Buscando acerto do time e a classificação, América-MG enfrenta o Atlético-MG
O técnico Moacir Junior processou diversas alterações no time e a escalação oficial só sairá no vestiário do Independência (Foto: Divulgação/Site Oficial do América Mineiro)

A missão do América não é das melhores. Além de buscar uma reação dentro do Campeonato Mineiro, e bater um adversário de alta qualidade como o Atlético-MG, o tecnico Moacir Junior segue trabalhando o elenco e consertando as principais deficiências da equipe. Nada mais seria mais prazeroso que vencer um rival histórico para melhorar a situação do time no estadual. O jogo será neste domingo (23), no Estádio Independência, às 16hs.

O técnico do América, Moacir Junior, chegou para estabilizar o elenco montado por Silas, antigo treinador. Além de contar com os jogadores que o próprio ex-treinador indicou, Moacir terá que trazer novos atletas para que a equipe ganhe força técnica para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B. 

O Atlético-MG entrará em campo com a busca por uma reação dentro do Estadual. Mas sem esquecer do compromisso pela Taça Libertadores da América, na próxima quarta-feira (26), diante do Independiente Santa Fé-COL. Todo cuidado é pouco para que a equipe não venha ficar desfalcada. 

Problemas para escalar o time

Para encarar o Galo, o técnico Moacir Junior, que já venceu o Atlético nesta temporada por 2 a 0, quando era técnico do Tombense, tem sérias dúvidas quanto a formação inicial do time americano. O primeiro desfalque pode vir na lateral-esquerda. Gilson, considerado titular e único jogador disponível, até então, está lesionado e por se tornar desfalque. Moacir vai levar este problema para os vestiários do Independência. No lugar de Gilson, o meia-atacante Henrique pode aparecer na vaga. O atleta já exerceu a função em 2013, quando atuava no Villa Nova sob o comando de Mauro Fernandes.

Durante a semana, Moacir Junior processou intensas variações no time. Com trocas de jogadores, alguns considerados titulares figuraram no elenco reserva. Tudo para levar a escalação da equipe para os vestiários. 

A criação de jogadas, que é, sem dúvida nenhuma, o maior problema da equipe, deverá ficar sob a responsabilidade de Betinho, enquanto Tchô, ex-atleticano, e recém-contratado pelo América junto a Ponte Preta, não ganha condições de jogo.

Obina: "Se eu fizer gol, não comemorarei" 

Com passagem marcante pelo Atlético-MG em 2010, onde fez dupla de sucesso com Diego Tardelli, hoje no Galo, Obina não esconde o carinho que tem pelo clube alvinegro. Após a escassez de jogadores para a posição no elenco atleticano, seu nome chegou a ser pedido pelo torcedor, mas a diretoria alvinegra decidiu pela reintegração de André e Leonardo. "Eu sou muito grato a todo mundo. Tive um ano de muitas glórias lá. Alguns companheiros que jogaram comigo ainda estão lá", relembra.

Obina marcou 27 gols em 39 jogos pelo Atlético. Somados com os 25 de Diego Tardelli, ambos anotaram 52 gols enquanto atuaram juntos pelo Galo. O jogador explica a decisão, pois mesmo atuando contra o time atleticano quando atuou pelo Bahia em 2013, a torcida atleticana gritou o nome do atacante, mesmo marcando um gol na ocasião. "Eu criei um vínculo muito bom com o Atlético. Se fizer gol, não comemorarei. Logicamente, estarei feliz, mas não irei comemorar em respeito ao torcedor do Atlético Mineiro", disse.

VAVEL Logo