Santos e Atlético-MG vão duelar em um dos palcos da Copa do Mundo 2014, no Brasileirão
Foto: Futura Press

Em contagem regressiva para o intervalo da Copa do Mundo de 2014, Santos e Atlético-MG entram em campo em um dos estádios que foram construídos para sediar o mundial no Brasil. O jogo é válido pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro e a bola comecará à rolar às 18h30. 

A Arena Pantanal, construído em Cuiabá, no Mato-Grosso, foi levantada mediante gastos de R$ 570 milhões de reais, para abrigar um público de 41.390 pessoas. O estádio vai receber os jogos entre: Chile x Austrália, Rússia x Coreia do Sul, Nigéria x Bósnia-Herzegovina e Japão x Colômbia.

O Atlético-MG começa sua série de partidas que vai disputar longe da capital mineira. Após se despedir do Estádio Independência, que será entregue para a FIFA como centro de treinamento, vencendo o clássico contra o Cruzeiro por 2 a 1, o Galo vai jogar contra o Vitória, dia 21, em Feira de Santana; Criciúma, dia 25, em Criciúma; Fluminense, dia 28, em Ipatinga; e São Paulo, dia 1º, no Morumbi. 

O Santos também viverá o mesmo problema do Atlético. A Vila Belmiro foi entregue a FIFA devido a Copa do Mundo. O peixe fará uma verdadeira excursão, que incluem viagens para encarar o Goiás, em Goiânia, e Bahia, em Feira de Santana. O time praiano vai exercer seus mandos de campo apenas contra o Flamengo, no Morumbi, e o Criciúma, em São Bernardo do Campo.

Levir tem problemas para escalar o Atlético

O começo da gestão de Levir Culpi na comissão técnica do Atlético-MG não poderia ser mais trabalhosa. Além de esbarrar com uma equipe desfigurada técnicamente, o treinador encontra um departamento médico cheio de jogadores importantes para uma reação da equipe atleticana. São nada menos que 11 atletas: Marcos Rocha, Réver, Emerson, Pedro Botelho, Lucas Cândido, Luan, Neto Berola, Guilherme, Diego Tardelli, Ronaldinho Gaúcho e Jô.

Para montar o Galo contra o Santos, o técnico deverá repetir a mesma formação que venceu o Cruzeiro, a exceção do retorno ao esquema tático tradicional 4-4-2. Marion, que foi destaque no clássico, será titular. A dúvida fica por conta da entrada do volante Rosinei ou do atacante Carlos. Com o primeiro, ganha defensivamente, mas o prata da casa pode dar mais mobilidade e ação aos homens de frente. Resposta será dada momentos antes da partida começar.

Convocado pelo técnico Luis Felipe Scolari para defender a Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o goleiro Victor acredita que Atlético e Santos farão um grande jogo.

“Não existe jogo fácil no Campeonato Brasileiro. O Santos é uma grande equipe, vem passando por um processo de renovação, tem jogadores novos, de velocidade e querendo mostrar serviço. Fez um excelente Campeonato Paulista, embora não tenha sido campeão, e é uma equipe que merece todo nosso respeito. Mas nós também temos uma equipe qualificada, estamos vindo de vitória no clássico e tivemos uma semana boa de treinos. Então, tem tudo para ser um grande jogo, em um lindo estádio como é a Arena Pantanal”, disse o arqueiro.

Santos esbarra no cansaço

Disputando a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro de forma simultânea, o Santos sofre com a cansativa sequência de jogos da equipe na temporada. Para deixar este fato bem evidenciado, o time praiano chegou a jogar no Amazonas, contra o Princesa do Solimões, e não eliminou a partida de volta, deixando a decisão para a Vila Belmiro, na última quinta-feira (15), além de dar conta das partidas do Brasileirão.

Para este duelo, o Alvinegro Praiano contará com as voltas de Alan Santos, Cícero e David Braz, mas não terá o atacante Leandro Damião, com uma pubeíte (lesão na região do púbis), o lateral-direito Cicinho, suspenso, e o volante Alison e o zagueiro Jubal, que servem à Seleção Brasileira sub-21.

Para Osvaldo, as viagens tem se tornado um problema maior do que as partidas.

"Jogando seguidamente, com tantas viagens (é complicado). Se fosse algo mais equilibrado, não seria tão danoso, não. O problema é mais a viagem do que o jogo em si”, disse o treinador.

VAVEL Logo