Rumo à Copa: Paulinho
Herói da semifinal na Copa das Confederações, Paulinho é titular certo com Felipão (Arte: Marcello Neves/VAVEL Brasil)

Quando o técnico Luiz Felipe Scolari convocou a Seleção Brasileira para a disputa da Copa do Mundo deste ano, alguns dos 23 nomes ainda não eram certos. Não era este o caso do volante Paulinho, de 25 anos. Destaque do Corinthians nas campanhas vitoriosas da Libertadores e do Mundial em 2012, o meio-campista foi um dos principais nomes da equipe canarinho na conquista da Copa das Confederações de 2013 e se transformou em um dos homens de confiança de Felipão.

Nem mesmo a temporada apagada no Tottenham, da Inglaterra, tirou o prestígio de Paulinho com o técnico da Seleção. Mesmo não estando na melhor fase de sua carreira, o volante deve ser um dos onze titulares de Felipão durante a disputa do Mundial. Apesar da carreira estabelecida dentro dos gramados, Paulinho quase desistiu dos campos para se dedicar às quadras quando criança.

No início, Paulinho queria ser jogador de futsal

Em 2001, Paulinho fazia parte das categorias de base da Portuguesa e teve que tomar uma decisão: seguir buscando carreira nos gramados ou se dedicar ao futebol de salão. No que dependesse da vontade do então adolescente Paulinho, o hoje titular da seleção brasileira nos gramados seria parceiro de Falcão nas quadras. Entretanto, o volante acabou optando pelo futebol de campo devido à visibilidade e para tentar alcançar o que seu irmão, Eric, não conseguiu: o sucesso.

Nascido no Parque Novo Mundo, na região da Vila Maria, em São Paulo, José Paulo Bezerra Maciel Júnior teve dificuldades durante a sua infância e sempre teve seu irmão Eric como espelho. “Comecei minha luta aos cinco anos, no campo de várzea do Parque Novo Mundo. Meu irmão me ensinou a jogar futsal, depois foi para o campo e virou um espelho para mim. Comecei na Portuguesa com 12 anos, e foram várias dificuldades. Às vezes não havia dinheiro para abastecer o carro, tinha de ir de ônibus. Mas minha mãe sempre me acompanhou. Não gosto muito de falar dessas coisas” afirma o volante sobre seu início no futebol.

A aventura no Leste Europeu

Depois de optar por seguir carreira nos gramados, Paulinho se juntou ao Audax, clube profissional de São Paulo que tem como metodologia revelar e vender jogadores para clubes grandes do país ou da Europa. Quando o volante estava prestes a completar 18 anos, um diretor do clube lhe trouxe uma proposta para ele se transferir para o Vilnius, da Lituânia.

Após consultar sua mãe, seu irmão e sua então namorada (hoje, esposa), Paulinho decidiu se aventurar no Velho Continente. Na Europa, o atleta tinha alguns companheiros brasileiros na equipe, o que amenizou a adaptação, mas não evitou a frustação do volante. Ao entrar em campo na maioria das partidas, Paulinho via os torcedores adversários imitarem macacos e atirarem moedas em sua direção.

O presidente do Vilnius também se incomodava, mas com a falta de competitividade da equipe. Então, decidiu virar sócio do Lodz, da Polônia. Como ele vinha em Paulinho um jogador talentoso em meio a outros comuns, decidiu leva-lo junto. Cansado do racismo e buscando um pouco mais de visibilidade, o volante aceitou a proposta e, aos 19 anos, mudou de país mais uma vez.

Novamente, as coisas não saíram como o esperado para Paulinho. Deslocado pela lateral-direita, preterido pelo técnico em muitas ocasiões e com sua esposa grávida, o volante decidiu largar tudo e voltar ao Brasil, em 2008.

(Foto: Reprodução/Vilnius)

O recomeço no Brasil e o sucesso no Corinthians

De volta ao Audax, Paulinho conquistou dois acessos consecutivos no Campeonato Paulista e chamou a atenção do Bragantino. Em 2009, o volante acertou sua transferência para o clube de Bragança e começou a se destacar na disputa do Campeonato Brasileiro da Série B. Depois de um Campeonato Paulista de 2010 espetacular, Paulinho acertou com o tradicional Corinthians.

No Parque São Jorge, Paulinho viveu o melhor momento da sua carreira até aqui. Contratado para repor as saídas de Jucilei e Elias, o camisa 8 se transformou em titular ainda na campanha do Campeonato Brasileiro de 2010, mas se destacou no Brasileirão do ano seguinte. Eleito o melhor segundo volante da competição, Paulinho foi peça fundamental na conquista do pentacampeonato nacional do Timão.

Com propostas dos principais times da Itália, como Internazionale e Roma, Paulinho preferiu ficar no Corinthians e disputar a Copa Libertadores da América de 2012. E foi na competição continental que o volante entrou de vez para a história do Timão e no coração da Fiel Torcida. Depois de empatarem o primeiro jogo das quartas de final por 0 a 0, em São Januário, Corinthians e Vasco faziam um jogo equilibradíssimo no Pacaembu até que, aos 42 minutos da segunda etapa, Alex bateu escanteio e Paulinho subiu mais alto que todos os outros jogadores dentro da grande área e colocou o Alvinegro nas semifinais.

