Chegou a hora de ser o “profeta” patriota (ou não!)
Torcedor brasileiro se deixou iludir com a conversa fiada dos políticos (Foto: EFE)

Com a proximidade da Copa do Mundo e da Copa das Confederações, a utilidade dos estádios (pós Copa) e outros projetos mirabolantes (que por sinal, todos nós sabíamos que eram apenas promessas políticas) viram discussões intermináveis nas redes sociais. Nessas discussões, sempre surgem os “profetas” que disseram tudo isso quando o Brasil foi escolhido como sede e todo aquele discurso chato, semelhante ao dos políticos que eles criticam.

A discussão a esse respeito é válida e muito necessária, ainda mais nessa época. Em muitos papos de boteco (sempre com outros jornalistas), o assunto estádios que vão virar elefantes brancos ("coisa vistosa e grande, mas que não tem nenhuma utilidade" - resolvi colocar o significado pois muita gente ainda não conhecia o real sentido da expressão) depois da Copa se fazem presentes e na maioria das vezes chegamos a conclusão que esses estádios em lugares que não possuem futebol de verdade,  e foi apenas mais uma forma de iludir o povo brasileiro.

O Brasil e o brasileiro não poderia ou deveria achar que a Copa do Mundo seria a salvação de todos os seus problemas, até porque, qualquer pessoa em sã consciência sabia que alguns projetos seriam inviáveis, ou até lunáticos. O transporte público é um problema que cresce a cada dia no país, e alguém achou que o fato da Copa do Mundo ser aqui, faria isso diminuir? Será mesmo que esses "profetas" achavam que isso só seria possível ou não com uma Copa do Mundo no Brasil?

Será que o brasileiro se acostumou mesmo com o fato de deixar para acertar as coisas só para os gringos verem? Será que aprendemos também que só devemos cobrar para os gringos verem? Ou será que é mais bacana ser profeta e ter previsto tudo muito antes da massa? (Isso me lembra aquele tipo de pessoa que conhece uma banda nova, e fala dela o dia inteiro, aí quando a massa começa a ouvir, ele para de ouvir, porque aquilo virou modinha) e os tais profetas se comportam EXATAMENTE assim, no que diz respeito a Copa do Mundo.

O brasileiro já deveria estar acostumado com falsas promessas e não se iludir com tanta facilidade. Ouvir o Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, defender a Arena Amazonas (estádio de Manaus-AM) e atacar um jornalista, porque ele - o jornalista - disse que a escolha do Amazonas havia sido política e que não levou em conta o futebol local. É o mesmo que ganhar no par ou impar na “pelada” do final de semana, escolher o seu melhor amigo e não o melhor da pelada, e depois justificar a derrota para o restante do time dizendo que escolheu o Juquinha porque para você ele era melhor que o Zezinho.

Outro ponto que chama atenção nisso tudo é a reação do povo do Norte e Nordeste no que diz respeito ao seus estádios, qualquer comentário que um jornalista ou qualquer pessoa do resto do país faça, é encarado e visto como um preconceito do eixo do mal, como muitos insistem em afirmar. O fato é que o futebol do Amazonas, por exemplo, é fraco, e não sou eu que digo isso, são os próprios amazonenses.

Comparar o Brasil com a Inglaterra e qualquer estádio dessa Copa de 2014 com o estádio de Wembley é utópico. Os londrinos já possuem um metrô de qualidade (ou pelo menos, melhor que os nossos), possuem saneamento básico e posso enumerar 500 outras coisas, caso você ache necessário, mas traduzindo, conseguem sustentar um estádio que não dê lucro para eles.

A verdade é que o povo foi iludido (e se deixou iludir) com muitas promessas sem pé nem cabeça. Se você parar para pensar, você realmente acredita que a seleção de Gana (ou de qualquer outro lugar do universo)  seria a ÚNICA chance do Brasil mudar seu transporte público? A possível vinda da seleção de Honduras (ou qualquer território a sua escolha) seria nossa ÚNICA saída para modernizar nossa rede de água e esgoto e fazer com que a energia elétrica chegasse a todo Brasil? E alguém achou que a seleção da Espanha (para não falarem que só citei seleção meia boca) seria a ÚNICA forma da nossa rede de internet e telefonia evoluísse quase que como um “pokémon” e conseguisse dar inveja nos grandes centros? Alguém (até mesmo os profetas) realmente acreditava nisso?

O brasileiro não pode cobrar metrô/transporte publico e qualquer outra coisa apenas em época de Copa do Mundo, isso tem que ser cobrado com ou sem eventos esportivos mundiais em nosso território, é isso que o povo não consegue ver ou finge que não consegue ver.

O povo brasileiro (incluvise o profeta) preferiu se iludir com o discurso que ouvimos anos atrás: “o Brasil só vai se desenvolver de fato com a Copa do Mundo”, e que a Fifa seria a salvadora da pátria de chuteiras, literalmente. E que só seria possível ser do primeiro mundo recebendo 32 seleções de diversas partes do Mundo, e que isso seria o principal fator de progresso nacional. 

Li em um texto alguns dias atrás e achei a comparação sensacional, o que está acontecendo no Brasil para organizar a Copa do Mundo é mais ou menos a mesma coisa que se o presidente dos esquimós falasse: “Vamos fazer uma praia de nudismo! É nossa única chance de melhorar de vida!”. Todos sabemos, os profetas, antes de todos os outros, que o nudismo não é o forte dos esquimós. E que a organização de uma Copa do Mundo não é, e nunca foi, o forte do Brasil.

VAVEL Logo