Em duelo equilibrado, São Paulo vence pelo placar mínimo e avança às semifinais

Na última partida que restava das quartas de final do Paulistão, o São Paulo recebeu a equipe do Penapolense, que em sua temporada de estreia na elite estadual,conseguiu uma surpreendente classificação para a fase de mata-mata, mas que hoje, apesar de levar perigo ao Tricolor em pleno Morumbi, não conseguiu transformar as chances criadas em gols, o que foi vital para a eliminação da Pantera.

O São Paulo entrou em campo trajado com uma roupa toda vermelha em homenagem à nova tonalidade das cadeiras do Morumbi e penou para bater o Penapolense. O time de Ney Franco levou sustos durante a partida mas o gol contra de Jaílton foi o suficiente para levar a equipe para a semifinal contra o arqui-rival Corinthians, que goleou a Ponte Preta por 4 a 0.

O Tricolor foi dominante no jogo, mas pouco criou diante de um adversário cuidadoso e eficaz na na marcação. Paulo Henrique Ganso foi o maestro do time com belas tabelas, principalmente com Jadson, que estava menos ativo no jogo. E então o São Paulo explorou os lados do campo. Pela direita, Paulo Miranda - jogando improvisado - conseguiu acertar apenas quando arriscou de longe para Marcelo Marinho, ex-Corinthians, espalmar com dificuldade. Enquanto pela esquerda, o ponta Osvaldo, em grande fase, infernizou os marcadores com sua velocidade e bons dribles.

O Penapolense se deu por satisfeito ao levar o 0 a 0 para o intervalo. Os visitantes sairam pouco para o ataque durante a primeira etapa e não aproveitaram as brechas do Tricolor. A única boa chance foi em um chute de longa distância de Liel, no qual Rogério Ceni jogou para escanteio.

Para o segundo tempo, o São Paulo voltou aparentemente mais nervoso, com erros no setor ofensivo e deixando espaço na zaga. Rogério Ceni teve trabalho para salvar a equipe após cabeçada de Jaílton, chute de Fernando e uma finalização praticamente cara a cara com Silvinho. Era o Penapolense esboçando crescimento na partida. Apesar de estar taticamente confuso, não sobrou vontade e raça para agredir os visitantes. Osvaldo era um dos nomes da partida atuando aberto pelo setor esquerdo do ataque. Após bela jogada individual, Luís Fabiano teve grande chance para abrir o placar no lance mais polêmico e controverso do jogo. A bola acertou o travessão e quicou na linha antes que Marcelo a agarrasse.

O Tricolor novamente insistia pela esquerda e sempre através de Osvaldo. O atacante arrancou, se livrou da marcação e cruzou forte para a pequena área. Jaílton tentou desviar, porém acabou cabeçeando para as próprias redes.

Estar na frente no placar foi o suficiente para o São Paulo conduzir o jogo, porém, a equipe ainda teve que passar por um último susto. Aos 43 do segundo tempo, Sérgio Mota - tido como o novo Kaká nos tempos de São Paulo -, dominou na pequena área e chutou no alto. Rogério Ceni voou e executou uma bela defesa, garantindo a classificação.
 
Nas semifinais, o São Paulo enfrentará o Corinthians, no próximo domingo (5), fazendo uma reedição das semis de 2009, onde o Timão levou a melhor em duelos marcados pela comemoração de Cristian mostrando o dedo do meio no jogo de ida, e o gol de Ronaldo após uma arrancada sensacional do meio de campo. Por terminar a primeira fase na primeira colocação, o Tricolor jogará com o mando de campo.
VAVEL Logo