Zeballos, novo camisa 10 do Botafogo, está fora do clássico contra o Fluminense
Versatilidade do paraguaio é uma arma que Eduardo Hungaro planeja utilizar ao longo do ano (Foto: Márcio Mercante/Agencia O Dia)

Pablo Zeballos não vai estrear contra o Fluminense, como era previsto. Isto porque, apesar de já estar regularizado na FERJ, a Federação Paraguaia de Futebol ainda não liberou a documentação necessária para que o atleta se torne elegível para ser escalado pelo Botafogo.

O jogador foi inscrito para disputar o Campeonato Carioca na última quinta-feira (20), mas sem o documento de transferência da federação paraguaia, a estreia deve acontecer apenas em março, quando o paraguaio completará três meses sem jogar. Sem Zeballos, o meio-campo deve ser formado por Renato e Daniel, enquanto o ataque deve ter Henrique e Ronny.

Mario Risso é outro jogador que vive situação semelhante à de Zeballos: o zagueiro já foi inscrito para a disputa do Campeonato Carioca, mas seus documentos de transferência ainda não chegaram ao Rio de Janeiro.

Zeballos deve ser escalado como meia armador

Após a saída de Seedorf, nenhum novo meia de armação foi contratado e ao que tudo indica, a responsabilidade recairá sobre os ombros de Pablo Zeballos, mais novo jogador do Botafogo. O paraguaio chegou como opção para o ataque, mas devido à sua versatilidade, pode assumir a função de organizador de jogo alvinegro.

“É um jogador que faz a função de camisa 10 e de segundo atacante. Mas pelas características que vi antes da contratação e nos treinos do Botafogo, vejo ele mais como um organizador. É rápido e leva a equipe para frente. Mas não abandono a ideia de usá-lo como segundo atacante”, comentou o Eduardo Hungaro, em entrevista ao Lance!NET.

VAVEL Logo