Botafogo-SP se acerta no segundo tempo, vence e complica o Oeste pelo Paulistão

Botafogo e Oeste de Itápolis entraram em campo na noite desta terça-feira (4) na partida que abriu a 6ª rodada da fase inicial do Campeonato Paulista. Com boa campanha, nove pontos nos cinco jogos anteriores e a liderança do grupo B, o Tricolor de Ribeirão Preto vinha de uma goleada por 5 a 1 sofrida para o Santos na rodada anterior. Já o Rubrão abriu a jornada fora da zona de rebaixamento, mas na lanterna do grupo D, com cinco pontos e apenas uma vitória. No último sábado (1), foi derrotado em casa pelo Linense por 1 a 0.

A partida abriu para ambas as equipes a segunda etapa da fase inicial, que é quando as equipes do grupo B (que nas cinco primeiras rodadas jogaram contra as do C) enfrentam as do grupo D (que jogaram contra as do A). Essa regra valerá até a 10ª das 15 rodadas.

A vitória por 1 a 0 garante a liderança ao Botafogo, que abre quatro pontos de frente para o segundo colocado Grêmio Osasco Audax, que tem oito (joga quinta contra o Mogi Mirim) e cinco para o XV de Piracicaba, que tem sete (joga amanhã contra o Palmeiras). Fechando o grupo, aparecem Corinthians e Ituano com seis. O Alvinegro paulista enfrenta o Bragantino nesta quarta (5), enquanto o Ituano, que tem um jogo adiado contra a Ponte na primeira rodada, empatou em 1 a 1 com o Rio Claro. O Tricolor vai à Bragança Paulista enfrentar o Bragantino no sábado (8), às 19h30.

Com a derrota, o Oeste permanece na lanterna, com cinco pontos, quatro a menos que o vice-líder Bragantino e dez atrás do líder Palmeiras. O Rio Claro é o terceiro com oito, enquanto o Mogi Mirim aparece em quarto com sete. Na classificação geral, que não leva em consideração os chaveamentos para definir o rebaixamento, o Oeste aparece em 16º, último antes da zona de rebaixamento. Porém, Comercial (quatro pontos), Atlético Sorocaba (2) e Paulista (2) ainda podem ultrapassar o time de Itápolis nesta rodada. Os rubro-negros jogam na sexta-feira (6), às 19h30, contra o Ituano, em Catanduva, já que o Estádio dos Amaros, em Itápolis, ainda não foi liberado.

Dezinho, do Oeste, avaliou que o jogo teve dois tempos distintos. "O primeiro tempo foi equilibrado, mas no segundo eles acertaram melhor as finalizações e venceram", declarou.

VIsão parecida da compartilhada por Daniel, do Botafogo. "O primeiro tempo foi muito truncado, mas no intervalo o técnico Wagner Lopes acertou o time e nós pudemos vencer. Não joguei bem na primeira etapa e a confiança foi fundamental para acertar o time na etapa final", finaliza.

No primeiro tempo, muitas faltas e nada de gols

Favorito, o Botafogo começou sem muita inspiração. Errando muitos passes e com dificuldades de chegar ao gol, criou sua primeira chance aos seis minutos, quando Hudson cruzou e Mike, totalmente desajeitado, chutou fraco, mas quase enganou o goleiro do Oeste, Fernando Leal, que só acompanhou a saída da bola. O começo da partida ficou marcado pelas faltas duras de ambas as equipes, que tentavam brecar as jogadas adversárias ainda no meio campo.

Foi através de uma jogada individual que o Botafogo chegou novamente com perigo: Wellington Bruno fez fila na zaga do Rubro-negro, mas na hora do cruzamento, nenhum dos dois jogadores que estavam na área - Hudson e Marcelo Macedo - apareceram para cabecear. Porém, aos 14 minutos, após cobrança de falta, Lima e o mesmo Marcelo Macedo subiram e o segundo resvalou para marcar o primeiro dos locais. Contudo, o bandeira assinalou impedimento e o gol não foi validado.

Os visitantes levaram perigo aos 19 minutos, quando, após cruzamento na área, Marcos Paraná por pouco não cabeceou para marcar o primeiro. O time de Itápolis, sempre apostando na velocidade de seu meio campo, criou outra boa oportunidade aos 24 minutos, quando Gilmar foi fazendo fila na marcação botafoguense e bateu de longe para defesa em dois tempos do goleiro Gilvan.

