Com a volta do Mineirão e com Dedé, Cruzeiro pode surpreender
A dupla de ataque com Borges e Dagoberto é um dos trunfos da Raposa (Arte: Walter Paneque/VAVELcom)

Nome: Cruzeiro Esporte Clube
Ano de fundação: 1922
Mascote: Raposa
Títulos: Campeonato Brasileiro (1966, 2003), Copa do Brasil (1993, 1996, 2000 e 2003), Taça Libertadores da América (1977, 1997), Supercopa Sul-Americana (1991, 1992), Recopa Sul-Americana (1998), Copa Sul-Minas (2001,2002),Copa Ouro (1995),Copa Master (1995),Campeonato Mineiro(1926 , 1928, 1929, 1930, 1940, 1943, 1944, 1945, 1956 , 1959, 1960, 1961, 1965, 1966, 1967, 1968, 1969, 1972, 1973, 1974, 1975, 1977, 1984, 1987, 1990, 1992, 1994, 1996, 1997, 1998, 2003, 2004, 2006, 2008, 2009 e 2011)
Campanha em 2012: 9º colocado.
Expectativa: Meio de tabela.

Temporada Anterior

A temporada passada do Cruzeiro foi marcada por muita irregularidade. Eliminado pelo América-MG na semifinal do Campeonato Mineiro com duas derrotas e desclassificado na Copa do Brasil pelo Atlético-PR. Os dois fracassos resultaram na demissão de Vagner Mancini já em maio e na contratação de Celso Roth. No Brasileirão, o time até começou bem, ficando seis jogos sem perder. Mas depois a falta de jogadores de qualidade no elenco ficou evidente e derrotas e mais derrotas vieram. A nova diretoria tinha uma filosofia de trabalho diferente e manteve Roth no cargo até o fim, mesmo com a torcida pedindo muito sua saída. Em nenhum momento a equipe correu grande risco de rebaixamento, mas o nono lugar não deixou a torcida satisfeita.

A chegada de Dedé e a reformulação celeste

Em 2013, após grande reformulação no elenco os resultados são satisfatórios. São 18 jogos na temporada e 16 vitórias, 1 empate e uma derrota. O quarteto ofensivo com Diego Souza, Everton Ribeiro, Borges e Dagoberto vêm cada dia jogando melhor, principalmente o último, que tem três gols nos três clássicos da temporada. Dedé foi contratado para resolver o problema da defesa, que vinha falhando constantemente. A lateral esquerda é o grande problema, já que nem Everton nem Egídio se firmaram na posição. No banco de reservas tem bons jogadores, com algumas jovens promessas como Lucca e Ricardo Goulart. Caso a equipe consiga se entrosar rapidamente, o sonho de uma vaga na Libertadores pode se tornar realidade.

Quarteto ofensivo é a principal força do Cruzeiro

Formado por Éverton Ribeiro, Diego Souza, Dagoberto e Borges, o quarteto ofensivo celeste é a principal força da equipe. Cada vez mais entrosados e demonstrando muita qualidade, os quatro são responsáveis por 32 dos 48 gols do Cruzeiro até aqui na temporada.

Fechado desde 2010, Mineirão pode ser a grande arma celeste para surpreender

Fechado desde 2010 para reformas visando a Copa do Mundo de 2014, o Mineirão foi reaberto nessa temporada e pode ser a grande arma do Cruzeiro no Brasileirão. Sem o seu estádio, a Raposa fez duas campanhas instáveis em 2011 e 2012 e agora terá a sua casa de volta para a disputa do campeonato nacional. Palco das grandes conquistas celestes, como a Libertadores de 1997 e o Brasileirão de 2003, o Mineirão é a casa do Cruzeiro e costuma intimidar os adversários.

VAVEL Logo