Martín Silva reencontra o Maracanã e assume: "Não esperava esse carinho"
Dono da camisa 1, Martín Silva virou ídolo antes mesmo de estrear (Foto: Divulgação/Vasco)

Martín Silva tem apenas dois jogos com a camisa do Vasco e já parece ter caído nas graças dos torcedores. Apesar do pouco tempo de casa, o goleiro uruguaio chegou com a missão de resolver o principal problema vascaíno na temporada 2013. O gol foi a posição mais carente no ano passado, quando o clube viveu dias difíceis nas mãos de Alessandro, Diogo Silva e Michel Alves. Martín vem cumprindo bem seu papel com tranquilidade e segurança debaixo das traves. Tanto que a cada defesa, mesmo que seja ela a mais simples possível, os torcedores vibram e soltam o grito de "Ah, temos goleiro". Uma recepção empolgada que o novo camisa 1 jamais poderia esperar.

"Não consegui entender direito, e os companheiros me explicaram. É uma coisa nova, muito boa, que faz eu me sentir bem acolhido. Não esperava esse carinho logo de cara. Foi uma surpresa agradável e me dá ainda mais confiança para ajudar o Vasco. Eu me sinto feliz e motivado nesse início de trabalho. Durante o jogo eu não entendi o grito da torcida, mas depois me explicaram. Nunca tinha visto nada parecido em tão pouco tempo, mas procuro me apegar às coisas positivas para usá-las como motivação", disse o goleiro.

Neste domingo (2), o confronto vai marcar seu retorno ao palco da final da próxima Copa do Mundo. Em 2007, o uruguaio era goleiro do Defensor e ajudou a eliminar o Flamengo nas oitavas de final da Libertadores. A derrota por 2 a 0 no Rio garantiu a vaga após uma vitória por 3 a 0 no Uruguai.

"Tive a sorte de jogar algumas partidas contra clubes brasileiros na Libertadores, como essa contra o Flamengo. Creio que isso ajuda. Sei mais ou menos o que vou encontrar enfrentando outro grande clube do Rio. Esperamos que esse clássico seja positivo para o Vasco. Os companheiros já me falaram da importância desses jogos para o clube, para os torcedores. Vamos a campo com seriedade e profissionalismo para vencer", falou o jogador.

Sereno, o uruguaio de Montevidéu reconhece que vive uma situação inusitada na carreira, e quer fazer por merecer o carinho da torcida com boas atuações e vitórias que recoloquem o Vasco no topo. Nos planos para a temporada, o goleiro também colocou a Copa do Mundo. Reserva de Muslera, ele crê que a seleção do Uruguai pode surpreender.

"O futebol brasileiro é o melhor da América do Sul e um dos melhores do mundo. Estou realizando um sonho. Ainda mais em um clube grande como o Vasco. Na última Copa, também tivemos (a seleção uruguaia) dificuldade para nos classificar e crescemos na competição. A situação é semelhante. Não estamos entre os favoritos, mas podemos ir bem.", confirmou Martín.

Fã de Ronaldinho Gaúcho e admirador de Jefferson, que não deve atuar este domingo pelo Botafogo, Rogério Ceni e Fábio, desde pequeno, Martín Silva ouviu falar da histórica vitória do Uruguai sobre o Brasil na final da Copa de 1950. Motivo de orgulho de uma nação, o ‘Maracanazo’, para o goleiro, é algo que não deve alimentar o sonho dos uruguaios este ano.

"Os torcedores lembram muito disso porque foi uma façanha, mas não passa pela nossa cabeça repetir. Não carregamos essa pressão. O melhor é poder jogar a Copa nesse país lindo e saber que somos apenas mais uma equipe entre tantas que vão brigar pelo título.", disse Martín Silva.

Neste domingo, o goleiro tem mais um jogo pela frente para mostrar que pode realmente ser chamado de ídolo em sua nova casa, o Vasco. Às 19h30, o time enfrenta o clássico contra o Botafogo, no Maracanã, pela quinta rodada do Campeonato Carioca, e pode chegar a 11 pontos, ocupando o primeiro lugar, caso o Flamengo perca para o Macaé.

VAVEL Logo