Auxiliar que não validou gol do Vasco passará por exames psicológicos e clínicos
Nesta terça-feira (18), o auxiliar foi informado de que passará por exame de vista (Foto: Reprodução/Jornal Extra online)

Ao não sinalizar que a bola no chute de Douglas havia ultrapassado a linha, a vida de Rodrigo Castanheira se transformou. Posicionado atrás da meta de Felipe, ele não viu a bola quicar depois da linha na cobrança de falta do meia vascaíno. Desde então, tem sido ameaçado nas redes sociais e viu seu endereço ser espalhado por membros de organizadas do Cruzmaltino.

Nesta terça-feira, além de ter prestado queixa na delegacia por conta de ameaças recebidas, o auxiliar também foi informado de que passará por exame de vista. Além disso, a Comissão de Arbitragem do Rio dará apoio psicológico a Castanheira, que será acompanhado por um especialista.

"Temos um psicólogo que vai acompanhar o caso para que ele se equilibre. É um profissional que nós já temos e que faz a assistência que esse tipo de situação exige. Essa é uma decisão do presidente. Ele acha melhor que o Castanheira passe por esses exames para que sejam verificadas suas condições oftalmológicas, psicológicas e clínicas, antes que volte às atividades.", disse Jorge Rabello.

A segurança do auxiliar e da família dele também preocupa a comissão de arbitragem. No entanto, segundo Rabello, Castanheira não fez nenhum pedido.

"Por enquanto não falou nada, mas ele sabe que aqui estamos com ele. Isso é pressão de torcedor, mas como hoje em dia invadem CT, batem em jogadores, o que não farão com árbitros? Estamos atentos.", frisou Rabello.

Em janeiro, antes do início do Campeonato Carioca, Rodrigo Castanheira, ao lado de todos os árbitros e auxiliares, passou por testes de vista, psicológico e físico, sendo aprovado em todos. Os novos exames serão aplicados nos próximos dias. Seu retorno aos jogos ainda não tem data para ocorrer, mas a tendência é que seja em duas semanas, caso seja aprovado nos exames. Castanheira deve ser escalado como árbitro principal em alguns jogos da Série B do Rio, função que exerce há alguns anos, e como auxiliar ao lado das balizas em partidas entre clubes pequenos da Série A.

Rodrigo Caetano responde Jorge Rabello

Em entrevista concedida ontem, o presidente da Comissão de Arbitragem, Jorge Rabello, comentou o erro do auxiliar que não validou o gol de Douglas e se referiu ao diretor executivo Rodrigo Caetano afirmando que o profissional do Vasco sofria de padecimento psicológico. Caetano não gostou muito da forma como foi tratado e respondeu às duras críticas de Rabello.

“Em relação ao posicionamento, acho que foram feitos muitos exageros, principalmente do presidente da Comissão de Arbitragem. A crítica é salutar, principalmente quando não é irresponsável porque tudo o que foi falado todos viram. Nos causa estranheza a Comissão de Arbitragem ter feitos críticas pejorativas e pessoais e você percebe que supera o âmbito profissional. Só tenho a lamentar, e volto a reiterar o que disse na coletiva, acredito que o trabalho realizado pela Comissão de Arbitragem do Rio de Janeiro, se não é o melhor, está entre os melhores do Brasil, mas que houve um erro que prejudicou de forma absurda o Vasco, não há como esconder. Sempre que houver esse tipo de prejuízo ao Vasco ou a qualquer clube no qual eu esteja trabalhando, vou me posicionar da forma como sempre fiz, com respeito.", disse Rodrigo.

VAVEL Logo