O melhor e o pior do Campeonato Mineiro 2013
Vencido pelo Atlético-MG, Campeonato Mineiro revelou desequilbrio em relação os clubes grandes e pequenos | Foto: Reprodução/Atlético-MG - Bruno Cantini

Terminou mais um Campeonato Mineiro. O renovado Mineirão foi palco de mais uma decisão e o Atlético-MG levou a melhor pra cima do rival Cruzeiro, conquistando seu 42º título do estadual. A competição foi marcada por um grande desequilíbrio entre os gigantes da capital e as demais equipes da competição. O América-MG decepcionou e ficou longe até mesmo de se classificar para a fase final. Mas também teve surpresas, como time caçula na competição chegando as fases decisivas.

Confira o que aconteceu de melhor e pior no Campeonato Mineiro de 2013:

Estreante Tombense impressiona e surpreende no Mineiro; Villa Nova volta a fazer boa campanha após anos no meio da tabela

O quase centenário Tombense fez a sua estréia na elite do Campeonato Mineiro em 2013. E estreou em grande estilo. O time que tem o empresário Eduardo Uram como dono, fez uma ótima campanha, parando apenas na semi-final para o campeão Atlético-MG. Comandado por Marcelo Cabo, ex-auxiliar de Dunga e Marcos Paquetá, o Tombense se mostrou um time organizado, de boa marcação e velocidade nas transições. O artilheiro da competição, foi Júnior Negão, atacante do Tombense que formou uma boa linha de ataque com Adeílson e Betinho.

O Mineiro de 2013 marcou a volta do tradicional Villa Nova às disputas finais da competição. O time parou nas semi-finais para o Cruzeiro. Comandado por Alexandre Barroso, o Leão se mostrou um time difícil de ser batido, com ótima marcação e muita eficiência. Nomes como os jovens Heitor e Marcelo Rosa e os experientes Tchô e Eraldo foram os pilares do time de Alexandre Barroso nessa bela campanha.

A revelação na lateral direita

A revelação do Campeonato Mineiro de 2013 vem da lateral direita, uma das posições mais escassas no mercado brasileiro. Uma das melhores coisas que aconteceram para o Cruzeiro na competição foi a inserção de Mayke na equipe principal. Com muita velocidade e boa técnica o garoto ganhou espaço nos jogos em que o experiente Ceará esteve fora por lesão e agradou o treinador Marcelo Oliveira e os torcedores cruzeirenses.

A seleção do campeonato

Levando em conta a regularidade nos jogos e atuações nas fases finais da competição, a seleção do Mineiro de 2013 escolhida pela VAVEL Brasil é a seguinte:

No 4-2-3-1, esquema utilizado pelos finalistas Cruzeiro e Atlético-MG: Fábio (CEC); Marcos Rocha (CAM), Réver (CAM), Bruno Rodrigo (CEC) e Richarlyson (CAM); Leandro Donizete (CAM), Pierre (CAM), Diego Tardelli (CAM), Ronaldinho (CAM) e Éverton Ribeiro (CEC); Jô (CAM).

América-MG decepciona

Após decidir o campeonato contra o Atlético em 2012, o América-MG nem chegou perto de repetir a campanha no Mineiro de 2013. O time que começou a competição dirigido por Vinícius Eutrópio e terminou dirigido por Paulo Comelli, não se acertou, passou por muitas mudanças, muitos jogadores chegando durante a competição e terminou numa frustrante 8ª colocação.

Sensação da América, Galo confirma superioridade e é o campeão

A torcida do Atlético-MG vive um 2013 dos sonhos. O time faz uma bela campanha na Libertadores, competição que não disputava há 13 anos. A equipe de Cuca vem aliando eficiência e arte no seu jogo, mostrando que pode-se ter consistência jogando um futebol vistoso e ofensivo. No Campeonato Mineiro não foi diferente, mesmo jogando com equipe mista em várias partidas, o Galo chegou a fase final com um pé nas costas, passou fácil do Villa Nova e na final derrubou o rival Cruzeiro, que até então vinha invicto na competição. Foi o 42 título Mineiro do Galo. Jô foi artilheiro da equipe com seis gols.

Final contra o Galo evidencia erros de um Cruzeiro que foi perfeito na primeira fase

Vindo de um péssimo 2012, o Cruzeiro reformulou completamente o seu elenco para 2013. Do time titular escalado por Marcelo Oliveira na maioria das partidas do campeonato, apenas Fábio, Ceará, Léo, Éverton, Leandro Guerreiro e Borges eram remanescentes da última temporada. A reformulação vinha dando certo, as contratações – sobretudo Éverton Ribeiro, foram mostrando serviço e agradando a torcida. Porém a final da competição contra o poderoso Atlético-MG foi um choque de realidade na torcida azul. O time apresentou muitos erros e mesmo com muita luta nem chegou perto de tirar a taça das mãos do Galo, mostrando que ainda há um longo caminho a ser percorrido na reconstrução do time que ainda tem a disputa da Copa do Brasil e do Brasleirão.

Principal palco da competição, Mineirão ainda precisa de ajustes

O novo Mineirão, reformado para a disputa da Copa das Confederações deste ano e da Copa do Mundo de 2014, passou por problemas na disputa do Campeonato Mineiro. O estádio mandou os jogos do Cruzeiro, uma partida do Atlético contra o Villa Nova, além dos clássicos. A reinauguração do estádio, na rodada inaugural do Mineiro feita com um clássico entre Cruzeiro e Atlétio, teve as ocorrências mais assustadoras: falta de água, comida e energia. Recentemente o Mineirão sediou um show do astro Paul McCartney e no evento também apareceram problemas, como a inundação da parte externa do estádio, causada por entopimento dos esgotos. Com o passar dos jogos, alguns problemas foram resolvidos, mas ainda há muito trabalho a ser feito.

VAVEL Logo