Rumo à Copa: Hulk
Vigor físico acabou se tornando um dos trunfos de Hulk (Arte: Walter Paneque/VAVEL.com)

Pouco conhecido no Brasil até se destacar na Europa, Hulk demorou a ser aceito na Seleção Brasileira. O estilo de jogo baseado na força e explosão chamou a atenção no Porto (POR), caminho para sua primeira convocação, mas somente com o título na última Copa das Confederações que o jogador de fato afastou a desconfiança.

Praticamente intocável na linha de três do meio ao lado de Oscar e Neymar, o paraibano que tem como principal arma a finalização de longa distância conseguiu mostrar outros atributos. Taticamente, ajudou no sistema defensivo brasileiro, cumpriu uma função diferente da que exerce no clube, fechou os espaços no lado de campo, atacou com qualidade, foi mais completo. E assim conquistou Felipão.

Confira como foi a trajetória do jogador até a conquista desse importante espaço, das dificuldades em se firmar no futebol nacional, ao brilho no Japão, e destaque na Europa.

Itinerante e invisível no Brasil

Pela pouca fama no futebol nacional antes de despontar na Europa, não é surpresa que tenha sido ignorado pelos clubes do Brasil. Com passagens curtas pelas canteras de São Paulo e Vitória, foi no clube baiano que conseguiu ascender ao profissonal. O então lateral-esquerdo, porém, não se firmou.

Da lateral, foi pro meio-campo, e daí para o ataque. Após um único jogo como profissional pelo rubro-negro se transferiu para o futebol japonês. Em solo nipônico, começo difícil com a camisa do Kawasaki Frontale, mas dois empréstimos mudariam seu rumo.

Gols e sucesso do outro lado do mundo

Jogador brilhou na segunda divisão do Japão

Sem espaço para o brasileiro no elenco, o Kawasaki Frontale tratou de emprestar Hulk logo em seus primeiros momentos de clube ao Consadole Sapporo, da segunda divisão local. Por lá, conquistou o coração do torcedor com sua vontade e dedicação em campo, mas não só por isso: terminou a temporada na vice-artilharia do campeonato, com 25 gols, atrás apenas de Borges (atacante atualmente no Cruzeiro).

No ano seguinte, novo empréstimo, novamente para a J. League 2. Em Tóquio, com a camisa do Tokyo Verdy, o desempenho anterior que já parecia ser algo excelente deu lugar ao extraordinário. Em 42 partidas, 37 gols marcados, o acesso para a elite, e um inevitável troféu de artilheiro da competição.

Ao fim do empréstimo, retornou ao Frontale, porém apenas sete jogos depois o Tokyo Verdy adquiriu Hulk em definitivo. Sua nova passagem pelo clube da capital foi muito mais curta que a primeira: 11 jogos depois de voltar ao clube em que brilhou, uma proposta tentadora do Porto abriu as portas da Europa para o atacante.

Em Portugal, muitos gols e auge do atacante

Em julho de 2008, Hulk assinou um contrato de quatro temporadas com o Porto, que pagou €5,5 milhões por 50% dos seus direitos econômicos. Logo na inicial do contrato, o sinal de que a aposta era alta: uma cláusula rescisória de €40 milhões. Quando chegou no então campeão português, mal podia esperar um sucesso tão imediato.

Logo em sua primeira temporada conseguiu ganhar uma posição no time titular dos Dragões, formando bom trio de ataque com os também sulamericanos Cristian Rodríguez e Lisandro López. Boas atuações na Uefa Champions League e destaque no Campeonato Português lhe renderam uma renovação de contrato somente um ano depois de chegar ao clube, aumentando sua cláusula para altíssimos €100 milhões.

Hulk foi campeão da Europa League pelo Porto

Na temporada 2009/2010, Hulk já era o principal nome do setor ofensivo do Porto. Em 2010/2011, conseguiu ser eleito por cinco meses seguidos o melhor jogador da Liga Sagres, se sagrou campeão nacional, e de quebra levou o troféu de artilheiro da competição, marcando 23 gols em 26 jogos. Médias espetaculares apenas consolidaram Hulk.

Ainda na mesma temporada conseguiu o surpreendente título da Uefa Europa League, sob o comando do treinador André Vilas-Boas. Hulk deixou o Porto no meio de 2012, quando recebeu uma proposta milionária do Zenit, da Rússia, clube que defende atualmente. A negociação teria rendido ao time português algo próximo a €60 milhões.

Queda na Rússia

Na onda de grandes investimentos do futebol russo, o atacante brasileiro foi um dos escolhidos do Zenit pra compor seu elenco e ser um dos principais jogadores. Alto salário e pompa de Hulk geraram insatisfação de companheiros, como os mais experientes Denisov e Kerzhakov, ambos da Seleção russa, que foram rebaixados para o time B do clube. Com o tempo, o camisa 29 passou a marcar gols, se tornar importante para a equipe, e se não caiu totalmente no gosto dos companheiros, ajudou a amenizar os problemas no ambiente.

Entre trocas de comando, o jogador deixou claro o desejo de deixar o clube, que porém, não demonstrou nenhuma vontade de vender Hulk. Pelo clube, já são duas temporadas, 64 jogos disputados, 32 gols marcados, 21 assistências e ainda nenhum título. O contrato até 2017 e consecutivas presenças na Champions League deixam seu futuro em aberto.

Após desconfiança, hoje é homem forte de Felipão

A carreira do jogador na Seleção começou ainda antes da última Copa, sob o comando de Dunga, quando foi convocado em 2009 para dois amistosos contra Inglaterra e Omã. Com Mano Menezes, foi chamado para um período de treinos na primeira convocação após a Copa do Mundo de 2010. A estreia, de fato, ocorreu apenas em 2011.

Na sua estreia em campo, uma derrota para a França. Na mesma data Fifa, uma vitória sobre Gana. Os primeiros gols porém foram sair apenas em 2012, quando contra a Dinamarca marcou logo dois gols, em parte silenciado as críticas em torno de sua convocação; pouco conhecido, era difícil encontrar alguém que aprovasse seu nome na lista em meio a tantas outras opções.

Disputou as Olimpíadas, e com o Brasil decepcionou na final contra o Mèxico. Com Felipão, ganhou o respeito que precisava: com força e explosão aliadas ao bom desempenho do papel tático de auxiliar na marcação, encontrou seu espaço. Fez boa Copa das Confederações, se sagrou campeão, titular do começo ao fim, deve também constar nos onze titulares da Copa do Mundo.

Ficha Técnica

Nome completo: Givanildo Vieira de Souza
Data de nascimento: 26/07/1986
Local de nascimento: Campina Grande (PB)
Altura: 1,78m
Clube atual: Zenit (RUS)
Clubes onde passou: Vitória, Kawasaki Frontale, Consadole Sapporo e Tokyo Verdy (JAP) e Porto (POR).
Títulos: Campeonato Português (2008/09, 2009/10 e 2010/11), Taça de Portugal (2008/09, 2009/10 e 2010/11), Supertaça Cândido de Oliveira (2009, 2010 e 2011) e Uefa Europa League (2010/11).

Durante os dias que antecedem a Copa do Mundo de 2014 a VAVEL Brasil irá publicar uma série de especiais abordando os principais temas que envolvem o torneio. Na sequência 'Rumo à Copa', os 23 escolhidos por Luiz Felipe Scolari serão analisados.

VAVEL Logo