Bayern cede à pressão da CBF e libera Dante e Luiz Gustavo
Os jogadores corriam o risco de serem cortados da Copa das Confederações (Foto: AFP)

Após longa negociação entre Bayern de Munique e Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o zagueiro Dante e o volante Luiz Gustavo foram liberados pelo clube alemão para se apresentarem ao grupo da seleção brasileira que irá disputar a Copa das Confederações e desfalcam o Bayern na final da Copa da Alemanha que acontece neste sábado (01).

Mirando a tríplice coroa, o Bayern de Munique contava com os dois atletas para o grupo que seria relacionado para a final da Copa, contra o Stuttgart, em Berlim, neste sábado, dia 01, mesmo dia em que se encerra o prazo para os jogadores convocados por Felipão se apresentarem no Rio de Janeiro. A Copa das Confederações se inicia em 15 de junho, e conforme estipulado pela Fifa, todo o grupo deve estar reunido no prazo máximo de 14 dias antes do início da competição.

"Fomos forçados a tomar essa medida. Tentamos uma solução junto à Fifa e a Federação Alemã, é uma situação desagradável para nós", afirmou Karl-Heinz Rummenigge, diretor-executivo do Bayern em entrevista coletiva.

Ainda sobre o caso, Rummenigge colocou a culpa do imbróglio na conta da Federação Alemão, acusando-a de errar o seu planejamento, mas não deixou de cutucar a CBF: "Tivemos a impressão de que algum tipo de pressão psicológica foi feita sobre nossos jogadores, como se fosse o fim de suas carreiras internacionais caso não se apresentassem a tempo."

O dirigente afirmou também que seria desumano não liberar os atletas, e disse também entender a importância da disputa de uma Copa das Confederações dentro de casa.

A CBF abriu exceções nos casos de Fred, Diego Cavalieri e Jean, do Fluminense, e Bernard, do Atlético-MG, por conta da disputa da Copa Libertadores, mas somente porque mesmo cumprindo seus compromissos com os respectivos clubes, ainda se apresentariam dentro do prazo determinado.

Bayern e CBF contam com outras divergências na história. Em 2011, os alemães não concordaram em liberar o atacante Giovane Élber para a Copa América na Colômbia por questões de segurança, justificando-se pelo fato de julgarem o país sede muito perigoso. Já no ano de 2004, o zagueiro Lúcio, atualmente no São Paulo, passou por situação parecida por conta de um amistoso da seleção brasileira no Haiti.

VAVEL Logo