Polícia anuncia investigação do caso de racismo contra Sterling e encara como crime de ódio

Meia-atacante inglês sofreu agressões físicas e verbais quando chegava no centro de treinamento no sábado (16); agressor ainda não foi identificado

Polícia anuncia investigação do caso de racismo contra Sterling e encara como crime de ódio
Atleta de 23 anos foi fundamental na vitória sobre o Tottenham, no sábado (Foto: Victoria Haydn / Manchester City via Getty Images)

Quando Raheem Sterling chegou no centro de treinamento do Manchester City no último sábado (16) para o jogo contra o Tottenham, acabou sofrendo racismo de um torcedor. Tendo conhecimento do caso no domingo (17), a Polícia da Grande Manchester já está investigando-o. 

De acordo com uma nota lançada pela polícia, ainda não se tem uma definição da situação, embora esteja sendo encarado como um crime de ódio. Nada ainda está muito esclarecido, visto que a investigação ainda está começando. 

Sterling é vítima de racismo na chegada ao centro de treinamento do Manchester City

Veja a íntegra da nota: "No domingo, 17 de dezembro de 2017, a polícia ficou sabendo que um jovem de 23 anos sofreu injúrias raciais na entrada de Clayton Lane, no sábado, 16 de dezembro de 2017. Embora não se tenha uma definição, estamos encarando como um crime de ódio. E crimes de ódio não serão tolerados na Grande Manchester"

Entenda o caso

Quando chegava na academia de futebol do Manchester City, o carro de Sterling foi parado por um homem que ainda não foi identificado. Quando o meia-atacante de 23 anos saiu do veículo para tentar entender o que aconteceu, acabou sofrendo agressão física, quando recebeu um chute, e verbal, quando proferiu-se palavras racistas contra o ex-jogador do Liverpool.

A resposta do atleta veio dentro de campo, ajudando na vitória do Manchester City sobre o Tottenham por 4 a 1, fazendo dois gols. O Raheem também é peça fundamental no esquema de Pep Guardiola, que vem em uma sequência de 16 vitórias seguidas na Premier League, um recorde.