Atlético-MG tem problemas com departamento médico cheio
O volante Fillipe Soutto se machucou no jogo-treino contra o América-MG (Foto: Bruno Cantini/Atlético Mineiro)

A temporada mal começou e o departamento médico do Atlético-MG tem problemas. São nove jogadores que desfalcam o Galo no início do trabalho de Paulo Autuori. O elenco que estava cheio, agora tem desfalques em posições importantes.

O zagueiro Emerson se machucou em uma dividida no jogo contra o Nacional de Muriaé. Emerson sofreu uma fratura da fíbula e rompeu os ligamentos do tornozelo direito. A previsão de retorno é de quatro a seis meses. A lista da defesa ficou maior com a lesão de Réver, que está com inflamação no tornozelo. O camisa 4 está vetado para o jogo de amanhã contra a Tombense, e corre sério risco de ficar fora da estreia na Libertadores, no dia 11, contra o Zamora, na Venezuela.

A lateral esquerda atleticana sofre por não ter nenhum jogador disponível para ser escalado. O recém-contratado Pedro Botelho teve um estiramento na coxa esquerda e Eron teve uma pubalgia. Ambos não tem previsão de retorno. Richarlyson, que não tem mais contrato com o clube, mas está se recuperando na Cidade de Galo, passou por cirurgia no joelho esquerdo. 

No meio-campo, mais precisamente, no setor de marcação, três jogadores fazem tratamento médico. Assim como o lateral esquerdo Eron, Lucas Cândido teve uma pubalgia e não tem previsão de retorno. Leandro Donizete teve um estiramento na panturrilha esquerda e está próximo de voltar. O último a se lesionar foi Fillipe Soutto. O volante caiu de mal jeito no jogo-treino contra o América-MG e sofreu fratura no cotovelo direito. O médico do Atlético-MG, Rodrigo Lasmar aguarda o resultado dos exames para definir a gravidade da lesão. 

No ataque, Luan vinha se queixando de lesão no final do ano passado. No início deste ano, o atacante realizou uma cirurgia no joelho direito. A previsão de volta é após a Copa do Mundo. 

"Uma situação habitual. A maioria das lesões até o momento foi traumática, decorrentes de choques, inesperadas, em termos de prevenção. Temos departamento médico cheio. O Paulo Autuori tem problemas para armar e dar sequencia ao time. Algumas lesões são graves. Mas temos que devolve-los o quanto antes. Espero e torço para que tudo ao longo do ano tenha se esgotado nessas primeiras semanas e que tudo volte ao normal", disse o médico Rodrigo Lasmar ao site Superesportes.

VAVEL Logo