Em clássico equiparado, Vitória e Bahia ficam apenas no empate

Pela primeira vez em 2014, Vitória e Bahia travaram duelo na tarde deste domingo (23), em jogo válido pela quarta rodada do Campeonato Baiano. Porém, sem muita inspiração de ambas as partes, a partida em Pituaçu terminou empatada em 1 a 1, placar que mantém a dupla Ba-Vi na liderança de seus respectivos grupos. Os gols do confronto foram marcados por Juan e Fahel.

No primeiro tempo, o Vitória saiu na frente com Juan, quando a equipe dominava a partida, entretanto, o rubro-negro cedeu o gol de empate logo no começo da segunda etapa, quando o Bahia igualou o marcador com o volante Fahel. Com o empate, o Vitória manteve-se na ponta do grupo 2, com dez pontos, já o Bahia assumiu a liderança do grupo 3, com cinco pontos ganhos.

Agora, o Vitória mantêm o foco na Copa do Nordeste, onde enfrentará o Ceará no estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, na próxima quinta-feira (27). Para chegar as semifinais, o Leão precisa vencer ou empatar com dois ou mais gols.

Equilíbrio e tensão

Como toda rivalidade, o clássico começou bastante pegado: Essa foi a palavra da vez para Maxi Biancucchi que logo no apito inicial cometeu falta em Cáceres, sem cartão. No segundo minuto, Marquinhos cruzou da direita para Dinei, que furou o cabeceio. Aos sete, José Wellison arriscou de fora da área, mas mandou por cima. Três minutos após o lance, o volante arriscou mais um chute, exigindo uma boa defesa de Marcelo Lomba.

Com time bem postado, o Bahia encontrava dificuldades para criar suas jogadas no meio de campo. O Tricolor encontrou sua primeira oportunidade aos 14, com um cruzamento de Rhayner, sem perigo. Entrosado, o Vitória mantinha a posse de bola e procurava o momento para "dar o bote". Dois minutos depois da primeira chance do Bahia, Marquinhos avançou pela direita e chutou por cima do gol de Lomba. Em seu momento de tensão, Matheus Salustiano e Guilherme Santos receberam cartões amarelos após desentendimento.

Vitória abre o marcador; Bahia tenta reagir

Aos 31 minutos, o Bahia tirou o zero do placar: Com um contra-ataque fulminante, Marquinhos cruzou na área para Dinei, que não aproveitou. Para a sorte do centroavante, a bola sobrou para Juan, que escorou para o fundo da rede tricolor, era o seu quinto gol na temporada. O Bahia parecia ter acordado de um pesadelo, e foi para a cima do rival.

Rhayner invadiu a área rubro-negra pelo lado esquerdo, bateu cruzado, mas Wilson defendeu. No final do jogo, Maxi Biancucchi fez bela jogada individual e tocou para o estreante Marcão, que bateu bem. Desta vez, Wilson mandou para a linha de fundo. Guilherme Santos cobrou o escanteio, mas Titi perdeu a chance de empatar a partida. Era o fim do primeiro tempo.

Empate relâmpago do Bahia

Buscando a reação, Marquinhos Santos avançou o time ao colocar Wangler no lugar do volante Uelliton, que fazia a sua estreia pelo Bahia. No primeiro minuto de jogo, Guilherme Santos cruzou na área e a zaga rubro-negra afastou para escanteio. Na cobrança, a defesa falhou. Marcão tentou de calcanhar, mas Fahel completou. O gol reacendeu as chamas do clássico e o Bahia cresceu no jogo e criou boas oportunidades.

Após empate, a partida estava em aberto: aos 11, Maxi Biancucchi recebeu passe de Wangler na entrada da área, mas finalizou para fora. Um minuto depois, Marquinhos arriscou e recebeu desvio de Dinei, assustando o goleiro Marcelo Lomba. No lance seguinte, Maxi cruzou para Rhayner que furou na pequena área, de frente para o goleiro Wilson. Ney Franco chegou a promover mudanças, mas foram raras as chances de gol. O empate permaneceu até o fim.

VAVEL Logo