Comercial vence Bragantino e consegue seus primeiros três pontos no Paulistão

Bragantino e Comercial se enfrentaram na noite deste domingo (26) em jogo válido pela terceira rodada da primeira fase do Campeonato Paulista de 2014. O time de Bragança Paulista se encontra no grupo D do torneio, enquanto o Bafo está no chaveamento A da competição. Com a vitória por 3 a 1, a equipe de Ribeirão Preto alcançou seus primeiros três pontos no torneio e chegou ao segundo lugar do grupo A, entrando assim na zona de classificação para as quartas de final.

O Braga, que tinha 100% de aproveitamento, tem seis pontos e também está em segundo lugar, mas no Grupo D. Ambas as equipes voltam à campo na quarta-feira (29), às 19h30. O Comercial vai até Itápolis encarar o Oeste, enquanto o Bragantino irá à Lins jogar contra o Linense.

Primeiro tempo movimentado termina com um gol de cada lado

O jogo começou lento, mas com o Comercial um pouco mais presente no campo de ataque. A partida começou a esquentar quando os donos da casa tentaram chegar ao gol em um contra-ataque aos sete minutos, mas, após receber um bom lançamento, Cesinha cruzou mal e desperdiçou a primeira boa chance do Braga. No lance seguinte, o Comercial abriu o placar na primeira chance de gol da partida. Xaves recebeu e bateu no cantinho de Rafael para fazer 1 a 0. O Bragantino tentou responder em cobrança de falta a poucos metros da grande área, mas Jeandro mandou para fora.

O gol comercialino despertou um sonolento Bragantino, que se lançou ao ataque, mas sofreu com o rigor do árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, que marcou várias faltas bragantinas no campo de ataque, o que irritou a pouca torcida presente no Estádio Marcelo Stéfani. O Braga atacaria com maior perigo aos 16 minutos, quando Cesinha bateu de fora da área e mandou para fora.

Após alguns minutos de relaxamento, o Comercial voltou a atacar com chutes de Patrick e Cassiano Bodini aos 21 minutos. O Bragantino chegou ao empate dois minutos depois após uma forte cobrança de falta de Jeandro. O goleiro Julio Sérgio deu rebote e Lincoln, que vinha mal no jogo, aproveitou para marcar o primeiro do Massa Bruta.

Intensa, a partida pode não ter tido muitas chances de gol, mas tinha as duas equipes em busca do gol e lançadas ao campo de ataque. Em um jogo pegado e com muitas faltas, ambos os times pecaram pelo excesso de passes errados e viam nos chutes de longa distância a chance de marcar. O Bragantino também apostou em contra-ataques rápidos, mas, ironicamente, era a falta de velocidade de seu sistema ofensivo o principal empecilho para virar o jogo. Aos 30 minutos, após cobrança de escanteio, Lincoln quase marcou pela segunda vez.

O Braga voltou a ficar perto da virada quando Jeandro acertou o travessão de Julio Sérgio aos 33 minutos. Na sequência, Pacheco fez fila na zaga comercialina, mas acabou perdendo o equilíbrio e desperdiçando outra boa chance. Aos poucos, o Bragantino foi tomando conta do jogo: com Cesinha e Pacheco criando boas jogadas, o Comercial passou a ficar mais tempo no seu campo de defesa e o arqueiro do Bafo só pôde torcer para a cabeçada de Lincoln sair pela linha de fundo aos 37 minutos. Aos 42, Jeandro foi derrubado por Reniê e pediu pênalti, mas o juiz mandou seguir.

A última boa chance da etapa inicial surgiu em um chute do comercialino Marcone, que passou perto do gol de Rafael. Equilibrado, o primeiro tempo que começou com o time de Ribeirão Preto melhor, terminou com os donos da casa no comando.

Em segundo tempo ruim, Comercial encontra dois gols no final

A segunda etapa começou movimentada, com ambas as equipes criando boas jogadas, embora as mesmas não tenham sido concluídas com grande brilhantismo. A partir dos cinco minutos, porém, o jogo esfriou. Equilibrada, a partida sofria com os passes errados e lançamentos longos que raramente criavam boas jogadas. Os donos da casa eram mais assíduos no ataque, mas pouco assustaram o goleiro Júlio Sérgio no primeiro terço da etapa final. Foi exatamente aos 15 minutos que o Massa Bruta deu mais trabalho e novamente no contra-ataque, que obrigou a zaga do Comercial a afastar a bola. Na sobra, Léo Jaime bateu bem, mas a bola explodiu na zaga do Bafo.

O Comercial chegou com perigo pela primeira vez no segundo tempo aos 18 minutos, quando William Simões cabeceou por cima do gol de Rafael Defendi. Aos 21, Julio Sérgio fez belíssima defesa com os pés em chute de Guilheme, mas o meio-campo bragantino já estava em posição irregular. No início da metade final do segundo tempo, o Bragantino intensificou a pressão sobre os comercialinos que, mais contentes com o empate, se seguravam lá atrás do jeito que podiam.

Perto dos 30 minutos, o Comercial passou a atacar um pouco mais, mas não levou grandes perigos ao arqueiro Rafael Defendi. Passados alguns minutos, o Leão voltou a se defender. Entrendo no lugar de Lincoln, Tássio fez boa jogada aos 34 minutos, mas desperdiçou quando viu a bola escapar para fora do campo. O alvinegro de Ribeirão Preto criaria uma boa chance 37, quando William Simões testou firme e viu a bola atingir a rede pelo lado de fora.

Apesar de satisfeito, o Comercial  vez ou outra chegava ao ataque e, em uma dessas oportunidades, Marcelo Toscano não deu chances ao goleiro Rafael e colocou o time de Ribeirão Preto na frente do placar. Os minutos finais foram marcados pelo clima quente entre os jogadores de ambas as equipes. Nenhuma grande oportunidade de gol foi criada por nenhuma das equipes até os 47 minutos, quando Rodrigo Jesus bateu pro gol e, se aproveitando de uma queda tardia do goleiro Rafael Defendi, garantiu a vitória comericlina por 3 a 1. Tássio ainda deu o último chute bragantino no jogo, mas sequer diminuiu para os donos da casa.

VAVEL Logo