São Paulo ensaia goleada, mas sofre com altitude e perde para o Bolívar

Não foi como o São Paulo esperou, mas a classificação veio. O Tricolor chegou a abrir 3 a 0 no primeiro tempo, mas, cansado na altitude, levou a virada. 4 a 3 para o Bolívar, sofrimento são paulino na altitude, mas vaga garantida para o Grupo 3 da Libertadores, que também terá Atlético-MG, The Strongest e Arsenal. O São Paulo, inclusive, ainda voltará a jogar no estádio Hernando Siles, quando enfrentar o Strongest.

São Paulo toma conta do primeiro tempo
O São Paulo teve duas mudanças do time que goleou no Morumbi. Paulo Miranda, que estava suspenso, voltou à lateral direita, setor onde ganhou muito destaque no fim do ano passado. Douglas, lateral titular na semana passada, foi adiantado para o ataque, no lugar de Aloísio, que foi bem na última partida, mas foi para o banco. Desse jeito, o São Paulo logo matou o jogo. Jadson cobrou escanteio e Luís Fabiano subiu sozinho para marcar 1 a 0, logo aos dois minutos de jogo. Tranquilidade para o tricolor paulista, que precisava levar sete gols para não se classificar, mas quis aumentar a conta. Osvaldo cruzou e Jadson, após boa jogada, finalizou no canto do goleiro Arguello.

A partir daí, o jogo caiu de produção. Um lance perigoso com Álvarez, que mandou a bola na trave de Rogério Ceni, mas poucas oportunidades. O Bolívar, sabendo que não tinha chances, tocava a bola, enquanto o São Paulo visivelmente se poupava, a não ser por dois jogadores: Jadson e Osvaldo, os melhores em campo na primeira etapa, fizeram tabela e o camisa 10 deu mais uma assistência na partida, dessa vez para o atacante finalizar bem e marcar o terceiro, aos 34 minutos. O Bolívar, não querendo ser humilhado em casa, foi pra cima na sequência, e diminui: bola de Lizio para Fernandes, que bateu cruzado e diminuiu.

O Bolívar ainda tentou mais duas vezes, com perigo, até o fim do primeiro tempo, mas não conseguiu chegar perto do gol defendido por Ceni.

Bolívar aproveita cansaço tricolor e vira o jogo
Após duas substituições no intervalo, o Bolívar foi pra cima. Depois de Ney Franco tirar Luís Fabiano, preocupado com o físico e para evitar qualquer cartão do atleta, o time da casa conseguiu o segundo gol. Yecerotte cruzou para a área e Cabrera, sozinho, cabeceou pro fundo do gol. O Bolívar continuou na frente, e conseguiu empatar a partida com o mesmo Cabrera, também de cabeça.

O São Paulo relaxou e, visivelmente cansado, deu mais espaço ainda para o time da casa. E o Bolívar aproveitou: Rhodolfo colocou a mão na bola e cometeu pênalti. Ferreira bateu bem e virou o jogo, depois de estar perdendo por 3 a 0.

Depois do quarto gol, o próprio Bolívar diminuiu o ritmo, e o jogo foi caminhando para o final. 4 a 3 para os donos da casa, mas classificação para o São Paulo. 

VAVEL Logo