Especial: Os confrontos das oitavas de final da Libertadores
Arte: Walter Paneque/VAVELcom

Depois de mais de dois meses de disputa e diversas mudanças na tabela até o último minuto da última partida da fase de grupos, foram definidos os confrontos das oitavas de final da Copa Libertadores da América.

O principal destaque será a reedição da grande final da Libertadores de 2012, entre Corinthians e Boca Juniors. Atlético Mineiro e São Paulo farão o único duelo entre clubes brasileiros. O Palmeiras enfrentará o Tijuana, do México, dono da melhor campanha entre os segundos colocados. O Fluminense jogará contra o Emelec, do Equador, enquanto o Grêmio vai até a Colômbia enfrentar o Independiente de Santa Fé.

Atlético Mineiro x São Paulo

Dono da melhor campanha da primeira fase, com 5 vitórias em 6 partidas disputadas, o Atlético Mineiro terá pela frente o São Paulo, dono da pior campanha entre os classificados para as oitavas de final. Ambas as equipes se enfrentaram ainda na fase de grupos e cada equipe venceu uma partida.

Na estreia dos times na competição, o Galo venceu por 2 a 1 no Estádio Independência, em Minas Gerais. Na última rodada, o São Paulo precisava desesperadamente da vitória no Morumbi para se classificar e o placar de 2 a 0 colocou o Tricolor nas oitavas. Agora, as equipes voltam a se enfrentar no mata-mata, com o primeiro jogo sendo disputado em São Paulo e a volta em Belo Horizonte.

Fique de Olho

Atlético-MG: Depois de uma passagem ruim pelo Flamengo, Ronaldinho Gaúcho voltou a encontrar o seu bom futebol com a camisa do Galo e é o principal criador de jogadas do Alvinegro, além de ser responsável pelos lances mais plásticos e que todo torcedor gosta de ver.

São Paulo: Na ausência do goleador Luis Fabiano, suspenso da primeira partida, Jadson assume a condição de principal estrela tricolor e será o responsável por guiar o São Paulo na difícil missão de vencer o Galo. O meia será o responsável por municiar o atacante Osvaldo e pela organização das jogadas da equipe.

Independiente Santa Fé (COL) x Grêmio

Depois de ficar em segundo lugar no Grupo 8, o Grêmio irá enfrentar o Independiente de Santa Fé, da Colômbia, dono da segunda melhor campanha na primeira fase e única equipe invicta na competição. Além da dificuldade de enfrentar uma equipe invicta, o Tricolor ainda decidirá fora de casa e na altitude de Bogotá e em um estádio que não lhe traz boas lembranças: foi no El Campín que o Tricolor foi eliminado para o Millonarios nas quartas de final da Copa Sulamericana de 2012.

Mesmo tendo um dos elencos mais “estrelados” do Brasil, o Grêmio encontrou dificuldades para se classificar na fase de grupos, mas teve momentos de brilho como na vitória por 3 x 0 sobre o Fluminense, fora de casa. Já a equipe colombiana não teve muitas dificuldades para se classificar em um grupo mais fraco tecnicamente e ainda não foi derrotada na competição.

Fique de Olho

Independiente: Principal goleador da equipe na competição, Martínez Borja é o grande nome da equipe colombiana. O centroavante, que já teve passagem apagada pelo Flamengo em 2010, anotou 4 gols até aqui na competição e não costuma desperdiçar as oportunidades que lhe aparecem. Apesar de não ter feito nenhum gol de cabeça, o jogador também é fundamental nas bolas cruzadas da área, uma deficiência da zaga gremista.

Grêmio: Na ausência do veterano meia Zé Roberto da primeira partida, o responsável por conduzir o Imortal Tricolor será o atacante argentino Hernan Barcos. Artilheiro gremista com 3 gols na competição, o Pirata é um centroavante de muita qualidade, que sabe fazer gols, mas que também tem muita qualidade nas assistências e é também o principal garçom do Tricolor na Libertadores.

Olimpia (PAR) x Tigre (ARG)

Dono do melhor ataque da fase de grupos, com 16 gols marcados em 6 partidas, mesmo número do Atlético Mineiro, o Olimpia, do Paraguai, se classificou com a terceira melhor campanha da primeira fase e enfrentará o Tigre, da Argentina, que obteve a segunda posição do Grupo 2 e é dono da pior defesa entre os classificados, com 10 gols sofridos.

O Tigre, que ficou mais conhecido pela violência praticada do que pelo futebol, se classificou para as oitavas de final na última rodada, após um surpreendente 5 a 3 sobre o Libertad, fora de casa. Já o Olimpia não encontrou dificuldades para garantir a sua vaga e demonstrou ser uma equipe bastante ofensiva e é amplamente favorita para o confronto, principalmente por decidir em casa.

