Após título estadual, Vitória busca boa colocação no Brasileirão
Ofensivamente, o quarteto Cajá, Escudero, Maxi, Dinei, tem chamado atenção (Arte: Walter Paneque/VAVELcom)

Nome: Esporte Clube Vitória

Ano de fundação: 1899

Mascote: Leão

Títulos: Copa do Nordeste - 5 (1976, 1997, 1999, 2003 e 2010), Campeonato Baiano - 27 (1908, 1909, 1953, 1955, 1957, 1964, 1965, 1972, 1980, 1985, 1989, 1990, 1992, 1995, 1996, 1997, 1999, 2000, 2002, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2013)

Campanha em 2012: 4º Lugar - Série B

Expectativa: Vaga na Sul-Americana

Retorno para a primeira divisão

O ano de 2012 será marcado pela redenção do Vitória e de sua torcida. Favorito no campeonato estadual, o Leão da Barra entrou motivado e fez a segunda melhor campanha geral da colocação. Entretanto, o primeiro baque da temporada veio na final. Enfrentando o Bahia - seu maior rival - a equipe rubro-negra perdeu o título devido aos critérios de desempate que favoreceram ao adversário tricolor. Pela Copa do Brasil, mais surpresas. Uma vitória heroica no Engenhão fez com que o Vitória eliminasse ninguém menos que o Botafogo pela fase de oitavas de final da competição. Surgindo como surpresa nas quartas, o sonho da primeira conquista nacional logo foi apagada após a derrota por 4 a 1 para o Coritiba que selou sua eliminação. No Brasileirão, era uma máquina. A equipe de Paulo César Carpeggiani encerrou o primeiro turno com a melhor campanha da história da Série B, a classificação era inegável até aquele momento. Mas o turno virou e a crise afetou. Queda de rendimento e crises internas quase fizeram com que o acesso para a Série A escapasse pelas mãos, quase. Na última rodada o Leão se redimiu e garantiu sua vaga na primeira divisão do futebol brasileiro.

Título Baiano e eliminação na Copa do Nordeste

Com uma equipe reformulada e jovem, o Vitória usou o estadual e o regional como preparação para o campeonato brasileiro. Mesmo com a eliminação, o rubro-negro fez uma campanha mediana na Copa do Nordeste. Com 5 vitórias, 1 empate e 2 derrotas, o Ceará foi o algoz do adeus nas quartas de final. Pelo campeonato baiano, surge a expectativa de uma temporada acima da média. Apesar de passar para a segunda fase da competição apenas como segundo colocado em seu grupo, as goleadas monumentais e históricas frente ao seu arquirival Bahia motivou a equipe e seus torcedores. Além de vencer o primeiro clássico baiano na Nova Fonte Nova - reaberta após a conclusão das obras para a Copa das Confederações - por 5 a 1, o Leão da Barra garantiu o título praticamente no primeiro jogo após vencer por 7 a 3 no primeiro jogo da final.

Pré-temporada recheada de ambições

A pré-temporada do Vitória vem composta de pontos positivos e negativos. O desmanche pós-acesso que a equipe sofreu vira nos conceitos que qualquer comissão técnica gosta de evitar. Entretanto, o que poderia ter tudo pra dar errado surgiu como solução. Contratações pontuais e de baixo custo fizeram com que o clube rubro-negro se padronizasse e voltasse a ativa. Jogadores estrangeiros também entraram como novidade nesse período de transição. O foco do Vitória é prevalecer com os bons resultados no Campeonato Baiano e figurar acima da 10ª colocação no Campeonato Brasileiro, sem fazer feio e buscando uma vaga na Sul-Americana.

Velocidade como característica

Em fase de reconstrução, o técnico Caio Júnior adotou a velocidade como principal característica em seu esquema 4-4-2. Primeiramente temos o lateral-direito Nino Paraíba, dono de um belo arranque e desafogo no ínicio das jogadas. Ainda no campo de defesa vemos Victor Ramos, dono de vários lançamentos para o ataque que por muitas vezes resultam em jogadas de perigo. No setor de meio campo, Renato Cajá e Escudero são os cérebros da equipe. O primeiro é o clássico camisa 10, dono da organização de jogadas e criação de oportunidades de gol, já o estrangeiros cai pelos lados, abrindo o jogo e gerando novas possibilidades. No ataque, Maxi Biancucchi chegou para tomar conta da posição e, ao lado de Dinei, forma um ataque perigoso que já mostrou no Campeonato Baiano como tem faro de gol.

Entre os melhores ataques e defesas do Brasil

Assim como em 2012, o Vitória mantém um retrospecto significativo para o clube: tem um dos melhores ataques e defesas do país. Em 2013, a equipe rubro-negra detém o terceiro melhor ataque e a quarta melhor defesa do Brasil. Números que dão confiança para o restante da temporada. Defensivamente, Vitor Ramos e Gabriel Paulista são os mesmos zagueiros que estiveram na campanha do acesso a primeira divisão, entrosamento que tem dado resultado. Já ofensivamente, o quarteto Cajá, Escudero, Maxi, Dinei, tem chamado atenção pelo seu toque de bole veloz e pelo alto número de finalizações a gol.

Vander: dispensado do Bahia para ser talismã no Vitória

Vander, ex-jogador do Bahia, hoje é atlético do Esporte Clube Vitória. Entretanto, um fato curioso toma conta do passado do jogador, dispensado do clube tricolor por deficiência técnica, foi acolhido pelo rubro-negro baiano e tem dado conta do recado sempre que é relacionado ao jogos. Curiosidade, na reabetura da Fonte Nova, o mesmo foi a campo para enfrentar seu ex-clube e fez gol. Hoje, é considerado um dos talismãs da equipe.

VAVEL Logo