Depois de eliminar o Vasco da Gama, o Corinthians passou por Santos e Boca Juniors para conquistar o inédito título da Libertadores, um dos maiores momentos da história do clube alvinegro. Após a conquista, Paulinho voltou a receber sondagens da Internazionale e do Arsenal, da Inglaterra, mas preferiu disputar o Mundial Interclubes no final da temporada.

Em dezembro, no Japão, Paulinho foi um dos melhores jogadores da equipe na conquista do bicampeonato mundial sobre o Chelsea, da Inglaterra. No único gol da final, o volante começou a jogada que culminou no tento de Guerrero.

Em janeiro de 2013, Paulinho voltou a receber sondagens da Internazionale, que estava disposta a pagar 18 milhões de euros, mas o Corinthians só venderia o seu principal jogador por 20 milhões. Em julho, depois da eliminação do Timão nas oitavas de final da Libertadores, Paulinho foi vendido ao Tottenham, da Inglaterra, por 18 milhões de euros.

A temporada ruim na Inglaterra

O começo de Paulinho na Terra da Rainha foi promissor. Em sua estreia pelo Tottenham, no dia 18 de agosto, contra o Crystal Palace, o volante foi eleito o melhor em campo na vitória por 1 a 0 da equipe londrina, com gol de Soldado batendo pênalti. Quatro dias depois, Paulinho marcou seu primeiro gol com a camisa dos Spurs, na vitória por 5 a 0 sobre o Dinamo Tbilisi, da Geórgia, em partida válida pela fase de classificação da Europa League.

O primeiro gol de Paulinho na Premier League veio em 22 de setembro de 2013, o único da vitória por 1 a 0 sobre o Cardiff City, marcado aos 47 minutos do segundo tempo, de calcanhar. Depois da saída de André Villas-Boas do comando técnico da equipe em dezembro, o volante começou a perder espaço na equipe.

Tim Sherwood, o interino que assumiu a equipe após a saída do português, passou a colocá-lo de meia-atacante e Paulinho foi perdendo o seu lugar na equipe. Com atuações abaixo do esperado e fora de posição, o volante passou a figurar no banco de reservas e, após a pior temporada da sua carreira, Paulinho chega para a Copa do Mundo como uma possível moeda de troca do clube inglês.

Na Copa das Confederações, Paulinho ganhou a confiança de Felipão

Paulinho estreou pela Seleção Brasileira em 14 de setembro de 2011, quando o técnico ainda era Mano Menezes, no Superclássico das Américas daquela temporada, empate sem gols contra a Argentina, em Córdoba. O primeiro gol do volante com a camisa canarinho veio no Superclássico de 2012, no Serra Dourada, na vitória brasileira por 2 a 1.

Presença constantes nas convocações de Felipão, Paulinho foi titular no meio de campo da Seleção durante a disputa da Copa das Confederações de 2013. Na estreia brasileira na competição, contra o Japão, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, o camisa 8 anotou o segundo gol da goleada por 3 a 0.

Titular na partida seguinte, contra o México, Paulinho ficou no banco na terceira partida da fase de grupos, contra a Itália. Na semifinal, contra o Uruguai, o volante voltou a fazer parte do time titular e foi um dos heróis da classificação brasileira, ao lado de Júlio César, que defendeu um pênalti de Forlán. Aos 42 minutos do segundo tempo, o placar apontava 1 a 1 quando o volante subiu mais alto que a zaga uruguaia para anotar o gol da vitória canarinha por 2 a 1.

Na final, Paulinho foi titular na goleada por 3 a 0 sobre a Espanha e, apesar de não ter marcado nenhum gol na decisão, foi eleito o terceiro melhor jogador da competição, perdendo apenas para Neymar, bola de ouro, e Iniesta, bola de prata. A Copa das Confederações foi a consagração de Paulinho com a camisa amarela e o transformou em titular na equipe de Felipão, independente da fase atual.

(Foto: Getty Images)

Nome completo: José Paulo Bezerra Maciel Júnior

Data de nascimento: 25 de julho de 1988 (25 anos)

Local de nascimento: São Paulo, SP

Altura: 1,82m

Clube atual: Tottenham-ING

Clubes anteriores: Audax (2006 e 2008-2009), Vilnius (2007-2008), Lodz (2008-2009), Bragantino (2009-2010) e Corinthians (2010-2013);

Títulos na carreira: Campeonato Brasileiro (2011), Copa Libertadores da América (2012), Campeonato Mundial Interclubes (2012), Campeonato Paulista (2013), Recopa Sul-Americana (2013)

Títulos individuais: Seleção do Campeonato Brasileiro (2011 e 2012) e Bola de Bronze da Copa das Confederações (2013)

Paulinho na Seleção Brasileira

Ano Jogos Gols
2011 1 0
2012 7 2
2013 16 3
2014 1 0
Total 25 5
VAVEL Logo