Fique de Olho

Olimpia: O experiente atacante Juan Carlos Ferreyra é a grande arma do Olimpia para o duelo. Com muita qualidade na bola aérea, o centrovante de 30 anos tem três gols marcados na competição até aqui, todos eles feitos com a cabeça.

Tigre: Em uma equipe que ficou mais marcada pela violência do que pelo futebol apresentado, o jovem meia Rubén Botta, de 23 anos, foi um dos únicos que apresentou qualidade. Canhoto e de muita habilidade, o argentino é o grande artilheiro do Tigre na competição, com 4 gols, além de ser o principal assistente da equipe, também com 4 assistências.

Corinthians x Boca Juniors (ARG)

O confronto mais esperado das oitavas de final. Na reedição da grande final da última edição, Corinthians e Boca Juniors medem forças mais uma vez. O Timão foi o líder do Grupo 5 e terminou a primeira fase com a melhor defesa da competição, com apenas dois gols sofridos em seis partidas disputadas. Já o Boca Juniors não vive bons momentos – foi recentemente goleado pelo modesto San Martín por 6 a 1 no Campeonato Argentino.

Apesar de estar num momento superior, o Corinthians não terá vida fácil, principalmente na partida de ida, na Bombonera. Todos sabem da mística que envolve o Boca Juniors na Libertadores e principalmente da força da torcida quando jogam em casa. Entretanto, o Corinthians já demonstrou estar preparado para lidar com essa pressão e capacidade para vencer o Boca fora de casa.

Fique de Olho

Corinthians: Herói do título mundial conquistado no ano passado, Paolo Guerrero é o grande destaque do Corinthians para o confronto. Um centroavante de muita técnica, que leva muito perigo ao adversário nas bolas aéreas, o peruano é o artilheiro do Timão na competição, com 4 gols marcados.

Boca Juniors: Ele pode não ser mais o mesmo de anos atrás, mas Juan Roman Riquelme sempre será temido pelos adversários, principalmente durante a disputa da Libertadores. Meia de muita classe e experiência, o camisa 10 pode ser fundamental para tirar o Boca da atual crise e colocá-lo de volta no caminho das glórias.

Vélez Sarsfield (ARG) x Newell’s Old Boys (ARG)

Apesar de ter terminado a primeira fase apenas com a 5ª melhor campanha, o Vélez apresentou um futebol que poderia ter lhe colocado em uma posição superior. A equipe chegou, inclusive, a vencer o gigante Peñarol em pleno Estádio Centenário, no Uruguai, e deixou a equipe carbonera pelo caminho. Já o Newell’s Old Boys demonstrou ser uma equipe que vai muito bem na parte ofensiva, mas pena pela defesa, como pode ser visto na derrota por 4 a 1 para o Olimpia e pelo fato de equipe só não ter sofrido gols em uma única partida da fase de grupos.

Além da fragilidade defensiva, o Newell’s ainda não sabe se poderá contar com o seu principal atacante, Ignacio Scocco, que é alvo de interesse de grandes equipes brasileiras e já anotou quatro gols na competição, ficando atrás apenas de Braian Rodríguez, do Huachipato (CHI). O argentino está lesionado e não deve se recuperar a tempo dos confrontos.

Fique de Olho

Vélez Sarsfield: Na fase de grupos, o Vélez se destacou por ser uma equipe muita sólida defensivamente. E isso se deve muito as boas atuações de Sebá Dominguez. O zagueiro, que teve passagem pelo Corinthians, vem mantendo uma regularidade impressionante e além de peça chave na defesa argentina, Sebá também leva perigo no ataque, graças a potência de seu chute nas cobranças de falta de média distância.

Newell’s Old Boys: Com a provável ausência do artilheiro Ignacio Scocco, ficará para Máxi Rodriguez a missão de comandar a equipe do Newell’s no clássico argentino. O experiente meia, que já teve passagem por grandes equipes europeias, como o Liverpool, é o cérebro da equipe e terá que carregar o time praticamente sozinho, caso o desfalque de Scocco se confirme.


Fluminense x Emelec (EQU)

Depois de terminar na primeira posição do Grupo 8, o Fluminense foi o brasileiro que se deu melhor nas oitavas de final. Mesmo tendo eliminado o Peñarol na fase de grupos, o Emelec demonstrou ser uma equipe com muitas dificuldades para fazer gols – foram apenas quatro em seis partidas – e que tem problemas em jogar fora de casa.

