Rumo à Copa: Ramires
Entre idas e vindas, polivalente jogador conquistou uma vaga na Copa (Arte: Walter Paneque/VAVEL.com)

Do Joinville ao Chelsea, o volante Ramires teve grande destaque no Cruzeiro antes de ser vendido ao Benfica e posteriormente ao Chelsea. Nos Blues desde 2010, o barrense se mostrou uma peça fundamental no que ele define como o gol mais importante da carreira: o primeiro gol de Barcelona 2 a 2 Chelsea pela partida de volta das semifinais da Uefa Champions League 2011/2012. O tento colocou a equipe de Londres na final da competição mais importante da Europa.

Com uma grande bagagem europeia, o polivalente jogador ficou de fora da seleção para a Copa das Confederações de 2013. Entretanto, conseguiu voltar a tempo de disputar a sua segunda Copa do Mundo.

Apesar da origem fluminense, foi no Joinville que o jogador começou a carreira. Com boas aparições no time de Santa Catarina, Ramires foi vendido ao Cruzeiro logo depois. Ganhando dois campeonatos mineiros, o "Queniano Azul" chamou a atenção do Benfica, de Portugal. De lá, foi para o Chelsea e se tornou um dos atletas mais importantes do elenco azul.

Na seleção, foi convocado por Luis Felipe Scolari. Porém, um ato de indisciplina fez com que Felipão cortasse o brasileiro da convocação para a Copa das Confederações. Após o torneio, Ramires voltou à seleção e, apesar de ser reserva, tem alto prestígio com a comissão técnica e é a primeira opção para a ponta direita e para a posição de segundo volante.

Após a convocação, o volante se manifestou atráves de redes sociais para expressar a sua felicidade: "Não tenho palavras para descrever esse momento! Feliz demais e orgulhoso por fazer parte da Seleção Brasileira! Vou fazer o melhor por vocês! Vamos em busca desse título!!! Brasil!!!"

Da lateral-direita ao meio de campo: Ramires mudou de posição no Joinville

Após fazer uma boa Copa Rio na categoria juvenil de um time pequeno do interior do Rio de Janeiro, o jovem de Barra do Piraí conseguiu uma oportunidade no Joinville, time do interior de Santa Catarina. Com 18 anos, foi promovido ao time profissional como lateral direito em 2005.

No ano seguinte, o técnico Wagner Oliveira passou o jogador para o meio de campo - posição que Ramires adaptou-se muito bem. Como titular, teve amplo destaque e suas atuações chamaram a atenção do Cruzeiro, que contratou o jogador depois do Campeonato Catarinense de 2007.

Depois de ser campeão da Uefa Champions League pelo Chelsea, em 2011-2012, Ramires prometeu retornar ao JEC: "Tenho um carinho muito grande pelo JEC. Foi o clube que me lançou para o futebol. Mais tarde vou retornar."

No Cruzeiro, virou o "Queniano Azul"

No clube de Minas Gerais, Ramires foi conquistando o seu espaço com o tempo. Em 2008, e jogando em boa forma, o volante conquistou a medalha de bronze nas Olímpiadas de Pequim com a Seleção Brasileira, se consolidou na equipe mineira e foi eleito, ao lado de Hernanes, um dos melhores volantes do Campeonato Brasileiro.

Em boa fase e sendo um dos pilares do time de Adílson, foi campeão da Copa das Confederações em 2009. O ápice do brasileiro no clube celeste foi com o vice-campeonato na Copa Libertadores da América também no mesmo ano. Jogando sob o comando de Adílson Batista como terceiro homem do meio de campo, o jovem jogador despertou o interesse de equipes europeias e posterioremente foi negociado com o Benfica, de Portugal.

Ramires deixou o time de Minas Gerais na condição de ídolo. O apelido de Queniano Azul foi dado pela impressionante velocidade e resistência do atleta. A torcida do Cruzeiro, ao longo dos jogos, sempre cantou a tradicional música de Ramires: "Ramires, guerreiro"

Primeira temporada na Europa foi com títulos

Ramires foi apenas uma das primeiras mudanças feitas pelo Benfica na temporada 2009-2010. A direção do time português vendeu inúmeros jogadores como Yebda, Balboa e Katsouranis. Alguns reforços como Saviola, Javi Garcia e o próprio Ramires também foram contratados. Mas a mudança que possibilitou que os encarnados voltassem a ganhar um título foi no comando técnico: o então técnico Quique Flores acertava uma rescisão amigável com a diretoria e o desconhecido Jorge Jesus assumia.

Com uma proposta de jogo sólida, o treinador conquistou logo em sua primeira temporada, dois títulos: a Taça da Liga, frente ao Porto, e o Campeonato Português.

