Emprestado ao Valencia, Andreas Pereira diz que Ferguson influenciou sua ida ao United

Em entrevista ao 'The Guardian', brasileiro falou sobre sua carreira no futebol e 'paixão' pelo clube inglês

Emprestado ao Valencia, Andreas Pereira diz que Ferguson influenciou sua ida ao United
Foto: Manuel Queimadelos Alonso/Getty Images

Andreas Pereira pode não ser um dos jogadores brasileiros mais famosos na Europa, mas tem, sem dúvidas, boas histórias para contar. Com apenas 22 anos, o meia já passou pelo PSV e atualmente joga pelo Valencia, emprestado pelo Manchester United

Em entrevista ao portal do The Guardian, o jovem futebolista falou sobre sua história no futebol. Desde influências parentais até experiências com treinadores distintos, Pereira já viveu momentos de incerteza, mas espera melhorar cada vez mais e continuar para sempre como um Red Devil.

Sua história com o United começa aos 15 anos, quando ele e seu pai visitavam o Centro de Treinamento do clube com um funcionário. Na ocasião, eles passaram pelo lendário técnico Alex Ferguson, que cumprimentou-os em português. Tal fato foi, sem dúvidas, muito marcante para ele.

"De repente, nós encontramos o Ferguson. Ele disse 'oi' em português e aquilo foi muito especial. Eu não esperava. Me perguntei como ele sabia. Era só um detalhe, mas me fez querer ir direto pro United. Então, eu fiquei e nunca mais quis sair. 

Foto: Robbie Jay Barratt - AMA/Getty Image
Foto: Robbie Jay Barratt - AMA/Getty Images

Na época, Pereira tinha 15 anos. Hoje tem 22, e as coisas não correram como esperava. Ele já foi emprestado ao Granada e, atualmente, joga no Valencia, ambos times espanhóis. De qualquer forma, tais transferências foram pedidas por ele, já que acredita que pode voltar a desempenhar um bom futebol e evoluir.

Andreas conta que algo muito importante para sua carreira no futebol começar bem foi a influência de seu pai, Marcos Pereira. O ex-atacante jogou em oito clubes belgas e encerrou sua carreira justamente onde seu filho começou a jogar: Lommel United.

"Meu pai me mostrou vídeos de como eu tinha que jogar. Quando eu estava no PSV, chegava em casa do treinamento e íamos treinar lá, onde eu praticaria escanteios e faltas. Depois dos jogos, ele falava: 'Você tem que fazer isso, fazer aquilo'. Às vezes eu ficava, tipo: 'Ah, só cala a boca, não quero falar sobre futebol'. Mesmo assim, eu sempre ouvia e ele explicava que era para meu próprio bem."

Pereira conta ainda que tal tradição ainda existe. Depois das partidas, seu pai costuma ligar para o atleta e perguntar: "Por que você fez aquilo?". Assistindo os jogos na televisão, as discussões e ajudas sempre existem entre eles.

"Meu pai sempre me fala o que fazer e o que não fazer em campo. Sempre me dá conselhos. Só que vir à Espanha foi uma decisão minha. Eu queria ir para algum lugar e jogar uma temporada inteira, porque pensei que seria importante para mim. Ano passado fiz isso e me senti bem, mais forte."

Foto: fotopress/Getty Images
Foto: fotopress/Getty Images

"[Quando voltei do primeiro empréstimo], o pessoal do United percebeu que eu estava melhor, e por isso fiz a mesma escolha este ano. Primeiro, estava pensando em ficar, mas tinha aquela sensação: 'eu acho que não vou ter muitos minutos'. Tenho que continuar jogando, me desenvolvendo. Foi uma decisão difícil. Não quero sair do United, mas quero jogar. No final, isso vai me fazer melhor jogador e continuarei sendo um Red Devil."

Nem tudo foi aceito com tranquilidade, no entanto. O técnico do Manchester, José Mourinho, tinha traçado uma trajetória diferente para Pereira, e a decisão do brasileiro poderia ser arriscada.

"Ele me disse que eu tinha que ficar, mas eu queria jogar e ter minutos. Ele queria que eu permanecesse e que eu era importante, mas eu precisava fazer aquilo. Tenho certeza que, se funcionar, estarei de volta lá e será melhor para nós dois. Acho que ele está feliz porque é um treinador muito honesto."

"Eu tive essa chance porque o Valencia me queria. É um grande clube e conseguimos ir bem, como estamos mostrando. (...) Se eu conseguir jogar futebol em um alto nível e ter um bom ano, então estarei pronto para ser titular no United em vez de ficar no banco e ficar frustrado. É por isso que tomei essa decisão. E é por isso que tenho certeza que Mourinho está feliz, porque sabe que voltarei no fim da temporada."

Durante seu período em Manchester, Andreas disputou apenas 13 jogos na equipe profissional, marcando um gol, em 2015. Pelo Valencia, o brasileiro já entrou em campo 23 vezes durante o período do empréstimo, com um tento marcado e cinco assistências concedidas.