Entretanto, o Tricolor terá um pouco de dificuldade para jogar no Estádio George Capwell, aonde o Emelec foi capaz de bater o Vélez nessa edição e endureceu a partida contra o Corinthians, no ano passado. Caso o Fluminense não se complique na primeira partida, tem tudo para passar com tranquilidade jogando no Rio de Janeiro.

Fique de Olho

Fluminense: Um dos grandes nomes da conquista do Campeonato Brasileiro do ano passado, Diego Cavalieri é conhecido por ser um goleiro que passa muita tranquilidade para os seus companheiros e, principalmente, para o seu torcedor. O arqueiro deve ser fundamental principalmente na primeira partida, pois jogando em casa o Emelec deverá pressionar o tempo todo e exigir bastante de Cavalieri.

Emelec: Apesar de ser um time que se destacou pela defesa, o Emelec conta com o meia Marcos Mondaini para tentar surpreender o Fluminense. O jogador de 28 anos está voltando de lesão no joelho e é a grande esperança equatoriana para desbancar os atuais campeões brasileiros.


Nacional (URU) x Real Garcilaso (PER)

Conhecido por ser o clube mais tradicional do Uruguai, juntamente com o Peñarol, o Nacional terá pela frente um novato na disputa da competição. Fundado em 28 de julho de 2009, o Real Garcilaso, do Peru, disputa pela primeira a Copa Libertadores e foi a grande surpresa da primeira fase. Ninguém esperava muito da equipe peruana, mas com um bom desempenho fora de casa o Garcilaso se classificou com a segunda melhor campanha entre os segundos colocados e agora terá pela frente uma difícil missão que colocará a qualidade do time a prova.

Já o Nacional conta com o apoio do seu torcedor no Parque Central e com o peso da sua camisa para conseguir se classificar. Além de toda a experiência e qualidade de Sebástian “El Loco” Abreu, velho conhecido da torcida brasileira, e de Álvaro Recoba, que jogou por bastante tempo na Inter de Milão, da Itália, e é uma grande arma nas bolas paradas. Entretanto, os dois jogadores não tem jogado mais que 45 minutos por partida e a missão de carregar a equipe tem ficado para o atacante Alonso, artilheiro da equipe na competição.

Fique de Olho

Nacional: Como El Loco Abreu e Recoba não tem condições físicas de disputarem os 90 minutos de uma partida, o grande destaque do Nacional vem sendo o atacante Iván Alonso. O experiente atacante de 34 anos chegou ao Nacional no começo do ano, após boa passagem pelo Toluca, do México, e é o principal artilheiro da equipe na competição.

Real Garcilaso: O grande destaque da equipe peruana é o segundo volante Sebastián Ramua. O argentino de 26 anos é o principal comandante do meio de campo do Real Garcilaso e também quem cria as jogadas. Com passagens por times discretos da Argentina e do Ecuador, o meio campista é um dos mais experientes em um elenco que disputa a Libertadores pela primeira vez.

Palmeiras x Tijuana (MEX)

A fase de grupos demonstrou que a grande força do Palmeiras, neste momento, é o torcedor. A equipe alviverde obteve três vitórias jogando em casa e três derrotas quando foi visitante. Agora, o Verdão terá a difícil missão de enfrentar o Tijuana, dono da melhor campanha entre os classificados na segunda colocação. Os Xolos, apelido da equipe mexicana, também fazem do fator casa um grande diferencial, mas isso se deve ao gramado sintético que dificulta muito a vida dos visitantes.

Os mexicanos foram a única equipe a vencer o Corinthians pela Libertadores desde 2011 e fizeram isso no seu estádio, aonde terminaram com 100% de aproveitamento. E, mesmo jogando fora de casa, a equipe demonstrou ter forças para vencer, como foi contra o Millonarios, na altitude da Colômbia. Além da dificuldade do gramado, o Palmeiras também terá que enfrentar uma longa viagem, visto que Tijuana fica na fronteira do México com os Estados Unidos e o voo dura aproximadamente 18 horas.

Fique de Olho

Palmeiras: Vindo das categorias de base do Palmeiras, o atacante Vinicius tem sido o principal nome da equipe na competição até aqui. Um jogador de velocidade, que costuma incomodar as equipes adversárias e que tem resolvido partidas com a sua habilidade e, principalmente, com assistências pontuais.

Tijuana: Apesar de todos os holofotes se virarem para Martínez – apelidado de Neymartínez – o grande destaque da equipe mexicana é o também atacante Riascos. O colombiano é um atacante de muita velocidade, muita habilidade e, principalmente, muita objetividade. Ao contrário do seu companheiro, que prefere driblar o máximo possível, Riascos busca ser mais eficiente e vai sempre em direção ao gol e deve levar muito perigo à defesa alviverde.

VAVEL Logo