Credenciado pela boa campanha em Portugal, o brasileiro foi convocado por Dunga para a Copa do Mundo e participou de quase todos os jogos - o único em que ele ficou de fora, foi justamente o da eliminação nas quartas de final contra a Holanda. Depois desse desempenho e da boa aparição com o Brasil na Copa, acabou vendido por mais de 20 milhões de euros ao Chelsea, da Inglaterra. Com a camisa do Benfica, Ramires jogou 26 partidas do campeonato português e marcou quatro gols.

Na Inglaterra, virou peça importante no Chelsea

Em sua primeira temporada nos Blues, o brasileiro sofreu para se adaptar ao país e ao futebol praticado na liga. A sua contratação foi a única realizada pelo Chelsea na janela do verão europeu. Alternando bons e maus momentos, o volante teve uma temporada discreta, ainda sob o comando do italiano Carlo Ancelloti.

Na temporada seguinte, já sob o comando de Andre Villas-Boas/Roberto Di Matteo, o ex-Benfica cresceu de produção e foi um dos destaques na conquista da Uefa Champions League. Atuando como winger pela direita nesta partida, Ramires marcou o histórico gol contra o Barcelona na segunda partida da semifinal da Champions daquele ano. O seu gol garantiu o Chelsea na final, contra o Bayern de Munique.

Com a saída de Di Matteo do comando do Chelsea e a chegada de Rafa Benítez, o barrense voltou a sua posição de segundo volante fazendo dupla com Lampard/David Luiz. No Mundial de Clubes, perdeu o título para o Corinthians por 1 a 0. Entretanto, a equipe de Londres acabou conquistando a Uefa Europa League na mesma temporada e Ramires já continou na seleção com Felipão.

Apesar do título europeu, uma indisciplina e um polêmico jantar deixaram o atleta de fora do grupo que conquistou a Copa das Confederações.

Logo depois da saída de Benítez, o Chelsea anunciou a volta do português José Mourinho. Com o português, manteve o posto de segundo volante, sempre alternando com Lampard/Matic, e, invariavelmente, jogava na ponta direita em jogos importantes. Apesar do prestígio e do histórico vencedor no Chelsea, a última temporada de Ramires não foi boa.

Títulos pelo Chelsea Temporada
Copa da Inglaterra 2011/2012
Uefa Champions League 2011/2012
Uefa Europa League 2012/2013

Olímpiadas, Primeira Copa e a caminho do segundo Mundial

Na seleção, Ramires fez parte do time que conquistou o bronze nas Olímpiadas de Pequim de 2008. Aquele time tinha jogadores como Ronaldinho Gaúcho, Diego e Alexandre Pato, que esperavam estar na Copa do Mundo de 2010. Entretanto, o fracasso na competição determinou o fim da passagem na seleção para muitos jogadores - não foi o caso de Ramires, que foi convocado para a Copa das Confederações do ano seguinte.

Sempre reserva, o jogador do Chelsea era a primeira opção de Dunga em caso de mudança - foi assim no torneio teste em 2009 e na Copa do Mundo de 2010. Atuando como terceiro homem de meio de campo, o ex-Cruzeiro desempenhava com eficiência a função proposta sendo campeão com a seleção na Copa das Confederações.

No ano seguinte, uma suspensão pelo acúmulo de cartões amarelos o tirou da partida decisiva contra a Holanda.

Presença garantida nas listas de Mano Menezes e Luís Felipe Scolari

Após a Copa do Mundo, Mano Menezes voltou a convocar o jogador do Chelsea. Até a sua demissão, Ramires era presença constante na maioria das listas do ex-técnico da Seleção Brasileira. Com a demisão de Mano, Felipão também o chamou em sua primeira convocação no ano de 2013 e, ao que parecia, a presença de Ramires na lista para a Copa das Confederações era certa. Porém, problemas de comunicação e indisciplina fizeram com que o jogador, à exemplo de Ronaldinho Gaúcho, não fosse convocado para o evento teste no Brasil.

Apesar da ausência no tetracampeonato do Brasil, voltou a ser convocado por Luís Felipe após a competição, e com boas atuações se firmou no grupo que vai disputar a Copa do Mundo de 2014.

Ano 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Total
Ramires na Seleção Brasileira
Jogos 5 15 7 6 7 1 41
Gols 0 2 0 1 1 0 4

Ficha técnica

Nome completo: Ramires Santos do Nascimento

Data de nascimento: 24 de março de 1987

Local de nascimento: Barra do Piraí, RJ - Brasil

Altura: 1,80m

Clube atual: Chelsea (ING)

Clubes que passou: Joinville (2005-2007), Cruzeiro (2007-2009), Benfica (2009-2010) e Chelsea (desde 2010)

Títulos na carreira: Campeonato Mineiro (2008-2009), Copa das Confederações (2009), Campeonato Português (2009/2010), Taça da Liga (2009/2010), FA Cup (2011/2012), Uefa Champions League (2011/2012), Uefa Europa League (2012/2013)

Títulos individuais: Jogador do ano escolhido pelos jogadores do clube no Chelsea (2011/2012)

VAVEL Logo