Com erros de arbitragem, Joinville e Criciúma se igualam na primeira rodada

Na principal partida da primeira rodada do Campeonato Catarinense de 2014, Joinville e Criciúma se enfrentaram no que é um dos maiores clássicos do estado. E no final das contas, tudo ficou igualado em 1 a 1. Fernando Viana marcou para o JEC, enquanto Ronaldo Alves, já no fim da partida, empatou para o Tigre, que não contou com sete atletas que ainda não podem atuar, por falta de condicionamento física ou por falta de acerto na situação contratual. O jogo foi marcado por decisões duvidosas de Heber Roberto Lopes, árbitro da FIFA que comandou a partida.

Agora, o Joinville enfrentará o Metropolitano, fora de casa, na quinta-feira, 30. Já o Criciúma terá seu primeiro encontro com a torcida, e com outro clássico: enfrenta o Figueirense, no Heriberto Hülse, na quarta-feira (29).

Soberano, Joinville aproveita falhas do Criciúma e larga na frente

Nos primeiros minutos da partida, o Tigre esboçou uma marcação sob pressão no campo de ataque do Joinville, que não durou muito. Logo o time da casa assumiu as rédeas da partida, pressionando o adversário. Sofrendo muito pela falta de entrosamento, o Criciúma acabou virando um alvo fácil para as jogadas ofensivas do JEC, com o lateral Eduardo sofrendo pela falta de apoio para subir ao campo de ataque e tendo que segurar as investidas do adversário, principalmente dos pés de Edigar Junio.

Dado momento, o Criciúma não conseguia passar da linha de meio campo e errava muitos passes. Então, o Joinville aproveitou e conseguiu abrir a contagem do placar. Murilo fez um cruzamento milimétrico da direita e Fernando Viana cabeceou firme no canto do goleiro Galatto, que nada pôde fazer para evitar o 1 a 0.

O resultado poderia ser maior, se não fosse o goleiro do Tigre, que salvou a equipe em diversas ocasiões. Em especial, aos 41 minutos, quando defendeu com o pé um chute forte do autor do gol, Fernando Viana. Não conseguindo acertar uma sequência de passes - mesmo com o ídolo Paulo Baier em campo -, o Criciúma não demonstrou ofensividade alguma na etapa inicial. Heber Roberto Lopes então assinalou o intervalo da partida aos 46 minutos, com extrema superioridade Joinvillense.

Criciúma converte a única chance e iguala a partida no fim

Ricardo Drubscky não foi ousado em suas mudanças no intervalo. Trocou um volante por outro, e conseguiu manter a defesa segura por poucos minutos. Rodrigo Silva não via a cor da bola no ataque, e o meio-campo do Tigre não aparecia. Sem mudanças, o Joinville manteve os jogadores e a superioridade em campo, passando perto de marcar mais de uma vez - uma delas logo aos 5 minutos, com Wellington Saci acertando o travessão.

Galatto seguia sendo o principal personagem do time visitante em campo, enquanto o destaque do JEC era a velocidade com jogadas puxadas pelos velocistas Francis e Edigar Junio. Na metade da segunda etapa, Tartá entrou em campo pelo Joinville, aumentando ainda mais a ofensividade da equipe. Aos 35 minutos, o jogador fez linda jogada sobre Thiago Humberto e cruzou, Fernando Viana concluiu para o gol, mas com a mão. Anulado, seguia 1 a 0.

Quatro minutos mais tarde, porém, o Coelho foi punido pelos erros de finalização. Ricardinho levanta bola na área, e após Ivan rebater, Ronaldo Alves - impedido - conclui para as redes, deixando tudo igual. 1 a 1. Poucos minutos depois, o árbitro Heber Roberto Lopes voltou a ser personagem da partida, quando expulsou Thiago Humberto por um contato forte com o adversário fora do lance. Mas o placar não voltou a mudar, ficou tudo empatado no clássico na rodada inicial, e nenhuma das equipes voltou para casa completamente satisfeita.

Créditos imagem: Assessoria/Joinville EC

VAVEL Logo