A resposta do time de Ribeirão Preto veio aos 28 minutos, quando Marcelo Santos recebeu cruzamento, mas perdeu a dividida, fazendo a bola sobrar para Danilo que bateu em cima da zaga adversária. O lance prosseguiu e o próprio Marcelo Macedo cruzou para a área. Camilo se esticou mas não alcançou a bola, que saiu pela linha de fundo. Apesar da melhora no número de chances para ambos os lados, a partida continuava excessivamente faltosa, apesar do pouco rigor do árbitro Flávio Rodrigues de Souza no quesito cartões amarelos (apenas Camilo, do Botafogo, foi punido na primeira etapa).

Na bola, o Botafogo tinha maior presença no ataque e tinha no jogo aéreo o seu maior número de jogadas. A equipe da casa ainda esbarrava, contudo, na falta de precisão nas conclusões e nos impedimentos. Aos 35, César Gaúcho deu um chutão para afastar a bola da zaga do Tricolor e acabou lançando a bola na ponta direita para um desmarcado Marcelo Macedo que encontrou Mike livre na área e cruzou. Este, por sua vez, pegou mal na bola e facilitou a defesa do arqueiro adversário. Aos 37, o mesmo César Gaúcho que iniciou a jogada quase marcou contra. Após um forte chute de Adriano Fernandes, a bola desviou no zagueiro botafoguense e passou à direita de Gilvan.

A jogada mais perigosa do Oeste no primeiro tempo surgiu aos 43 minutos: após saída de bola errada do Botafogo, os visitantes fizeram rápida triangulação e Marcos Paraná bateu forte e cruzado da entrada da área. Coube a Gilvan espalmar e evitar o gol com uma bela defesa. Esse, aliás, foi o primeiro grande momento da etapa inicial.

Botafogo capricha nas finalizações e vence mais uma

O Botafogo começou o segundo tempo fazendo a jogada que melhor soube fazer na etapa inicial: antes do relógio marcar um minuto, Marcelo Macedo cruzou na área, mas Camilo novamente não chegou nela. Outra chance dos donos da casa surgiu aos quatro, quando Wellington Bruno recebeu na intermediária, mas isolou a bola por cima da meta. Jogando em casa, o Botafogo começou a etapa final na pressão, mas, além da falta de capricho nas finalizações, as jogadas aéreas também não apresentavam desempenho satisfatório.

Pelo alto, aliás, o Oeste levou perigo aos oito minutos. Após cobrança de escanteio, Ligger subiu sozinho e mandou por cima do gol. Aos 12, Fernandinho se aproveitou de uma saída errada da zaga botafoguense e bateu pro gol. A bola expolodiu no jogador adversário e voltou para ele, que rolou para Adriano Alves. Este, porém, não chegou na bola antes de Hudson, que afastou.

Aos poucos, o Botafogo foi retomando o controle da posse de bola. Em uma jogada na linha de fundo, aos 15 minutos do segundo tempo, Marcelo Macedo passou curto para Danilo que, já dentro da área rolou para trás e encontrou Daniel, que encheu o pé e abriu o placar para os donos da casa. Seis minutos depois, o Oeste passou perto do empate com um chute de Pablo da intermediária.

O Rubrão assustou os donos da casa com uma sequência de cruzamentos na área aos 25 minutos, mas acabou cedendo um contra-ataque que só não resultou em gol por conta do passe muito forte de Camilo para Mike. Aos 27, porém, o time de Itápolis não levou a mesma sorte. O mesmo Mike dominou na meia lua e bateu forte, no canto superior de Fernando Leal, que nada pôde fazer para evitar o segundo gol da Onça de Ribeirão Preto.

Aos 36 minutos, o Oeste descontou com cabeçada de Ligger após cobrança de escanteio. O Oeste não chegou a ensaiar uma pressão para cima do Botafogo. Pelo contrário, viu os donos da casa controlarem a posse de bola e, aos 45, após cruzamento na área, William entrou de carrinho e bola entrou chorando, passando por poucos centímetros a linha do gol. Assim, o Botafogo definiu sua quarta vitória em seis jogos no Paulistão.

VAVEL Logo