Dentro de campo, Vasco goleia; Fora, Dinamite confirma aposentadoria de Juninho
Foram 393 jogos de Juninho com a camisa do Vasco (Foto: Divulgação/Vasco)

Dentro de campo, a noite foi boa para os vascaínos, que viram o time vencer mais uma vez de goleada. Fora dele, foi triste, já que o clube confirmou o inevitável: Juninho Pernambucano, que ainda tentava se recuperar de uma contusão para tentar voltar a jogar, não disputará o Campeonato Carioca e se despedirá dos torcedores em um amistoso.

A boa partida e a goleada, de 4 a 0, contra o Audax, em Volta Redonda, foram ofuscadas pela confirmação do clube de que Juninho Pernambucano não jogará mais futebol profissionalmente. Bernardo, que fez dois gols, e William Barbio, que fez boa partida, tentaram animar a torcida, mas a despedida de um ídolo falou mais alto.

"Quero tornar oficial a decisão do Juninho. Durante a semana, já tínhamos conversado sobre o assunto, e ele decidiu encerrar a carreira. Na segunda-feira, ele vai fazer a sua despedida como atleta do Vasco e dar uma entrevista coletiva", garantiu Dinamite, em entrevista coletiva ainda em Volta Redonda. 

Juninho Pernambucano chegou ao Vasco em 1995, após ser destaque no Sport. A primeira passagem no clube durou até 2001, quando foi para o Lyon, da França, onde também foi ídolo. O jogador ainda passou pelo Catar antes de voltar para São Januário, em 2011, e jogou nos EUA em 2013, antes de sua última passagem pelo clube da Colina. Ao todo, foram 393 partidas e 76 gols com a camisa cruz-maltina, além das conquista de títulos regionais, nacionais e continentais. 

O meia já havia deixado claro seu desejo de fazer o jogo de despedida em uma partida contra o River Plate, em São Januário. Foi contra a equipe argentina que o jogador marcou o famoso gol de falta, na Libertadores de 1998, que virou música da torcida vascaína. Nos versos da canção, que é entoada como hino em todos os jogos do clube em São Januário, e nos corações dos vascaínos, Juninho Pernambucano será mais que monumental: será eterno.

VAVEL Logo