o contra-ataque como principal arma.

De Gea fez uma grande defesa após Lacazette se jogar em direção à bola na pequena área e finalizar com a sola da chuteira. Aos 31 minutos, um lance inacreditável na área do United. A defesa dos Reds Devils não conseguiu afastar a bola, Lacazette abriu espaço e finalizou. A bola desviou em Rojo e bateu no travessão. No decorrer do lance, Xhaka arrematou de dentro da área à direita da meta do United.

A Arsenal terminou a etapa inicial com 15 finalizações contra apenas cinco do United

O volume de jogo dos Gunners aumentava cada vez mais. Bellerín e Kolasinac chutaram forte de longa distância e colocaram De Gea para trabalhar. No último lance do primeiro tempo, o camisa 1 do United ainda impediu um gol contra de Lukaku.

Arsenal encurrala, mas United sai vencedor

O Arsenal não tirou o pé do acelerador no retorno do intervalo e continuou sufocando o United. Quatro minutos depois do reinício da partida, os Gunners enfim diminuíram. Sánchez achou Ramsey infiltrando na defesa dos Reds Devils, o camisa 8 escorou a Lacazette, que fuzilou as redes: 2 a 1.

Após muito insistir, Lacazette supera De Gea (Foto: Adrian Dennis/AFP)
Após muito insistir, Lacazette supera De Gea (Foto: Adrian Dennis/AFP)

O ritmo do clássico era alucinante. Não havia tempo nem para respirar sem que o Arsenal achasse espaço na defesa do United e colocasse o goleiro De Gea para sujar o uniforme. O time de José Mourinho, porém, não estava abatido, e Lingard teve a chance de fazer o terceiro: saiu cara a cara com Cech, finalizou cruzado, o goleiro defendeu com o braço direito, a bola tocou na trave, e a defesa afastou.

Mas a noite em Londres era do espanhol De Gea. Num intervalo de três minutos, o espanhol realizou três intervenções milagrosas. Iwobi soltou uma pedrada de fora da área, e o camisa 1 espalmou. As outras duas foram ainda mais monstruosas. Lacazette soltou um foguete de canhota, De Gea defendeu; no rebote, ele também parou o chute à queima-roupa de Sánchez.

O gol de empate já estava maduro, mas quem balançou as redes foi o United. Em contragolpe mortal, Lingard começou a jogada no campo de defesa, passou a Pogba, o meio-campista segurou a bola, avançou até o fundo da área e encontrou o próprio Lingard, absolutamente sozinho, para escorar às redes.

Lingard fez 3 a 1 após grande jogada de contra-ataque (Foto: Laurence Griffiths/Getty Images)
Lingard fez 3 a 1 após grande jogada de contra-ataque (Foto: Laurence Griffiths/Getty Images)

Embora o Manchester United tenha feito mais um gol, o Arsenal não se abalou e continuou em cima. De fora da área, Sánchez tentou superar De Gea, mas não obteve êxito. A situação dos londrinos melhorou quando Pogba deu uma entrada forte em Bellerín e foi expulso.

Com o camisa 6 do United fora de jogo, Mourinho sacou Lingard para a entrada do lateral Darmian. Já Wenger foi para o tudo ou nada: trocou o lateral Kolasinac e o meio-campista Xhaka pelos atacantes Welbeck Giroud. Com essas substituições, os últimos dez minutos do clássico foram um legítimo ataque contra defesa. O Arsenal insistia, mas não conseguiu superar o "ônibus estacionado" montado por Mourinho. Por fim, o elétrico clássico terminou com vitória do United.